ABRIR
FECHAR
23 de setembro de 2021
Voltar

Gigante do setor imobiliário da China espalha pânico nos mercados 

Responsável por mais de 1,3 mil projetos imobiliários, incorporadora Evergrande Real Estate derruba bolsas pelo mundo
Fonte: UOL/BBC

"O simples bater de asas de uma borboleta no Brasil pode ocasionar um tornado no Texas." Quase um clichê, a frase emblemática da teoria do caos, conhecida como "efeito borboleta", refere-se à forma como fenômenos de grande magnitude podem resultar de pequenas alterações nas condições iniciais de um sistema.

Algo do tipo aconteceu na segunda-feira (20/9) nos mercados mundiais de ações: o medo de que uma empresa chinesa do setor imobiliário dê calote nas suas obrigações financeiras derrubou as bolsas do mundo todo e levou o preço do minério de ferro abaixo dos US$ 100 pela primeira vez em mais de um ano.

A empresa em questão é a Evergrande Real Estate, responsável por mais de 1,3 mil projetos imobiliários, em 280 cidades, que já atenderam mais de 12 milhões de chineses em busca do sonho da casa própria, segundo o site da própria empresa.

A Evergrande Real Estate é parte do Evergrande Group, um conglomerado privado com ativos estimados em 2,3 trilhões de yuans (R$ 1,9 trilhão ou US$ 360 bilhões), com vendas anuais de 700 bilhões de yuans (R$ 580 bilhões ou US$ 108 bilhões), e atuação também nos setores de automóveis, tecnologia e saúde, entre outros.

"Segundo a Bloomb...


"O simples bater de asas de uma borboleta no Brasil pode ocasionar um tornado no Texas." Quase um clichê, a frase emblemática da teoria do caos, conhecida como "efeito borboleta", refere-se à forma como fenômenos de grande magnitude podem resultar de pequenas alterações nas condições iniciais de um sistema.

Algo do tipo aconteceu na segunda-feira (20/9) nos mercados mundiais de ações: o medo de que uma empresa chinesa do setor imobiliário dê calote nas suas obrigações financeiras derrubou as bolsas do mundo todo e levou o preço do minério de ferro abaixo dos US$ 100 pela primeira vez em mais de um ano.

A empresa em questão é a Evergrande Real Estate, responsável por mais de 1,3 mil projetos imobiliários, em 280 cidades, que já atenderam mais de 12 milhões de chineses em busca do sonho da casa própria, segundo o site da própria empresa.

A Evergrande Real Estate é parte do Evergrande Group, um conglomerado privado com ativos estimados em 2,3 trilhões de yuans (R$ 1,9 trilhão ou US$ 360 bilhões), com vendas anuais de 700 bilhões de yuans (R$ 580 bilhões ou US$ 108 bilhões), e atuação também nos setores de automóveis, tecnologia e saúde, entre outros.

"Segundo a Bloomberg, sua dívida entre bônus e empréstimos soma US$ 87 bilhões [R$ 466 bilhões] e alguns pagamentos de juros não serão feitos nesta semana. O seu passivo total era de US$ 304 bilhões [R$ 1,6 trilhão] em 30 de junho", explica a equipe da MCM Consultores, em relatório, sobre os motivos de preocupação dos mercados.

"Os investidores temem que os problemas financeiros da Evergrande Group impactem negativamente os seus fornecedores, clientes e credores financeiros", diz a consultoria, quanto ao temor de contágio gerado pela crise da empresa. "O governo chinês terá de intervir na empresa para recuperar sua saúde financeira e evitar uma contração da economia."

Av. Francisco Matarazzo, 404 Cj. 701/703 Água Branca - CEP 05001-000 São Paulo/SP

Telefone (11) 3662-4159

© Sobratema. A reprodução do conteúdo total ou parcial é autorizada, desde que citada a fonte. Política de privacidade