FECHAR
FECHAR
01 de julho de 2014
Voltar
Logística

A tendência é compartilhar para crescer

Empresas de logísticas adotam o modelo dos condomínios para otimizar custos, utilizar tecnologias de ponta e aproveitar as vantagens de localizações estratégicas

Distribution Park Embu II, condomínio logístico situado em terreno de 127 mil m², com área locável de 52,3 mil m², desenvolvido dentro do conceito de galpões modulares

Os problemas de circulação nos grandes centros urbanos, aliados às necessidades de reduzir custos operacionais, elevar o padrão de eficiência operacional e superar gargalos como restrição de locais e horários para circulação de caminhões; rodízio municipal de veículos, engarrafamentos quilométricos nas vias etc, têm levado à proliferação dos empreendimentos que passaram a ser conhecidos como condomínios logísticos. O conceito básico é semelhante ao dos condomínios residenciais, onde os condôminos assumem seus custos individuais e compartilham os custos coletivos.

De uma forma geral, eles estão localizados nas periferias dos grandes centros ou cidades do interior próximas às capitais, em sua maior parte nas regiões Sudeste e Sul do País. Mas a tendência já começa a ganhar territórios também no Norte e Nordeste brasileiros. A única exigência, de acordo com André Alfonso Garcia, superintendente de Contratos da Libercon Engenharia, é que esses locais possuam posições geográficas estratégicas junto a importantes rodovias, oferecendo acesso fácil a portos e aeroportos.

A Libercon é uma das grandes construtoras nacionais que descobriu esse nicho de mercado, e se especializou na construção de condomínios logísticos e no desenvolvimento de soluções completas para essas instalações, que podem abrigar centros de distribuição, armazéns, gráficas, linhas de montagem e até plantas indústrias leves.

A empresa é a responsável pela construção de um dos maiores empreendimentos deste setor no país. Localizado a cerca de 17 km do Aeroporto Internacional de Guarulhos, a 24 km da Marginal Tiete e fácil acesso à Rodovia Presidente Dutra, Rodovia Ayrton Senna, Rodovia dos Tamoios, ao Rodoanel, o condomínio industrial GLP Guarulhos surge como empreendimento diferenciado na área de logística.  O complexo contará com um viaduto uso privado que facilitará o acesso dos caminhões, acabando com um gargalo que existia no local e acabava afetando os demais veículos. O investimento é da Global Logistic Properties, empresa líder de mercado na China e no Japão e que chega com apetite para disputar o mercado brasileiro.

O site ocupa uma área de 1,2 milhão de m2 de terreno e foi projetado especialmente para atender empresas de logística, multinacionais e indústrias. A segunda fase de obras já foi iniciada com previsão de término para o segundo semestre deste ano. Quando pronto, contará com 15 galpões em mais de 400 mil m² construídos.