FECHAR
FECHAR
20 de dezembro de 2011
Voltar
Especial Portos

R$ 278,1 milhões para obras em Suape

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado do Pernambuco, a Secretaria Especial dos Portos (SEP) e a administração do Porto de Suape assinaram a ordem de serviço para o início das obras de dragagem e derrocagem de aprofundamento do canal de acesso do porto externo. O custo total da obra, que deverá estar concluída até o fim de 2012, será de R$ 278, 1 milhões, sendo R$ 200 milhões do Governo do Estado, em parceria com a Petrobras, e R$ 78,1 milhões da Secretaria Especial dos Portos, com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do Governo Federal.

A obra, prevista para ser executada em 24 meses, tornará o Porto de Suape ainda mais competitivo, consolidando seu canal de acesso como o melhor do País. Embora Suape já seja um porto de águas profundas, como no mínimo 15,5 metros de calado, a dragagem, aumentando em quatro metros a profundidade do canal, permitirá a entrada de qualquer tipo de navio, incluindo os grandes petroleiros, que abastecerão a Refinaria Abreu e Lima, em construção.

De acordo com Secretaria Especial dos Portos, até 2014 Suape deverá receber

R$ 4 bilhões de investimentos públicos em infraestrutura. O volume é quase quatro vezes maior do que o que foi investido entre 2007 e 2010 (R$ 1,1 bilhão) e coloca o principal porto pernambucano entre os três que mais recebem recursos federais no país, atrás somente de Santos e do Rio de Janeiro. Fundado em 7 de novembro de 1978 pela lei estadual nº 7.763, o Complexo Portuário de Suape mantém cerca de 100 empresas em operação e outras 50 estão sendo implantadas. De acordo com o governo do estado, mais de 25 mil empregos são mantidos no local.

A dragagem e derrocagem de aprofundamento do canal de acesso do porto é a segunda obra de maior valor já executada em Suape. A primeira foi o píer petroleiro, orçada em R$ 360 milhões e concluída em janeiro deste ano. Tanto o píer quanto a dragagem fazem parte de um pacote de R$ 475 milhões acertado com a Petrobras a título de antecipação de receitas. Ou seja, esse valor será descontado das tarifas portuárias que a empresa terá de pagar a Suape quando a refinaria estiver funcionando.

A obra está a cargo da empresa holandesa Van Oord, escolhida através de licitação internacional, que trouxe de Amsterdã a draga Lelystad. Em fevereiro devem chegar outros equipamentos.