FECHAR
FECHAR
20 de dezembro de 2011
Voltar
Especial Portos

Superporto do Açu já recebeu mais de R$ 2,3 bi em investimentos

Valor foi aplicado na construção da ponte de acesso aos piers, na dragagem do canal de acesso e bacia de evolução do terminal TX1 e nas obras do canal onshore do terminal TX2

Até o início de outubro deste ano, já haviam sido investidos mais de R$ 2,3 bilhões no Superporto do Açu, empreendimento da LLX, empresa de logística do Grupo EBX, do empresário Eike Batista, em construção em São João da Barra (RJ). O montante foi investido principalmente na construção da ponte de acesso aos piers, na dragagem do canal de acesso e bacia de evolução do terminal TX1 e nas obras do canal onshore do terminal TX2, que inclui a dragagem do canal de acesso e a construção das primeiras peças de concreto que serão utilizadas para elaboração do quebra-mar.

Também foi realizada a aquisição de equipamentos como correias transportadoras, shiploader, empilhadeiras e recuperadoras, que serão utilizados para movimentação de minério de ferro, além das obras para construção do aterro hidráulico da Unidade de Tratamento de Petróleo (UTP).

Do investimento total, previsto em R$ 3,8 bilhões, R$ 974 milhões foram aplicados pela LLX Minas-Rio (composta 51% pela LLX e 49% pela Anglo American, e responsável pela implantação do terminal portuário dedicado ao minério de ferro) e R$ 2,8 bilhões serão pela LLX Açu (responsável pela operação das demais cargas como produtos siderúrgicos, petróleo, carvão, granito, escória e ferro gusa).

A LLX assinou, em agosto, memorando de entendimentos com a Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), realizada em agosto. O documento prevê a elaboração de estudos técnicos de viabilidade para melhorias necessárias no trecho ferroviário entre o Superporto do Açu e a região de Ambaí, no município de Nova Iguaçu (RJ). Com a implantação desse corredor logístico, o Superporto do Açu estará integrado à malha ferroviária nacional.

Outra novidade do projeto foi a obtenção da Licença Prévia para a instalação da siderúrgica da Ternium, que poderá produzir até 8,4 milhões de toneladas de aço bruto por ano. O projeto aprovado contempla pelotizadora e planta siderúrgica integrada para produção de aço em placas e laminados.

“Esses dois eventos representam importantes marcos e confirmam o Superporto do Açu como excelente alternativa para as instalações de empresas líderes setoriais, que encontrarão uma solução logística completa e eficiente, com fácil acesso a matérias-primas e toda a estrutura necessária para importação e exportação”, destacou Otavio Lazcano, Diretor Presidente e de Relações com Investidores da LLX.