FECHAR
FECHAR
27 de julho de 2014
Voltar
Edição Especial Número 50

Metrô Rio

Prometida para o primeiro semestre de 2016, Linha 4 atenderá a mais de 300 mil pessoas

A despeito das dificuldades técnicas de execução, as obras da Linha 4 do Metrô Rio, segundo informações do consórcio construtor, seguem dentro do cronograma. O início de operação do novo sistema de transporte público está previsto para o primeiro semestre de 2016, depois de passar por uma fase de testes.

Estima-se que o modal deverá transportar mais de 300 mil pessoas por dia e retirar das ruas cerca de 2 mil veículos por hora/pico. Além disso, com a nova linha, todo o sistema metroviário da cidade será disponibilizado para a população carioca, com o pagamento de apenas uma única tarifa.

Trata-se de uma obra de alta complexidade, que exigiu o emprego de engenharia avançada e apoio de conhecimentos técnicos de profissionais especializados, brasileiros e estrangeiros. O principal desafio, entretanto, foi desenvolver as metodologias construtivas para a execução das obras subterrâneas, conciliando logística, relação com a comunidade e evitando, ao máximo, transtornos para o dia a dia e para a rotina da população que mora ou transita pelo ser entorno.

A Linha 4 do Metrô (Barra da Tijuca – Ipanema) terá 16 km de extensão e seis estações, todas em construção: Jardim Oceânico, São Conrado, Gávea, Antero de Quental, Jardim de Alah e Nossa Senhora da Paz.

No Jardim Oceânico, a escavação da estação já está concluída. Em São Conrado, a construção do mezanino está em fase de conclusão. Na Gávea, está sendo executado o shaft de acesso. Nas estações Antero de Quental e Jardim de Alah, está sendo executado o jet grouting e a parede diafragma. Na Nossa Senhora da Paz, as escavações estão em vias de conclusão.

Já foram escavados mais de 8 mil metros de túneis entre a Barra da Tijuca e a Gávea. O maior bitúnel entre estações metroviárias do mundo, sob rocha, tem 5 km de extensão, ligando as estações Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca, Zona Oeste da cidade, e São Conrado, no bairro de mesmo nome, na Zona Sul carioca. Nesse trecho, os trilhos da via permanente, por onde vão passar os trens, estão sendo instalados.

Frentes de trabalho

Segundo o pool de empresas construtoras, há quatro frentes de trabalho que escavam os túneis em direção a São Conrado e à Gávea, na Zona Sul.

Para transpor o Canal da Barra, está sendo construída a primeira ponte estaiada para metrô no Rio de Janeiro, na Barra da Tijuca. O serviço está em fase de execução das fundações dos pilares que terão 76 m de altura, de onde sairão os cabos de aço até a base da ponte. O tabuleiro da ponte terá 210 m de comprimento, além dos trechos dos elevados de transição para a galeria subterrânea e túnel.