FECHAR
FECHAR
25 de maio de 2012
Voltar
M&T Expo 2012

Revolução tecnológica na cadeia da construção

M&T Expo 2012 apresenta os avanços tecnológicos alcançados pelos fabricantes de máquinas e equipamentos para construção, presentes no Brasil, acompanhando as exigências e a dinâmica do setor

Nos últimos 10 anos o Brasil viveu uma verdadeira revolução econômica. Dados do IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, divulgados em março de 2011, mostraram que o País aumentou seu Produto Interno Bruto (PIB) em 2,7% em relação a 2010, passando da 8ª para a posição de 6ª economia mundial. A vida dos brasileiros mudou substancialmente, o que pode ser comprovado pelos dados inicialmente divulgados no Censo 2010. Ele aponta, entre outros aspectos, a melhora da escolaridade e rendimentos da população, e a queda da mortalidade infantil – fatores indicativos do nível de desenvolvimento de um país.

Um dado social relevante: em 10 anos, o número de óbitos de crianças menores de um ano caiu de 29,7 para 15,6 para cada mil nascidas vivas, com um decréscimo de 47,6% na taxa brasileira de mortalidade infantil. Entre as regiões, a maior queda foi no Nordeste - de 44,7 para 18,5 óbitos –, um grande avanço, apesar da região ainda apresentar o maior indicador desse quesito.

O avanço econômico refletiu na posição da mulher na sociedade: as brasileiras passaram a ter menos filhos e o nível de instrução da população aumentou: de 2000 para 2010, o percentual de jovens que não frequentavam escola na faixa de 7 a 14 anos de idade caiu de 5,5% para 3,1%, com as maiores evoluções nas regiões Norte e Nordeste, evidenciando a mudança do eixo de desenvolvimento. Aliado a isso, ocorreu a melhora do rendimento médio mensal do trabalhador, com ganho real de 5,5%.

Tudo isso mostra que o brasileiro elevou seu nível de qualidade de vida, passando a consumir mais, e a demandar mais escolas, casa e transporte, incrementando o setor da construção, que registrou um crescimento de 42% entre 2004 e 2010, uma média de 5,18% por ano.

Dados da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) atestam que o setor responde por metade dos investimentos (formação bruta de capital fixo) realizados no país, e registrou uma das mais elevadas taxa de emprego formal do país. Essas são apenas algumas das facetas que revelam a mudança drástica da realidade brasileira, e que tem atraído a atenção do mundo inteiro.

Com 480 expositores nacionais e internacionais, e área 17% maior que a edição anterior, em 2009, pode-se dizer que a 8ª Feira Internacional de Equipamentos para Construção e 6ª Feira Internacional de Equipamentos para


Nos últimos 10 anos o Brasil viveu uma verdadeira revolução econômica. Dados do IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, divulgados em março de 2011, mostraram que o País aumentou seu Produto Interno Bruto (PIB) em 2,7% em relação a 2010, passando da 8ª para a posição de 6ª economia mundial. A vida dos brasileiros mudou substancialmente, o que pode ser comprovado pelos dados inicialmente divulgados no Censo 2010. Ele aponta, entre outros aspectos, a melhora da escolaridade e rendimentos da população, e a queda da mortalidade infantil – fatores indicativos do nível de desenvolvimento de um país.

Um dado social relevante: em 10 anos, o número de óbitos de crianças menores de um ano caiu de 29,7 para 15,6 para cada mil nascidas vivas, com um decréscimo de 47,6% na taxa brasileira de mortalidade infantil. Entre as regiões, a maior queda foi no Nordeste - de 44,7 para 18,5 óbitos –, um grande avanço, apesar da região ainda apresentar o maior indicador desse quesito.

O avanço econômico refletiu na posição da mulher na sociedade: as brasileiras passaram a ter menos filhos e o nível de instrução da população aumentou: de 2000 para 2010, o percentual de jovens que não frequentavam escola na faixa de 7 a 14 anos de idade caiu de 5,5% para 3,1%, com as maiores evoluções nas regiões Norte e Nordeste, evidenciando a mudança do eixo de desenvolvimento. Aliado a isso, ocorreu a melhora do rendimento médio mensal do trabalhador, com ganho real de 5,5%.

Tudo isso mostra que o brasileiro elevou seu nível de qualidade de vida, passando a consumir mais, e a demandar mais escolas, casa e transporte, incrementando o setor da construção, que registrou um crescimento de 42% entre 2004 e 2010, uma média de 5,18% por ano.

Dados da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) atestam que o setor responde por metade dos investimentos (formação bruta de capital fixo) realizados no país, e registrou uma das mais elevadas taxa de emprego formal do país. Essas são apenas algumas das facetas que revelam a mudança drástica da realidade brasileira, e que tem atraído a atenção do mundo inteiro.

Com 480 expositores nacionais e internacionais, e área 17% maior que a edição anterior, em 2009, pode-se dizer que a 8ª Feira Internacional de Equipamentos para Construção e 6ª Feira Internacional de Equipamentos para Mineração – (M&T Expo 2012) é um dos símbolos tecnológicos desse novo país. Além das tecnologias de ponta em termos de equipamentos, o evento realizado pela Sobratema conta neste ano com uma série de facilidades tecnológicas aos visitantes, além de adotar e estimular as práticas sustentáveis por parte dos expositores.

De maneira inédita, os 45 mil visitantes, do Brasil e da América Latina, numa estimativa inicial, encontram mais de 1000 marcas de equipamentos mundiais da área de construção e mineração. Os equipamentos rodoviários e de transporte respondem pela mecanização nos grandes canteiros de obras – segmento em franca efervescência com as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e os eventos mundiais Copa do Mundo de 2014 e Jogos Olímpicos em 2016 – e há de se lembrar que a construção já foi considerada um dos segmentos econômicos mais atrasados, não somente no campo tecnológico como também pelo uso de mão de obra desqualificada. Esse perfil, se não mudou inteiramente, hoje está em franca alteração.

Além de ter uma amostra desse nosso País, o visitante da M&T conta com outras novidades tecnológicas: o credenciamento eletrônico por chip, que além de agilizar o acesso ao evento, permite a contagem em tempo real do número de visitantes. A leitura de dados é realizada por meio da tecnologia RFID (identificação por radiofrequência), sendo transmitidos para a Central de Operações, que mapeia o posicionamento desses visitantes nos pavilhões.

Uma planta interativa permite o planejamento virtual dos estandes a serem visitados, selecionando por empresa ou por produto. Para os visitantes que usam smartphones, a Sobratema desenvolveu uma página especial para celulares dotados de sistemas operacionais Android e iOS (Apple). O mtexpomobile conta com todas as informações da feira, incluindo lista de expositores, planta da feira, notícias, entre outros.

Dentre as ações ambientais programadas, a principal é a concessão de um selo ambiental para os expositores que comprovarem a prática de ações que atenuem a emissão de poluentes decorrentes das atividades realizadas antes, durante e após o evento.

A Sobratema também está comprometida com uma série de quesitos ambientais. Entre elas, destaca-se a coleta e destinação correta de todo o material resultante da montagem e desmontagem do evento. Ao final da feira, será feito um balanço das ações adotadas pela entidade e pelos expositores, calculando-se o volume de emissões de CO2 produzidos durante o evento. Descontadas as medidas compensatórias que foram adotadas, será feito o plantio de árvores necessário, consolidando a M&T Expo 2012 como um evento carbon free.

Nas próximas páginas, veja o que os expositores levarão para a maior vitrine da tecnologia voltada para a construção no Brasil e no mundo.