FECHAR
FECHAR
27 de julho de 2014
Voltar
Edição Especial Número 50

Jogo aéreo

Aeroporto de Natal decide a partida no finalzinho do segundo tempo

Quase aos 45 minutos do segundo tempo (em linguagem futebolística, já que vivemos as emoções da copa mundial de futebol), mas plenamente dentro do tempo regulamentar, surge um novo aeroporto em Natal (RN)

O Consórcio Inframérica inaugurou, no último dia 9 de junho, as principais e fundamentais obras do Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, na Região Metropolitana de Natal, no Estado do Rio Grande do Norte (RN).

Entretanto, as operações do novo terminal aeroportuário começaram no dia 31 de maio, o que garantiu um período de testes para “afinar” seus instrumentos, avaliar suas instalações e treinar suas equipes, visando deixar tudo preparado para o enfrentamento do seu primeiro real desafio, ou seja, atender ao intenso fluxo de torcedores provenientes de todo o País e, principalmente, de outras regiões do globo, para assistir às partidas disputadas na Arena das Dunas, em Natal, válidas para um dos maiores espetáculos esportivos mundiais, ou seja, a Copa do Mundo de Futebol de 2014.

Apesar de ser esse, reconhecidamente, um duro teste para o novo aeroporto, sua principal vocação, no entanto, é tornar-se um importante hub de cargas e passageiros para a América Latina, com a potencial possibilidade de vir a ser o maior terminal de cargas do continente e o sétimo do mundo.

Entre as vantagens logísticas do aeroporto de São Gonçalo do Amarante, sem dúvida, está a sua estratégica localização. A distância entre o Rio Grande do Norte e a Europa e a Ásia pode representar uma economia de até 30% de combustível, em relação ao aeroporto de Guarulhos (São Paulo), por exemplo, o que representa um significativo fator positivo, principalmente quando se trata de aeronavegação em longas distâncias. Isso poderá possibilitar, inclusive, a eliminação da necessidade de escalas para reabastecimento.

A inauguração oficial, como não poderia deixa de ser, foi festiva. Contou com a presença do ministro de Aviação Civil, Moreira Franco, representando a presidente Dilma Roussef. Estiveram presentes ainda outras autoridades, como a governadora do Estado do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini, o presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB), e o prefeito de São Gonçalo do Amarante, Jaime Calado, além dos representantes do consórcio e das construtoras responsáveis pelo empreendimento.

“A primeira semana de funcioname


Quase aos 45 minutos do segundo tempo (em linguagem futebolística, já que vivemos as emoções da copa mundial de futebol), mas plenamente dentro do tempo regulamentar, surge um novo aeroporto em Natal (RN)

O Consórcio Inframérica inaugurou, no último dia 9 de junho, as principais e fundamentais obras do Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, na Região Metropolitana de Natal, no Estado do Rio Grande do Norte (RN).

Entretanto, as operações do novo terminal aeroportuário começaram no dia 31 de maio, o que garantiu um período de testes para “afinar” seus instrumentos, avaliar suas instalações e treinar suas equipes, visando deixar tudo preparado para o enfrentamento do seu primeiro real desafio, ou seja, atender ao intenso fluxo de torcedores provenientes de todo o País e, principalmente, de outras regiões do globo, para assistir às partidas disputadas na Arena das Dunas, em Natal, válidas para um dos maiores espetáculos esportivos mundiais, ou seja, a Copa do Mundo de Futebol de 2014.

Apesar de ser esse, reconhecidamente, um duro teste para o novo aeroporto, sua principal vocação, no entanto, é tornar-se um importante hub de cargas e passageiros para a América Latina, com a potencial possibilidade de vir a ser o maior terminal de cargas do continente e o sétimo do mundo.

Entre as vantagens logísticas do aeroporto de São Gonçalo do Amarante, sem dúvida, está a sua estratégica localização. A distância entre o Rio Grande do Norte e a Europa e a Ásia pode representar uma economia de até 30% de combustível, em relação ao aeroporto de Guarulhos (São Paulo), por exemplo, o que representa um significativo fator positivo, principalmente quando se trata de aeronavegação em longas distâncias. Isso poderá possibilitar, inclusive, a eliminação da necessidade de escalas para reabastecimento.

A inauguração oficial, como não poderia deixa de ser, foi festiva. Contou com a presença do ministro de Aviação Civil, Moreira Franco, representando a presidente Dilma Roussef. Estiveram presentes ainda outras autoridades, como a governadora do Estado do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini, o presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB), e o prefeito de São Gonçalo do Amarante, Jaime Calado, além dos representantes do consórcio e das construtoras responsáveis pelo empreendimento.

“A primeira semana de funcionamento foi certamente desafiadora, mas tranquila. Registramos cerca de 500 operações, entre pousos e decolagens, realizadas com funcionamento perfeito. A mudança de aeroporto foi complexa, mas demos conta do recado e estamos operando 100%, com todos os voos nacionais e internacionais”, destacou Alysson Paolinelli, presidente da Inframérica.

Paolinelli acredita que hub não seria o termo mais adequado para o empreendimento: “Eu acredito que esse terminal tem potencial para se tornar uma porta de entrada no País de voos vindos do exterior".

Jogo polivalente, com eficiência e praticidade

O Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, tem infraestrutura moderna e inteligente, que alia conceitos de conforto, eficiência e praticidade. No piso do embarque, foram implantados 42 balcões de check-in compartilhados e 6 totens de autoatendimento, também compartilhados entre as companhias aéreas. Com esse “jogo de cintura”, os sistemas estão distribuídos num terminal de pé direito alto, amplo, iluminado e muito confortável.

O compartilhamento dos balcões permite, entre outras vantagens, a redistribuição de filas de passageiros. Isto é, quando uma companhia aérea tiver mais voos do que outra, ela ocupará um número maior de posições para garantir o embarque com maior rapidez. Painéis dinâmicos, acima dos balcões, serão permanente e instantaneamente atualizados com informações sobre qual companhia aérea está atuando em cada posição de atendimento ao viajante.

Ao embarcar, o passageiro passa pelo controle de segurança, entra em uma grande loja e, em seguida, acessa à sala de embarque, que possui espaçosas dimensões, dotada de seis pontes de embarque para acoplar até oito aeronaves ao mesmo tempo. O salão de espera é equipado com vasta quantidade de poltronas e de opções para alimentação.

No piso do desembarque, o passageiro faz a retirada das malas, em uma ala com seis esteiras de bagagem. No caminho de sua saída, ele cruzará o chamado Corredor do Turismo, onde estão concentrados todos os serviços necessários para o visitante, como os de traslados, táxis, casa de câmbio, etc.

O novo aeroporto, de acordo com Paolinelli, nasce com capacidade anual para mais de 6 milhões de passageiros. “Estamos entregando um terminal capaz de atender a mais do que o dobro do movimento atual. Este é, portanto, um aeroporto do futuro”, destaca o presidente da Inframérica.

Segundo ele, o terminal de São Gonçalo foi planejado para crescer: “As obras do novo aeroporto estão sendo entregues, mas é possível ver muita movimentação ao seu redor. Isso é positivo, representa expansão. Vamos ter hotel, posto de combustíveis, espaço para indústrias e logística. O que se espera, portanto, é ter muito mais obras ao redor do aeroporto para novos empreendimentos, o que deverá trazer mais desenvolvimento para a região”.

A concessão

 

O contrato de concessão, conquistado pela Inframérica, tem prazo de duração de 28 anos. Durante os quais estão previstos investimentos da ordem de R$ 650 milhões. Até o momento da sua inauguração, entretanto, já foram investidos cerca de R$ 500 milhões.

 

Mesmo sendo lançado em cima da hora do seu principal e decisivo desafio (Copa 2014), a obras do terminal de passageiros, pistas, pátio, terminal de cargas e estacionamento tiveram início de operação sete meses antes do prazo contratual, de acordo com a concessionária.

O empreendimento, que gerou 4 mil empregos diretos durante as obras e cerca de 3 mil indiretos, terá capacidade de atendimento, na sua primeira fase, para 6,2 milhões de passageiros por ano, o que já satisfaz a demanda prevista para o ano de 2024. Na segunda fase, essa capacidade anual será ampliada para 11 milhões de passageiros, demanda esperada para o ano de 2038.

Características do Terminal de Passageiros

- Área total: 42 mil m²

- 860 vagas de estacionamento

- 42 balcões de check-in e 6 quiosques de autoatendimento para o embarque dos passageiros

- 8 escadas rolantes

- 22 elevadores

- Desembarque: 6 esteiras de restituição de bagagens, destinadas ao tráfego doméstico e internacional

Pista e infraestrutura de embarque

- Pista de 3.300 m x 60 m, preparada para receber o A 380

- 6 pontes de embarque (fingers), com capacidade para operar 8 aeronaves simultaneamente (duas das pontes recebem até duas aeronaves)

- 10 posições de embarque remoto

- Mais de 210 mil m² de área de pátio

Terminal de cargas

O edifício de estocagem e operações de importação e exportação possui setores de serviços e escritórios, com área de 4 mil m² e capacidade de processamento de 10 mil toneladas por ano.

Serviços e conectividade

- Total de estabelecimentos comerciais previstos: 55. Exemplos: Hudson News, Casa do Pão de Queijo, Restaurante e Bar Delfina, Pizza Hut, Espaço Árabe, Bob´s, 3 lojas Dufry, farmácia, serviços de locadoras de carros, casa de câmbio, entre outros.

- O site www.natal.aero tem todas as informações sobre o aeroporto, horários de voos e dados úteis para os passageiros, como informações sobre aluguel de carro, taxi, transportes para chegar ao aeroporto, download do guia do passageiro, contatos dos órgãos públicos.

- Aplicativo e Free wifi

- Customer Service bilíngue 24 horas

Torre de controle

A torre de controle é equipada com a mais recente tecnologia disponível para auxílio e proteção de voos (balizamento, pista, centerline, ALFS, ILS, Papi, Farol rotativo, VOR, DME, estações meteorológicas).

Combate a incêndio

Para o combate a incêndio, o sistema adotado é equipado para atender a ocorrências aeronáuticas e prestar atendimento de saúde de alta complexidade (categoria 9).

Controle de acesso

A entrada do aeroporto terá controle de acesso de segurança. Ao chegar, o veículo terá sua placa registrada no sistema do aeroporto, o que não será pago. O controle prevê pagamento apenas para o estacionamento, caso o passageiro o utilize.

Quem vier, por exemplo, deixar um passageiro, passará pelo controle sem pagar, deixará o passageiro e poderá ir embora sem pagar nada também, desde que não utilize o estacionamento. Neste caso, entre entrada e saída, haverá um tempo de 20 minutos de tolerância, sem que haja cobrança. Caso queira ficar mais tempo no aeroporto, o visitante deverá pagar estacionamento.

Corredor do turismo

No desembarque, o passageiro passará pelo Corredor do Turismo, uma área onde estarão concentrados todos os serviços necessários ao turista, como casa de câmbio, órgãos públicos, taxi, receptivos, aluguel de carro, transfer e outras formas de atendimento.

Números do terminal

O sistema de fundação do novo aeroporto de Natal, utilizou 1.200 estacas com cerca de 18 m de profundidade e diâmetro médio de 60 cm. Para o revestimento do piso do aeroporto foram usados 25.000 m² de granito, o que equivale, em massa, a 1.400.000 kg de pedra natural. Outros números expressivos são: mais de 37 mil m³ de concreto foram utilizados na expansão – o que daria para encher 15 piscinas olímpicas –; instalação de 2 mil km de cabos elétricos; e 3,7 milhões de quilos de aço para a armação do concreto empregado na construção.

Transporte

A principal opção de transporte para os viajantes, além do sistema de táxis, será a linha regular de ônibus operada pela empresa Trampolim da Vitória, que responderá pelo transporte coletivo intermunicipal de passageiros entre a capital potiguar, as cidades de Parnamirim, Macaíba e São Gonçalo do Amarante, até o novo aeroporto. Esse serviço deve funcionar de 4h30 às 24h, com uma frequência de 25 minutos. Informações completas relacionadas às linhas, horários, tarifas e sistemas de integração entre os municípios estarão disponíveis no site www.trampolimdavitoria.com.

Haverá também o traslado efetuado pelas empresas de turismo e o shuttle, que é o traslado aeroporto para cidade de Natal, em ônibus executivo entre Ponta Negra e o aeroporto. Sistema que aguarda, entretanto, a autorização do DER-RN. No site www.natal.aero, o passageiro também encontra informações atualizadas sobre voos, serviços de transporte, táxi, lojas e dados úteis para a sua viagem.

Estacionamento

O estacionamento é administrado pela Estapar. A novidade é que o estacionamento terá tabela especial de tarifas para longas estadias, para quem quiser deixar o carro no estacionamento durante as viagens.

Consórcio

O Consórcio Inframérica é composto pelas empresas Infravix, controlada pelo Grupo Engevix – um dos maiores grupos de infraestrutura com mais 50 anos de experiência e atuação nas áreas de engenharia consultiva, construção, energia, óleo e gás e concessões de infraestrutura –, e Corporación América – holding de origem argentina diversificada em agroindústria, construção, energia e serviços na América Latina e Europa, líder regional na produção de semicondutores (em Belo Horizonte com Six Semicondutores e em Buenos Aires com Unitec Blue).

A holding argentina é considerado o maior operador aeroportuário privado do mundo, tendo sob sua administração 53 aeroportos na Argentina, Brasil, Uruguai, Peru, Equador, Itália e Armênia.

Cada empresa componente do consórcio detém participação de 50% na Sociedade de Propósito Específico (SPE). A SPE foi criada para construir e operar o Aeroporto de São Gonçalo.