FECHAR
04 de outubro de 2013
Voltar
Sobratema 25 anos / Obras emblemáticas no Brasil de ontem e de hoje

Pista Descendente da Rodovia dos Imigrantes: referência para rodovias do futuro

Inaugurada em 2002, a Pista Descendente da Rodovia dos Imigrantes foi um destaque da época em termos de soluções tecnológicas e práticas de gestão ambiental ali implementadas que resultaram na redução, em 40 vezes, da área afetada da Mata Atlântica, em comparação com a construção da primeira pista, na década de 1970. A obra foi realizada pelo Consórcio Imigrantes, formado pelas construtoras CR Almeida, do Brasil, e Impregilo, da Itália, com projeto da Figueiredo Ferraz, que havia elaborado o traçado original, e as italianas In.Co (especializada em viadutos) e a Geodata (especializada em túneis).

Duas obras se destacam no cenário rodoviário nacional, com inspiração do projeto da segunda pista da rodovia dos Imigrantes. Uma das obras mais emblemáticas nesse sentido é a duplicação da BR-116 ou Rodovia Régis Bittencourt, que faz a conexão entre São Paulo, Paraná e Santa Catarina. A ampliação inclui a transposição da Serra do Cafezal, considerado um dos maiores gargalos da rodovia, devido ao número de congestionamento e acidentes que registra. O trecho será cortado por quatro túneis, com extensão total de 1,8 quilômetros. A obra receberá 35 pontes e viadutos, que somam sete quilômetros intercalados por pequenos trechos a céu aberto.

O novo contorno rodoviário de Caraguatatuba e São Sebastião, na Nova Tamoios, também começa a ganhar corpo, depois de inúmeras revisões do projeto. A obra é essencial para destravar o acesso ao Porto de Santos, no litoral paulista. A extensão total da nova rodovia passou de 36,9 km para 34,5 km. Para isso, o segmento em túnel aumentou 900 m, passando de 5,5 km para 6,4 km. Essa reformulação permitirá a preservação de outros 17 hectares de mata.

Por fim, o país poderá ter pela primeira vez a otimização de planejamento, que resulte em economia e agilidade da construção. O governo do estado de São Paulo e o Ministério dos Transportes fecharam um acordo para compatibilizar o projeto do Rodoanel norte com o do Ferroanel Norte, permitindo redução de R$ 1,3 bilhão para o governo federal. Com a compatibilização, a ferrovia seguirá o traçado da rodovia, que terá pouca alteração sobre o original, porque a faixa de domínio é larga o suficiente para receber a rodovia e a linha férrea lado a lado.