ABRIR
FECHAR
ABRIR
FECHAR
31 de março de 2011
Voltar
Especial Nordeste / Logística

R$ 3 bilhões para aumentar a capacidade de Suape

Os investimentos públicos no Porto de Suape, em Pernambuco, vão mais do que dobrar nos próximos quatro anos. Se foram investidos R$ 1,4 bilhão em infraestrutura entre 2007 e 2010, a previsão é de uma injeção de R$ 3 bilhões até 2014, em recursos do tesouro estadual, do governo federal, de convênios e financiamentos. Os aportes do governo do estado devem aumentar, superando os R$ 300 milhões do período anterior. Segundo o novo vice-presidente de Suape, Frederico Amâncio, entre as prioridades está a conclusão de obras viárias, como a duplicação do TDR-Norte (que vai ficar com 17 m de largura) e da rodovia de contorno da Refinaria Abreu e Lima, com dois grandes viadutos na entrada de Suape.

Também está no topo da lista a dragagem para ampliação do polo naval, inclusive para atender à instalação do Estaleiro Promar, cujas obras começaram em fevereiro. A dragagem está estimada em R$ 105 milhões, com recursos da Secretaria Nacional dos Portos.

Ainda no topo da lista de prioridades estão as obras de terraplanagem para viabilizar a instalação da unidade da Fiat e da siderúrgica de Suape. Já estão em fase final de aplicação os recursos antecipados pela Petrobras (R$ 475 milhões) para o píer petroleiro (PGL-3) e obras de acesso ao píer e reforço do cabeço, além de sinalização náutica. O aprofundamento do canal de acesso é necessário para permitir a atracação de grandes navios petroleiros.

Suape está prestes a assinar o contrato de operação do terminal açucareiro com a inglesa ED&F Man, além de estar licitando a construção da Express Way (do Hospital Dom Hélder à TDR-Norte, em um trecho de 8 km) e vai abrir licitação para um novo terminal de granéis sólidos.

A empresa que administra o porto, que hoje é pública, poderá se transformar em sociedade de economia mista ainda este ano. Muitos acham que esse processo é irreversível, pois vai facilitar a captação de recursos. Dependerá apenas da vontade do governador Eduardo Campos a decisão sobre a abertura do capital da empresa Suape, mas é pouco provável que a discussão ocorra ainda em 2011.

Pier petroleiro
A construção do pier petroleiro PGL-3, com 660 m de comprimento, começou em novembro de 2008. Os serviços e obras complementares e acessórias têm por objetivo permitir a navegação e atracação de navios petroleiros com até 170 mil TPB, Suezmax, com calado operacional de 17 m. Faz


Os investimentos públicos no Porto de Suape, em Pernambuco, vão mais do que dobrar nos próximos quatro anos. Se foram investidos R$ 1,4 bilhão em infraestrutura entre 2007 e 2010, a previsão é de uma injeção de R$ 3 bilhões até 2014, em recursos do tesouro estadual, do governo federal, de convênios e financiamentos. Os aportes do governo do estado devem aumentar, superando os R$ 300 milhões do período anterior. Segundo o novo vice-presidente de Suape, Frederico Amâncio, entre as prioridades está a conclusão de obras viárias, como a duplicação do TDR-Norte (que vai ficar com 17 m de largura) e da rodovia de contorno da Refinaria Abreu e Lima, com dois grandes viadutos na entrada de Suape.

Também está no topo da lista a dragagem para ampliação do polo naval, inclusive para atender à instalação do Estaleiro Promar, cujas obras começaram em fevereiro. A dragagem está estimada em R$ 105 milhões, com recursos da Secretaria Nacional dos Portos.

Ainda no topo da lista de prioridades estão as obras de terraplanagem para viabilizar a instalação da unidade da Fiat e da siderúrgica de Suape. Já estão em fase final de aplicação os recursos antecipados pela Petrobras (R$ 475 milhões) para o píer petroleiro (PGL-3) e obras de acesso ao píer e reforço do cabeço, além de sinalização náutica. O aprofundamento do canal de acesso é necessário para permitir a atracação de grandes navios petroleiros.

Suape está prestes a assinar o contrato de operação do terminal açucareiro com a inglesa ED&F Man, além de estar licitando a construção da Express Way (do Hospital Dom Hélder à TDR-Norte, em um trecho de 8 km) e vai abrir licitação para um novo terminal de granéis sólidos.

A empresa que administra o porto, que hoje é pública, poderá se transformar em sociedade de economia mista ainda este ano. Muitos acham que esse processo é irreversível, pois vai facilitar a captação de recursos. Dependerá apenas da vontade do governador Eduardo Campos a decisão sobre a abertura do capital da empresa Suape, mas é pouco provável que a discussão ocorra ainda em 2011.

Pier petroleiro
A construção do pier petroleiro PGL-3, com 660 m de comprimento, começou em novembro de 2008. Os serviços e obras complementares e acessórias têm por objetivo permitir a navegação e atracação de navios petroleiros com até 170 mil TPB, Suezmax, com calado operacional de 17 m. Faz parte do projeto a construção de tubovia, obras de dragagem, prolongamento e reforço do molhe, sinalização náutica do canal de acesso e malha de acesso viário.

O empreendimento é da Petrobras e as obras estão a cargo do consórcio formado pela CBPO Engenharia (50%), Construtora Andrade Gutierrez (25%) e Construtora OAS (25%).

 

Av. Francisco Matarazzo, 404 Cj. 701/703 Água Branca - CEP 05001-000 São Paulo/SP

Telefone (11) 3662-4159

© Sobratema. A reprodução do conteúdo total ou parcial é autorizada, desde que citada a fonte. Política de privacidade