FECHAR
04 de outubro de 2013
Voltar
Matéria de Capa - Portos / Suape, a joia da coroa portuária nordestina

Localização estratégica

Situados na porção sul da Região Metropolitana do Recife, tanto o porto quanto o complexo industrial estão em fase de consolidação e expansão, com empreendimentos de grande porte. Sua área de abrangência compreende cinco municípios: Cabo de Santo Agostinho, Ipojuca, Jaboatão dos Guararapes, Moreno e Escada, num total de 1.774 km².

O porto destaca-se pela curta distância, de apenas oito dias, da costa norte-americana e do Leste Europeu. Com perfil concentrador de cargas (hub port), Suape está interligado a mais de 160 portos em todos os continentes.

No primeiro semestre deste ano, a movimentação de cargas no Porto de Suape apresentou uma alta de 3,3%, em comparação com os seis primeiros meses de 2012. O volume passou de 5,3 milhões de toneladas para 5,5 milhões de toneladas no período. Neste balanço, Suape manteve seu perfil de porto importador: foram 4,4 milhões de toneladas de importação e 1,1 milhão de toneladas exportadas. No semestre, o porto recebeu um total de 665 navios, 2,6% a mais em relação ao primeiro semestre do ano anterior.

A importação das chapas de aço para o Estaleiro Promar, que entrou em operação em junho (ver matéria nesta edição), contribuiu para este desempenho, pois a movimentação de cargas soltas subiu de 78.997 para 139.705 toneladas no período. Também apresentou resultado positivo nestes seis primeiros meses a movimentação de granéis líquidos – álcool, diesel, gasolina, querosene de aviação, óleo de soja, ácido, entre outros. A alta para este tipo de carga chegou a 8,8%, sendo atribuída principalmente a uma maior movimentação de óleo combustível para abastecimento das termelétricas.

A movimentação de contêineres apresentou, por sua vez, uma evolução de 4,2% no primeiro semestre de 2013 ante o mesmo período do ano passado. A única queda registrada foi na movimentação de granéis sólidos (grãos em geral, escória, clínquer, entre outros), que registrou uma ligeira baixa de 2,2%, passando de 358.594 para 350.841 toneladas nos últimos seis meses.

Obras para excelência operacional

Para aumentar a competitividade e alcançar a excelência operacional, estão sendo realizados pesados investimentos no desenvolvimento da infraestrutura portuária e em obras estruturadoras.