P U B L I C I D A D E

ABRIR
FECHAR

P U B L I C I D A D E

ABRIR
FECHAR
RODOVIAS
Voltar

Leilões de rodovias preveem até R$ 10 bilhões em obras em MG

Projetos incluem lote Triângulo Mineiro e PPPs do Rodoanel de BH e do Sul de Minas

Valor Econômico

04/08/2022 14h46


Segundo reportagem do jornal Valor Econômico, na próxima semana o governo de Minas Gerais planeja realizar uma sequência de três leilões de concessões rodoviárias.

Ao todo, estão previstos cerca de R$ 10 bilhões de investimentos. Na segunda-feira (8), deve ser realizada a concorrência do lote Triângulo Mineiro. Na sexta (12), estão marcados os leilões das PPPs do Rodoanel de Belo Horizonte e do lote Sul de Minas.

Na primeira licitação, do Triângulo Mineiro, o único grupo a entregar proposta foi o Consórcio Infraestrutura MG, formado pela Equipav e pela gestora Perfin.

“Ficamos felizes de ter um entrante no setor. [A Equipav] É um grupo grande que está voltando a atuar em rodovias e que decidiu fazer esse movimento no nosso Estado”, afirmou Fernando Marcato, secretário de Infraestrutura e Mobilidade de Minas Gerais.

O bloco do Triângulo Mineiro, que reúne 627,4 km de estradas, prevê R$ 3,17 bilhões de investimentos, além de R$ 2,8 bilhões em custos operacionais ao longo dos 30 anos de contrato.

O critério do leilão é

...

Segundo reportagem do jornal Valor Econômico, na próxima semana o governo de Minas Gerais planeja realizar uma sequência de três leilões de concessões rodoviárias.

Ao todo, estão previstos cerca de R$ 10 bilhões de investimentos. Na segunda-feira (8), deve ser realizada a concorrência do lote Triângulo Mineiro. Na sexta (12), estão marcados os leilões das PPPs do Rodoanel de Belo Horizonte e do lote Sul de Minas.

Na primeira licitação, do Triângulo Mineiro, o único grupo a entregar proposta foi o Consórcio Infraestrutura MG, formado pela Equipav e pela gestora Perfin.

“Ficamos felizes de ter um entrante no setor. [A Equipav] É um grupo grande que está voltando a atuar em rodovias e que decidiu fazer esse movimento no nosso Estado”, afirmou Fernando Marcato, secretário de Infraestrutura e Mobilidade de Minas Gerais.

O bloco do Triângulo Mineiro, que reúne 627,4 km de estradas, prevê R$ 3,17 bilhões de investimentos, além de R$ 2,8 bilhões em custos operacionais ao longo dos 30 anos de contrato.

O critério do leilão é híbrido: o grupo poderia oferecer um desconto na tarifa de até 15% e, depois disso, passaria a valer a maior outorga.

Para além da proposta, o vencedor terá que fazer um pagamento de R$ 446,68 milhões ao Fundo Estadual de Desenvolvimento de Transportes, recursos que serão utilizados para subsidiar o Lote Sul de Minas, estruturado como PPP.

Com 454,3 km de rodovias, o bloco prevê investimento de R$ 2,3 bilhões e gasto operacional estimado em R$ 2,3 bilhões.

O valor máximo da contraprestação foi fixado em R$ 438,85 milhões. Vence a licitação o grupo que oferecer o maior desconto sobre a contraprestação e, caso haja empate, pela menor tarifa.

Na avaliação de Marcato, a expectativa é positiva para a semana de leilões mineiros, apelidada pela equipe de “Infra Uai”. “Pelo que temos monitorado, as três licitações vão ser bem-sucedidas”, afirmou.

Para além do cenário difícil de custos e juros, um fator que afastou investidores que chegaram a analisar as concessões mineiras foi a falta de uma agência reguladora constituída, avalia Bruno Aurélio, sócio do Demarest Advogados.

“É algo que traz insegurança, principalmente para atores financeiros”, disse ele.

Av. Francisco Matarazzo, 404 Cj. 701/703 Água Branca - CEP 05001-000 São Paulo/SP

Telefone (11) 3662-4159

© Sobratema. A reprodução do conteúdo total ou parcial é autorizada, desde que citada a fonte. Política de privacidade