ABRIR
FECHAR
ABRIR
FECHAR
14 de outubro de 2010
Voltar
Olimpíadas

Marina da Glória, novo pólo esportivo

A Marina da Glória, um dos cartões postais do Rio de Janeiro, deverá se transformar num importante polo esportivo do estado. É o que pretende o Grupo EBX, do empresário Eike Batista. Com o apoio da Prefeitura do Rio, a empresa concluiu no final de setembro o processo de seleção do projeto de revitalização do local, que teve como vencedor o escritório de arquitetura Índio da Costa A.U.D.T. Com as reformas, a Marina estará pronta para realizar competições náuticas durante os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016.

Participaram do concurso arquitetos do Brasil, Estados Unidos, Espanha, Inglaterra, Bélgica, França, Itália e Portugal. Os principais critérios analisados foram apuro técnico, respeito ao patrimônio histórico, preocupação com a sustentabilidade e integração da Marina da Glória ao Parque do Flamengo.

O projeto vencedor será previamente submetido à avaliação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN. Em seguida, será analisado por todos os órgãos competentes, em seus âmbitos de atuação. Todas as normas ambientais e urbanísticas previstas para a área do Parque do Flamengo deverão ser respeitadas.

A adaptação da marina para o Pan, comprada pelo Grupo de Eike Batista em 2009, foi orçada em R$ 43 milhões. Com o investimento, a capacidade do local será ampliada pra 10 mil pessoas. Planeja-se ainda a construção de novos atracadores.

Segundo o grupo de Eike Batista, a nova Marina da Glória deverá compor um complexo turístico e de entretenimento com outros projetos como o Hotel Palace, que contará com uma torre de escritórios e está recebendo investimentos de R$ 200 milhões, e o Pink Fleet, navio de turismo que realiza passeios na Baía de Guanabara.

Como o espaço é tombado pelo patrimônio histórico desde 1969, qualquer intervenção no local deve ser submetida ao Instituto do Patrimônio Artístico e Nacional – Iphan. A Marina da Glória localiza-se no Parque do Flamengo, projetado pelo arquiteto Affonso Reidy e pelo paisagista Roberto Burle Marx.

Polêmicas
As obras para a revitalização da Marina da Glória foram alvos de polêmicas, iniciadas após a construção da nova garagem de barcos na enseada da Marina, próximo ao Aeroporto Santos Dumont. As reformas estariam sendo feitas em área tombada e sem autorização do Iphan. Segundo o órgão, a altura da garagem - um prédio de cinco andares, com 19 mil


A Marina da Glória, um dos cartões postais do Rio de Janeiro, deverá se transformar num importante polo esportivo do estado. É o que pretende o Grupo EBX, do empresário Eike Batista. Com o apoio da Prefeitura do Rio, a empresa concluiu no final de setembro o processo de seleção do projeto de revitalização do local, que teve como vencedor o escritório de arquitetura Índio da Costa A.U.D.T. Com as reformas, a Marina estará pronta para realizar competições náuticas durante os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016.

Participaram do concurso arquitetos do Brasil, Estados Unidos, Espanha, Inglaterra, Bélgica, França, Itália e Portugal. Os principais critérios analisados foram apuro técnico, respeito ao patrimônio histórico, preocupação com a sustentabilidade e integração da Marina da Glória ao Parque do Flamengo.

O projeto vencedor será previamente submetido à avaliação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN. Em seguida, será analisado por todos os órgãos competentes, em seus âmbitos de atuação. Todas as normas ambientais e urbanísticas previstas para a área do Parque do Flamengo deverão ser respeitadas.

A adaptação da marina para o Pan, comprada pelo Grupo de Eike Batista em 2009, foi orçada em R$ 43 milhões. Com o investimento, a capacidade do local será ampliada pra 10 mil pessoas. Planeja-se ainda a construção de novos atracadores.

Segundo o grupo de Eike Batista, a nova Marina da Glória deverá compor um complexo turístico e de entretenimento com outros projetos como o Hotel Palace, que contará com uma torre de escritórios e está recebendo investimentos de R$ 200 milhões, e o Pink Fleet, navio de turismo que realiza passeios na Baía de Guanabara.

Como o espaço é tombado pelo patrimônio histórico desde 1969, qualquer intervenção no local deve ser submetida ao Instituto do Patrimônio Artístico e Nacional – Iphan. A Marina da Glória localiza-se no Parque do Flamengo, projetado pelo arquiteto Affonso Reidy e pelo paisagista Roberto Burle Marx.

Polêmicas
As obras para a revitalização da Marina da Glória foram alvos de polêmicas, iniciadas após a construção da nova garagem de barcos na enseada da Marina, próximo ao Aeroporto Santos Dumont. As reformas estariam sendo feitas em área tombada e sem autorização do Iphan. Segundo o órgão, a altura da garagem - um prédio de cinco andares, com 19 mil metros quadrados - obstruiria a visão do Pão de Açúcar e morros próximos.  Em função dessas questões, as obras chegaram a ser embargadas.

Av. Francisco Matarazzo, 404 Cj. 701/703 Água Branca - CEP 05001-000 São Paulo/SP

Telefone (11) 3662-4159

© Sobratema. A reprodução do conteúdo total ou parcial é autorizada, desde que citada a fonte. Política de privacidade