FECHAR
FECHAR
27 de julho de 2014
Voltar
Edição Especial Número 50

Porto do Açu pronto para operar

Obras ainda estão em andamento, mas avanço da infraestrutura permite que a operação tenha início no segundo semestre

Nos três primeiros meses de 2014 o Porto do Açu obteve volume recorde de investimentos, com aportes de R$ 633 milhões, o maior montante de recursos registrado em um trimestre desde que começaram as obras do empreendimento, em 2007. A informação é da Prumo Logística Global (ex-LLX), empresa responsável pela construção e operação do porto.

De acordo com a companhia, por conta desses avanços na infraestrutura, a previsão é de que o Porto do Açu comece a operar parcialmente ainda em junho, com o início da movimentação no canal de empresas que estão instaladas no Terminal 2, como a norte-americana National Oilwell Varco (Nov), líder mundial em fornecimento de componentes mecânicos para sondas de perfuração terrestres e marítimas, e Technip, produtora de tubos flexíveis e equipamentos para o setor de petróleo e gás, incluindo navios de instalação de dutos submarinos.

“O investimento realizado no primeiro trimestre reflete o grande avanço físico das obras de construção do Porto do Açu”, afirma Eduardo Parente, presidente da Prumo. “A conclusão da dragagem da extensão do canal do T2, junto com os 900 metros de cais dos nossos clientes, reforçam que o empreendimento está com a infraestrutura pronta para começar a operar nos próximos meses”, destaca o executivo. Atualmente, cerca de 9 mil pessoas trabalham nas obras do porto.

Porto do Açu possui características únicas, lembra Eduardo Parente, como grande profundidade, localização estratégica e infraestrutura eficiente. Com área de 90 km² (quase um quarto de toda a área do município onde se localiza – São João da Barra – RJ, de 431 km²), o Porto do Açu terá 17 km de píeres que poderão receber até 47 embarcações simultaneamente. Com um projeto inovador, que utiliza modernas práticas de engenharia, construção e operação, o Porto do Açu estará preparado para receber navios de grande porte, como Capesize e Very Large Crude Carrier, que transportam até 320 mil toneladas de carga. É formado pelo Terminal 1 (T1 offshore) e pelo Terminal 2 (T2 onshore).

O T1 será composto por uma ponte de acesso com 3 km de extensão, píer de rebocadores, 9 píeres para movimentação de minério de ferro e petróleo, canal de acesso e bacia de evolução. O T2 está sendo instalado no entorno de um canal para navegação, que conta com 6,5 km de extensão, 300 metros de largura e profundidade de 7,5 metros (chegando, na sua maior profundidade, a 14,5 metros). Com mais de 13 km de cais, o T2 irá movimentar ferro gusa, carvão mineral, veículos, granéis líquidos e sólidos, carga geral e petróleo.