FECHAR
FECHAR
11 de setembro de 2014
Voltar
Matéria de Capa - Construção Imobiliária

No Itaim, retrofit é orientado por requisitos da certificação LEED

Prédio abandonado em área nobre de São Paulo é modernizado a partir de intervenções orçadas em R$ 25 milhões

Modernizar um antigo edifício para adaptá-lo a uma nova ocupação. Esse modelo de negócio é um dos nichos explorados pela São Carlos.  Em 2010, a empreendedora adquiriu o Edifício Barros Loureiro, localizado na Avenida 9  de Julho, no bairro do Itaim Bibi, uma das mais  movimentadas e nobres regiões de São Paulo. O edifício, que estava desativado havia três anos, foi comprado por R$ 39 milhões e recebeu investimento da ordem de R$ 25 milhões para adaptar-se às novas demandas físicas das áreas comerciais, garantindo maior conforto ao ocupante, economia de manutenção e acesso às novas tecnologias.

A São Carlos é uma das principais empresas de investimentos e administração de imóveis comerciais do Brasil. Seu objetivo é maximizar a receita de aluguel dos imóveis e o valor do seu portfólio. A sua estratégia de negócios inclui: investir em imóveis comerciais inserindo melhorias que atendam a demanda dos novos ocupantes. A empresa tem atualmente um portfólio que inclui principalmente edifícios de escritórios padrão classe A e lojas de varejo, localizados nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Começou a operar em 1999 a partir da cisão dos ativos imobiliários das Lojas Americanas, e hoje é uma companhia de capital aberto com ações listadas no Novo Mercado da BM&F Bovespa.

O retrofit do Barros Loureiro reativou o imóvel, que estava sem uso desde 2007. A premissa básica do retrofit é orientada pelos requisitos da certificação Leadership in Energy and Environmental Design – Leed de sustentabilidade, incluindo itens para redução do impacto ambiental, tornando mais eficientes o uso de recursos como energia elétrica, iluminação e ar condicionado, transformando-o em imóvel padrão AAA. Além do retrofit, o empreendimento inclui um edifício garagem em terreno contíguo, que já pertencia à São Carlos, elevando de 92 para 271 o  número de vagas.

A região do Itaim e Vila Olímpia agrega um dos principais polos empresariais da cidade, onde há forte demanda pela locação de lajes corporativas. Atualmente, o valor de locação para imóveis como este na região, de acordo com a consultoria CB Richard Ellis, pode alcançar R$ 150/m2 por mês.

Alterações cirúrgicas e uso de pré-moldados

Após adquirir o edifício, o investidor contratou a construtora Matec para ficar à frente do retrofit.  “A partir disso fizemos alterações para adaptar o prédio às atuais necessidades de mercado e legislação vigente. Também fizemos adaptações pensando nos requisitos da certificação Leed de sustentabilidade, destaca Marcelo Pulcinelli, diretor de Engenharia da Matec.