FECHAR
FECHAR
27 de julho de 2014
Voltar
Edição Especial Número 50

Linha 5-Lilás no caminho do carro de boi

Ampliação do metrô até Santo Amaro, que entra na fase final, resgata dívida histórica da cidade

Com um investimento de R$ 7,5 bilhões, a expansão da Linha 5-Lilás está em pleno andamento com a operação assistida de um trecho, a Estação Adolfo Pinheiro, e o avanço de mais de 50% da Estação Brooklin, uma das mais importantes do novo trecho que terá 10 km e 10 estações (Alto da Boa Vista, Borba Gato, Brooklin, Campo Belo, Eucaliptos, Moema, AACD-Servidor, Hospital São Paulo, Santa Cruz e Chácara Klabin).

Somente quando estiver pronta, haverá a sonhada integração com a futura Linha 17 – Ouro e com a Linha 1 - Azul e a Linha 2 – Verde, atingindo uma estimativa de 781 mil passageiros por dia, e conectando o extremo da Zona Sul de São Paulo ao Centro. A expansão da Linha 5 representará a acessibilidade de uma das regiões mais populosas e distantes do centro da capital paulista: a região do Campo Limpo e Capão Redondo e conta com a promessa do governador Geraldo Alckmin de chegar até o Jardim Ângela. "É uma linha muito importante, porque é integradora além de passar por muitos hospitais", disse o governador Geraldo Alckmin.

Os investimentos dessa primeira etapa contam com recursos do Tesouro do Estado e de financiamento junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).  O projeto conta ainda com financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), de R$ 1,958 bilhão.  A ampliação inclui a construção das estações, escavação de túneis, construção de pátio de manutenção e estacionamento de trens e compra de 26 novos trens. A obra de expansão da Linha 5 foi iniciada em 2009 e tinha previsão de entrega para 2013. Mas enfrentou denúncias de irregularidades e atrasos nas desapropriações, jogando sua conclusão para 2016.

A estação Adolfo Pinheiro foi a primeira a ser concluída e entrou em operação assistida no início do ano. Seu projeto sintetiza uma série de conceitos de sustentabilidade empregados ao longo da ampliação.  Implantada sob o viário da Avenida Adolfo Pinheiro, a estação de 4.192,46 m² de área construída, a estimativa é de que ela receba14 mil passageiros diariamente, em média. A parada conta com dois acessos, bilheterias blindadas, quatro elevadores especiais, doze escadas rolantes "inteligentes", que economizam energia porque funcionam em velocidade reduzida quando não há usuários nelas, piso tátil, implantado para facilitar o deslocamento autônomo de deficientes visuais e portas de plataforma, que dificultam as quedas de objetos na via, possibilitando aos trens cumprirem o tempo de parada programado.