ABRIR
FECHAR
25 de junho de 2021
Voltar
Dados Técnicos

SABESP (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo

Por Redação

DADOS TÉCNICOS
Atuação: 375 municípios de SP
Tipo de concessão: Sociedade anônima de economia mista
População atendida: 28,5 milhões (atende diretamente com abastecimento de água a 375 municípios, fornece água no atacado a 3 municípios – Mauá, Mogi das Cruzes e São Caetano do Sul – e participa de 4 SPEs – Sociedades de Propósito Específico)
Índice de atendimento:
Água tratada: Tende à universalização
Coleta de esgoto: 92%
Tratamento de esgoto: 76%

ÁGUA
Extensão da rede: 87.568 km
Quantidade de ETAs: 251
Capacidade instalada: 2,907 bilhões de m³ (2020)
Capacidade nominal de produção: 126 m³/s (2020)
Volume de perdas na rede: 27% (2020)
Reais: 17,4% (correspondentes aos vazamentos nas tubulações)
Aparentes: 9,6% (correspondentes aos volumes de água consumidos, mas não autorizados nem faturados, decorrentes de fraudes, ligações clandestinas, falhas de cadastro e submedição)

ESGOTO:
Extensão da rede: 59.660 km
Quantidade de ETEs: 572

Capacidade instalada:

Tipo de Tratamento No de ETEs Capacidade Nominal (l/s)
Lodos Ativados 90 35.577
Lagoas 357 10.441
Emissário Submarino 8 10.100
Reator Anaeróbio de Fluxo Ascendente (RAFA) 57 773

DADOS TÉCNICOS
Atuação: 375 municípios de SP
Tipo de concessão: Sociedade anônima de economia mista
População atendida: 28,5 milhões (atende diretamente com abastecimento de água a 375 municípios, fornece água no atacado a 3 municípios – Mauá, Mogi das Cruzes e São Caetano do Sul – e participa de 4 SPEs – Sociedades de Propósito Específico)
Índice de atendimento:
Água tratada: Tende à universalização
Coleta de esgoto: 92%
Tratamento de esgoto: 76%

ÁGUA
Extensão da rede: 87.568 km
Quantidade de ETAs: 251
Capacidade instalada: 2,907 bilhões de m³ (2020)
Capacidade nominal de produção: 126 m³/s (2020)
Volume de perdas na rede: 27% (2020)
Reais: 17,4% (correspondentes aos vazamentos nas tubulações)
Aparentes: 9,6% (correspondentes aos volumes de água consumidos, mas não autorizados nem faturados, decorrentes de fraudes, ligações clandestinas, falhas de cadastro e submedição)

ESGOTO:
Extensão da rede: 59.660 km
Quantidade de ETEs: 572

Capacidade instalada:

Tipo de Tratamento No de ETEs Capacidade Nominal (l/s)
Lodos Ativados 90 35.577
Lagoas 357 10.441
Emissário Submarino 8 10.100
Reator Anaeróbio de Fluxo Ascendente (RAFA) 57 773
Outros 60 515
Total 572 57.406

PRINCIPAL OBRA EM EXECUÇÃO
Obra:
Novo Rio Pinheiros
Local: São Paulo (SP)
Tipo: Implantação e melhorias
Investimento: R$ 1.700.000.000,00
Estágio da obra: Em andamento
Escopo: O Projeto Novo Rio Pinheiros é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo que visa reintegrar o rio Pinheiros à rotina da cidade até 2022, tornando o seu entorno uma área de turismo e lazer, com suas águas sem odor e possível abrigo de vida aquática

  • Estão em execução 16 contratos de obras, para coleta e transporte de esgotos para tratamento na estação de Barueri, além de contratos para implantação de 5 estações locais (unidades de recuperação da qualidade da água de córregos) para tratar o esgoto de áreas de ocupação irregular, situação que não deixa espaço para a instalação da infraestrutura de coleta e o esgoto acaba sendo lançado nos córregos
  • O projeto inclui serviços de saneamento, dragagem de leitos fluviais, revitalização das margens, programas para coleta e redução do descarte inadequado de resíduos sólidos urbanos, além de ações de educação ambiental
  • A Companhia participa do projeto no eixo saneamento, ampliando a rede de coleta de esgoto e executando novas conexões de esgoto em áreas ainda não atendidas, cuja expectativa é conectar aproximadamente 533 mil imóveis ao sistema de tratamento de esgoto
  • Em locais onde a conexão com a rede coletora existente não é possível, devido a assentamentos irregulares ao longo da margem do rio, como parte do projeto, serão instaladas unidades de recuperação da qualidade da água de córregos, nos afluentes do rio, para tratar o esgoto proveniente dessas áreas
  • A infraestrutura de grande porte de coleta e interceptação de esgotos construída ao longo do tempo pelo Projeto Tietê possibilita que as intervenções complementares em execução no Novo Rio Pinheiros sejam imediatamente conectadas ao tratamento na estação de Barueri
  • O projeto beneficia uma população de 3,3 milhões de pessoas residentes em locais abrangidos pela bacia do rio Pinheiros, uma área de 271 km², que inclui bairros nos municípios de São Paulo, Embu das Artes e Taboão da Serra

DEMAIS OBRAS EM ANDAMENTO
Obra: Projeto Tietê
Local: São Paulo (SP)
Tipo: Implantação e ampliação
Investimento: US$ 3,1 bilhões
Estágio da obra: Em andamento
Escopo: Revitalização progressiva do rio e seus afluentes na bacia do Alto Tietê. Projeto já proporcionou benefícios diretos para 12,4 milhões de pessoas, que passaram a ter o esgoto coletado e tratado

  • Em termos práticos, a cobertura com rede de coleta de esgoto que atendia 70% da área urbanizada da RMSP em 1992 saltou para 92%, ao passo que o tratamento dos esgotos foi ampliado de 24% para 83% do volume coletado ao final de 2020. Destaque que o crescimento da população da RMSP foi da ordem de 40% nesse mesmo período, ou seja, uma elevação em aproximadamente 6 milhões de pessoas
  • Para atingir esses resultados, foram executadas 1,8 milhão de ligações de esgoto e instalados aproximadamente 4,6 mil km de interceptores, coletores-troncos e redes coletoras para coletar e transportar o esgoto até as estações de tratamento, cuja capacidade instalada quase triplicou no período, com a construção das Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) ABC, Parque Novo Mundo e São Miguel e ampliação da ETE Barueri, maior estação da América do Sul e uma das maiores do mundo.
  • Em decorrência também desses investimentos, hoje a vazão de esgoto tratada nas estações metropolitanas é mais de cinco vezes superior à época do início do projeto

Obra: Programa de Redução de Perdas
Local: Diversos
Tipo: Melhoria operacional e de manutenção
Investimento: N/D
Estágio do projeto: Em andamento
Escopo: Obter uma redução de perdas consistente em longo prazo, por meio da implantação de diversas ações de melhoria operacional e de manutenção, além de importantes ações de renovação e melhoria da infraestrutura

  • Em 2020, foram realizadas ações de combate a perdas com valor total de R$ 1,05 bilhão. Parte dos recursos alocados no Programa foram provenientes de recursos próprios e o restante, de financiamentos concedidos pela Japan International Cooperation Agency (JICA) e pelo BNDES e obtidos pela emissão de Debêntures Incentivadas, de acordo com a Lei n° 12.431/11
  • Como resultado desta priorização, o índice de perdas totais em relação ao volume produzido tem caído continuamente, de 41% em 2004 para 27% em 2020. E as perdas medidas em litros por ligação por dia, considerado um indicador mais adequado para monitoramento das perdas, conforme recomendação da International Water Association (IWA), também têm se reduzido continuadamente
  • Em 2020, esse indicador atingiu 263 litros por ligação por dia, volume 52% menor que o resultado de 2004, quando o indicador era de 547 litros por ligação por dia. A partir de 2021, as perdas do município de Guarulhos (SP) passarão a ser contabilizadas no indicador, causando uma elevação de cerca de 10 litros por ligação por dia no índice de perdas da Sabesp. Com isso, a meta para 2021 é alcançar um índice de 268 litros por ligação por dia, já incluindo as perdas do município de Guarulhos (SP)
  • Em 2020, o Volume Total Perdido foi de, aproximadamente, 783.950 milhões de m3, o que corresponde a um Índice de Perdas de 27%, valor dois pontos percentuais menor que em 2019. Já em relação ao índice de perdas por ligação, a redução foi de 22 litros por ligação por dia
  • As principais ações para redução das perdas reais são a melhoria e renovação da infraestrutura com substituição de redes e ramais de água, e as varreduras com uso de tecnologia acústica para detecção de vazamentos não visíveis
  • Também é feita a adequação das áreas de controle por meio de setorização e implantação de Distritos de Medição e Controle (DMCs) e de válvulas redutoras de pressão. No caso da redução das perdas aparentes as principais ações são as campanhas de combate a fraudes e a troca de hidrômetros

Obra: Programa Onda Limpa
Local: Diversos
Tipo: Melhoria
Investimento: N/D
Estágio do projeto: Em andamento
Escopo: No maior projeto de saneamento ambiental da costa brasileira, a companhia atua desde 2007 para ampliar a coleta e o tratamento de esgotos na Baixada Santista e no Litoral Norte

  • As ações contribuem diretamente para a melhoria da saúde pública, da balneabilidade das praias e para o incremento do turismo na região
  • O índice de cobertura com coleta de esgotos na Baixada Santista foi ampliado de 53%, em 2007, para os atuais 83%, com investimentos de cerca de R$ 2 bilhões
  • No Litoral Norte, 70% da área formal são cobertas com rede de esgoto e 100% do esgoto coletado são tratados. Há mais de uma década, quando o programa foi iniciado, a coleta de esgoto na região norte era de 36%

VALORES INVESTIDOS – 2020

Projeto Valor
Infraestrutura para abastecimento (água) R$ 2,11 bilhões
Infraestrutura para coleta e tratamento de esgoto R$ 2,26 bilhões
Total R$ 4,37 bilhões

*Inclui Recursos Próprios e Financiados (CEF, BNDES, JICA, BID, BIRD, FEHIDRO e outros)

VALORES INVESTIDOS – 2021

Projeto Valor
Infraestrutura para abastecimento (água) R$ 1,75 bilhão
Infraestrutura para coleta e tratamento de esgoto R$ 2,41 bilhões
Total R$ 4,17 bilhões

*Inclui Recursos Próprios e Financiados (CEF, BNDES, JICA, BID, BIRD, FEHIDRO e outros)

DISTRIBUIÇÃO DOS INVESTIMENTOS

Projeto % Valor (em milhões)
Tratamento de esgoto 14,1 587
Coleta de esgoto 43,9 1,831
Abastecimento de água 42 1,752
Total 100 4,171

FATOS MARCANTES EM 2020

  • Em fevereiro, entrou em operação um conjunto de estruturas que ampliam a coleta e o tratamento de esgoto na cidade de São Paulo, beneficiando mais 350 mil pessoas com esgoto tratado e melhorando o sistema que atende diretamente mais de 2 milhões de pessoas
  • O empreendimento contribui para a melhoria da qualidade das águas dos rios Tamanduateí e Tietê ao ampliar e modernizar o sistema de coleta do esgoto gerado na região central do município, em bairros como Bela Vista, Consolação, República, Anhangabaú, Sé e Liberdade, abrangendo ainda Aclimação, Cambuci e Ipiranga. O conjunto contemplou 15 km de tubulações, com quatro obras principais: o Interceptor Tietê 7 (ITi-7), supertúnel com 3,4 m de largura e 2,65 m de altura construído embaixo da Marginal Tietê; a Estação Elevatória de Esgoto Piqueri; o novo Coletor-Tronco Anhangabaú; e o Interceptor Tamanduateí (ITa-1J)
  • Em setembro, foi inaugurado o sistema de tratamento de esgoto Laranjeiras, no município de Caieiras, composto por uma ETE, 8 km de interceptor, coletores-tronco e emissários e quatro estações elevatórias, beneficiando 30 mil pessoas dos bairros Vila Rosina, Parque Industrial Araucária, Jardim das Laranjeiras, Vila Ajoá, Laranjeiras, Jardim Adelfiori, Jardim Serra Grande, Jardim Ninho Verde. O novo sistema implantado contribui para a melhoria da qualidade das águas do rio Juqueri, outro afluente do rio Tietê
  • Atualmente, a companhia conta com 27 contratos de obras em execução simultânea, com benefício direto para 18 municípios da RMSP: Itaquaquecetuba, Suzano, São Bernardo do Campo, Diadema, Santo André, São Paulo, Osasco, Barueri, Franco da Rocha, Caieiras, Francisco Morato, Mairiporã, Embu das Artes, Taboão da Serra, Cajamar, Poá, Arujá e Ferraz de Vasconcelos

Mais matérias sobre esse tema

Av. Francisco Matarazzo, 404 Cj. 701/703 Água Branca - CEP 05001-000 São Paulo/SP

Telefone (11) 3662-4159

© Sobratema. A reprodução do conteúdo total ou parcial é autorizada, desde que citada a fonte. Política de privacidade