FECHAR
FECHAR
11 de setembro de 2014
Voltar
Logística

Novidade para as ferrovias brasileiras

GE Transportation lança locomotiva para ferrovias de bitola métrica e motor em corrente alternada, fabricada no Brasil, podendo ser financiada pelo BNDES

Atenta às perspectivas de desenvolvimento da infraestrutura de transporte sobre trilhos no Brasil, com as novas concessões ferroviárias, a GE Transportation acaba de lançar a locomotiva Evolution ES43BBi. A máquina será produzida no Brasil e atenderá a demanda de clientes que buscam uma locomotiva de alta performance, desenvolvida especificamente para atender as características das ferrovias de bitola métrica do País. Atualmente não existe no mercado brasileiro uma locomotiva para bitola métrica com oito eixos, tecnologia de corrente alternada (AC) e dimensões adequadas para atender condições restritas que são características das ferrovias brasileiras. Até o momento, esse segmento de mercado era atendido por locomotivas com motores de tração de corrente contínua (DC), como a D9-40 BBW da companhia.

A locomotiva de oito eixos para ferrovias de bitola métrica possibilita uma grande redução de custo operacional, visto que possui, além de motores de tração com a tecnologia AC, um motor diesel de maior eficiência energética, que necessita de menor custo de manutenção. Além disso, possibilita uma grande redução de investimento na frota, já que duas ES43BBi podem substituir de três a cinco máquinas com seis eixos.

Atualmente, o Brasil tem uma extensão de 23 mil quilômetros em ferrovias de bitola métrica, o que representa praticamente 80% da malha ferroviária do País. “A nova locomotiva suprirá uma importante demanda do mercado nacional de transportar mais carga com menos custos em ferrovias de bitola métrica, além de ser uma oportunidade de substituir locomotivas antigas, de 1970 e 1980. A ES43BBi da GE irá operar com uma maior  eficiência, emitindo até 80% a menos de poluentes”, afirma Marc Flammia, Diretor de Tecnologia  da GE Transportation.

A máquina ainda possibilita a significativa redução no consumo de combustível em relação às máquinas que hoje estão em circulação e aumenta em mais de 100% a capacidade de carga. O controle de tração de eixo individual possibilita ainda melhor capacidade de aderência e maior confiabilidade no despacho de trens.

A nova locomotiva utilizará o motor a tração para bitola métrica, anunciado pela GE em outubro de 2013, que proporciona até o dobro da capacidade de tração, utilizando de melhor forma o espaço disponível na bitola estreita em relação aos motores de correntes contínua. O modelo terá índice de naci


Atenta às perspectivas de desenvolvimento da infraestrutura de transporte sobre trilhos no Brasil, com as novas concessões ferroviárias, a GE Transportation acaba de lançar a locomotiva Evolution ES43BBi. A máquina será produzida no Brasil e atenderá a demanda de clientes que buscam uma locomotiva de alta performance, desenvolvida especificamente para atender as características das ferrovias de bitola métrica do País. Atualmente não existe no mercado brasileiro uma locomotiva para bitola métrica com oito eixos, tecnologia de corrente alternada (AC) e dimensões adequadas para atender condições restritas que são características das ferrovias brasileiras. Até o momento, esse segmento de mercado era atendido por locomotivas com motores de tração de corrente contínua (DC), como a D9-40 BBW da companhia.

A locomotiva de oito eixos para ferrovias de bitola métrica possibilita uma grande redução de custo operacional, visto que possui, além de motores de tração com a tecnologia AC, um motor diesel de maior eficiência energética, que necessita de menor custo de manutenção. Além disso, possibilita uma grande redução de investimento na frota, já que duas ES43BBi podem substituir de três a cinco máquinas com seis eixos.

Atualmente, o Brasil tem uma extensão de 23 mil quilômetros em ferrovias de bitola métrica, o que representa praticamente 80% da malha ferroviária do País. “A nova locomotiva suprirá uma importante demanda do mercado nacional de transportar mais carga com menos custos em ferrovias de bitola métrica, além de ser uma oportunidade de substituir locomotivas antigas, de 1970 e 1980. A ES43BBi da GE irá operar com uma maior  eficiência, emitindo até 80% a menos de poluentes”, afirma Marc Flammia, Diretor de Tecnologia  da GE Transportation.

A máquina ainda possibilita a significativa redução no consumo de combustível em relação às máquinas que hoje estão em circulação e aumenta em mais de 100% a capacidade de carga. O controle de tração de eixo individual possibilita ainda melhor capacidade de aderência e maior confiabilidade no despacho de trens.

A nova locomotiva utilizará o motor a tração para bitola métrica, anunciado pela GE em outubro de 2013, que proporciona até o dobro da capacidade de tração, utilizando de melhor forma o espaço disponível na bitola estreita em relação aos motores de correntes contínua. O modelo terá índice de nacionalização superior a 60% para atender as normas de financiamento do BNDES.

Nacionalização crescente

No início do ano, a GE Transportation entregou à Brado Logística – empresa especializada no transporte multimodal e armazenagem, com ênfase na movimentação de contêineres – três novas locomotivas Dash9 com índice de nacionalização superior a 50%. As máquinas, fabricadas na planta da GE em Contagem (MG), marcaram o início do Plano de Nacionalização Progressiva (PNP), assinado pela montadora com o BNDES. O acordo fechado em 2012 tem duração de três anos e prevê alcançar índice de nacionalização de até 60% para o modelo de locomotiva de bitola métrica.

As máquinas visam o transporte de carga na região Sul do País. A parceria entre a Brado Logística e a GE Transportation faz parte dos planos da Brado de ampliar o volume de containers transportados a cada ano. “O incremento da frota com as locomotivas da GE está totalmente ligado à estratégia de ampliar o volume e o nível de serviço das nossas operações logísticas. Contamos com a parceria da GE para suportar nosso rápido crescimento e nos ajudar a mudar a forma que contêineres são transportados no Brasil”, afirma José Luís Demeterco, presidente da Brado Logística.

A GE investiu US$ 20 milhões no projeto de nacionalização para a expansão da fábrica e no desenvolvimento de fornecedores nacionais, que receberam treinamento e homologação para atender essa demanda. O aporte faz parte do plano de investimentos de US$ 35 milhões da GE para a fábrica de Contagem, no período 2008-2013.

“A GE está totalmente comprometida em trabalhar pelo desenvolvimento de locomotivas e equipamentos para atender à crescente demanda do País em infraestrutura ferroviária. É uma grande satisfação participar desse movimento e apoiar as operações da Brado com a tecnologia necessária para a expansão de suas operações”, afirma Rogério Mendonça, presidente e CEO da GE Transportation.

O contrato com a Brado envolve a compra da Dash9, modelo voltado para a bitola métrica, com oito eixos em plataforma articulada, o que favorece a operação em trechos sinuosos. A locomotiva combina alto esforço trator com baixo peso por eixo e é a única da categoria equipada com tanque de combustível com capacidade de 15 mil litros.

Plano de Nacionalização Progressiva (PNP)

O Plano de Nacionalização Progressiva (PNP) do BNDES é um programa progressivo com metas de nacionalização anuais. Por meio dele, fabricantes acessam linhas de financiamento com prazo de até 10 anos para pagamentos e taxas de juros de 3,5% ao ano.

“A parceria com o BNDES para a nacionalização de locomotivas introduz novas tecnologias na cadeia nacional e ajuda a transformar o País em um polo de produção no segmento ferroviário. Entendemos que o plano é uma oportunidade para fomentar a indústria ferroviária brasileira e ainda facilitar a aquisição das locomotivas. Desta forma, todos ganham”, finaliza Rogério Mendonça, presidente e CEO da GE Transportation para a América Latina.