ABRIR
FECHAR
ABRIR
FECHAR
13 de janeiro de 2022
Voltar

Mineradoras paralisam operações em áreas afetadas pelas chuvas intensas em Minas Gerais

O Ibram informa que paralisações de operações de algumas mineradoras, em função das chuvas que atingem Minas Gerais são temporárias, uma precaução das companhias para minimizar riscos
Fonte: Conexão Mineral

As mineradoras que atuam em Minas Gerais estão enfrentando uma série de dificuldades por conta das chuvas intensas na região.

A Vale informou que paralisou parcialmente a circulação de trens na Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM) e produção dos Sistemas Sudeste e Sul visando garantir a segurança dos seus empregados e comunidades e em razão do nível elevado de chuvas que atingem Minas Gerais.

No Sistema Sudeste, a EFVM foi paralisada no trecho Rio Piracicaba – João Monlevade impedindo o escoamento do material em Brucutu e no complexo de Mariana, que estão com a produção suspensa.

O trecho Desembargador Drummond – Nova Era também está paralisado, mas em fase de liberação e não afetou a produção do Complexo de Itabira.

No Sistema Sul, em função da interdição de trechos das rodovias BR-040 e MG-030, da segurança de circulação de empregados/terceiros e da infraestrutura da frente de lavra das minas, a produção de todos os complexos está temporariamente paralisada.

Segundo a mineradora, ela está tomando todas as medidas necessárias para a retomada das atividades, mantendo o foco nos cuidados necessários para garantir a segurança dos empregados e das comunidades local...


As mineradoras que atuam em Minas Gerais estão enfrentando uma série de dificuldades por conta das chuvas intensas na região.

A Vale informou que paralisou parcialmente a circulação de trens na Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM) e produção dos Sistemas Sudeste e Sul visando garantir a segurança dos seus empregados e comunidades e em razão do nível elevado de chuvas que atingem Minas Gerais.

No Sistema Sudeste, a EFVM foi paralisada no trecho Rio Piracicaba – João Monlevade impedindo o escoamento do material em Brucutu e no complexo de Mariana, que estão com a produção suspensa.

O trecho Desembargador Drummond – Nova Era também está paralisado, mas em fase de liberação e não afetou a produção do Complexo de Itabira.

No Sistema Sul, em função da interdição de trechos das rodovias BR-040 e MG-030, da segurança de circulação de empregados/terceiros e da infraestrutura da frente de lavra das minas, a produção de todos os complexos está temporariamente paralisada.

Segundo a mineradora, ela está tomando todas as medidas necessárias para a retomada das atividades, mantendo o foco nos cuidados necessários para garantir a segurança dos empregados e das comunidades localizadas no entorno de suas estruturas.

A Vale segue acompanhando o cenário de chuvas em Minas Gerais e monitorando suas barragens, 24 horas por dia, em tempo real, por meio dos Centros de Monitoramento Geotécnicos.

A Vale ressalta que não houve alteração do nível de emergência em nenhuma de suas estruturas, que são acompanhadas permanentemente por inspeções, manutenções, radares, estações robóticas, câmeras de vídeo e instrumentos, como piezômetros manuais e automáticos.

O Sistema Norte segue operando conforme o plano de produção, que considera o impacto sazonal do período chuvoso em todas as operações e a Vale reitera seu guidance de produção de 320-335 Mt para 2022.

A CSN Mineração e a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) informaram também que, devido às intensas chuvas registradas na região Sudeste do Brasil nos últimos dias, as operações de extração e movimentação na mina Casa de Pedra foram temporariamente suspensas, com expectativa de retorno das atividades nos próximos dias.

Ainda em razão das chuvas, a operação portuária de carregamento de minério no Terminal de Carvão – TECAR. no porto de Itaguaí (RJ) também está suspensa em virtude do alto grau de umidade verificado no local.

Segundo as empresas, elas tomarão todas as medidas necessárias para a manutenção de sua operação, respeitando os cuidados necessários para garantir a segurança dos empregados e das comunidades, e esperam a retomada gradual das atividades assim que as condições climáticas permitirem.

Cenário – O Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram) informa que paralisações de operações de algumas mineradoras, em função das chuvas que atingem Minas Gerais são temporárias, uma precaução das companhias para minimizar riscos.

Esta suspensão temporária poderá ser revertida em breve, a depender da intensidade pluviométrica dos próximos dias. Se esta intensidade de chuvas perdurar por um curto período, o Ibram estima que não haverá reflexos na variação do preço dos minérios e na oferta.

O Ibram informa que as mineradoras associadas têm sempre agido com cautela quando ocorrem fenômenos naturais, como o excesso de chuvas que é observado no Estado de Minas Gerais.

Ainda segundo o Ibram, todas as estruturas que compõem as empresas – como barragens de rejeitos – estão sendo monitoradas 24h ao dia e a qualquer sinal de anormalidade as autoridades são imediatamente comunicadas e medidas de emergência, como alertas, são tomadas imediatamente.

Av. Francisco Matarazzo, 404 Cj. 701/703 Água Branca - CEP 05001-000 São Paulo/SP

Telefone (11) 3662-4159

© Sobratema. A reprodução do conteúdo total ou parcial é autorizada, desde que citada a fonte. Política de privacidade