ABRIR
FECHAR
09 de setembro de 2021
Voltar

Balneário Camboriú realiza obra de alargamento da faixa de areia da praia

A obra tem por objetivo passar a faixa de areia de atuais 25 metros, em média, para 70 metros
Fonte: G1

A obra de alargamento da faixa de areia da Praia Central, em Balneário Camboriú, no Litoral Norte catarinense, tem chamado a atenção de turistas e moradores.

A etapa de transporte da areia começou em 22 de agosto. Até a noite do dia 2 de setembro, os trabalhos foram feitos em 780 metros da extensão total da praia, que é de 5,8 km, segundo a prefeitura.

A obra tem por objetivo passar a faixa de areia de atuais 25 metros, em média, para 70 metros. Segundo a prefeitura, o trabalho vai permitir, além da proteção da orla contra o avanço das marés, a criação de espaços privilegiados para os moradores e os visitantes. Espaços ao ar livre para esporte, lazer, uma nova ciclovia, paisagismo diferenciado, serão instalados futuramente.

Os trabalhos para o alargamento começaram em março deste ano e têm previsão para ficarem prontos em novembro. Eles são feitos por um consórcio de duas empresas, a brasileira DTA Engenharia e a belga Jan De Nul, vencedor da licitação realizada pelo município. A obra vai custar R$ 66,8 milhões.

Como funciona a dragagem

A draga chegou em 22 de novembro. Ela é um grande navio de 166 metros. A prefeitura explicou que ela retira areia de uma jazida, que fica a 15 quilômetros da cost...


A obra de alargamento da faixa de areia da Praia Central, em Balneário Camboriú, no Litoral Norte catarinense, tem chamado a atenção de turistas e moradores.

A etapa de transporte da areia começou em 22 de agosto. Até a noite do dia 2 de setembro, os trabalhos foram feitos em 780 metros da extensão total da praia, que é de 5,8 km, segundo a prefeitura.

A obra tem por objetivo passar a faixa de areia de atuais 25 metros, em média, para 70 metros. Segundo a prefeitura, o trabalho vai permitir, além da proteção da orla contra o avanço das marés, a criação de espaços privilegiados para os moradores e os visitantes. Espaços ao ar livre para esporte, lazer, uma nova ciclovia, paisagismo diferenciado, serão instalados futuramente.

Os trabalhos para o alargamento começaram em março deste ano e têm previsão para ficarem prontos em novembro. Eles são feitos por um consórcio de duas empresas, a brasileira DTA Engenharia e a belga Jan De Nul, vencedor da licitação realizada pelo município. A obra vai custar R$ 66,8 milhões.

Como funciona a dragagem

A draga chegou em 22 de novembro. Ela é um grande navio de 166 metros. A prefeitura explicou que ela retira areia de uma jazida, que fica a 15 quilômetros da costa, e a armazena em uma cisterna dentro da embarcação.

Depois, a draga faz o transporte da areia até 2,2 quilômetros da praia. Em seguida, os trabalhadores encaixam na embarcação a tubulação que foi colocada no mar para a obra, em etapa anterior. Através desse tubo, a draga leva a areia da cisterna até a orla, junto com água do mar.

Ao final da tubulação, esse material chega à Praia Central. A água do mar escorre e máquinas moldam a areia de forma a fazer o alargamento.

Etapa anterior

Antes da chegada da draga, foi feita a montagem da tubulação. Conforme a prefeitura, ela consiste de 360 tubos de 6 toneladas cada um. Eles foram espalhados pela praia e soldados até terem uma extensão de 2,2 quilômetros.

Depois, o tubo foi levado para o mar para que pudesse ser conectado à draga. Essa etapa terminou cerca de 15 dias antes da chegada da draga.

A Comissão Central de Licenciamento Ambiental do Instituto do Meio Ambiente (IMA) aprovou em 15 de dezembro de 2020 a Licença Ambiental de Instalação (LAI) para as obras de alargamento da faixa. Com o documento, a prefeitura conseguiu assinar a ordem de serviço.

Av. Francisco Matarazzo, 404 Cj. 701/703 Água Branca - CEP 05001-000 São Paulo/SP

Telefone (11) 3662-4159

© Sobratema. A reprodução do conteúdo total ou parcial é autorizada, desde que citada a fonte. Política de privacidade