ABRIR
FECHAR
ABRIR
FECHAR
30 de outubro de 2020
Voltar
Dados Técnicos

MOURA DUBEUX ENGENHARIA

Por Redação

PRINCIPAL PROJETO

Mansão Bahiano

DADOS TÉCNICOS

Localização: Salvador (BA)

Tipo: Residencial

Dimensões: 35.436,70 m²

Investimento: R$ 80.076.994

Entrega: 2020

Certificação: AQUA

Diferencial técnico: Primeiro residencial a obter o Selo HQE no Nordeste

DESCRITIVO DE SOLUÇÕES

  • Inovação: A obra contou com sistema online de acompanhamento de registro de fiscalização de serviços por meio do software AutoDoc FVS (Ficha de Verificação de Serviço). O estoque de materiais da obra foi controlado, a partir de 2019, por meio de código de barras, permitindo maior assertividade de controle de entradas e saídas de materiais. O sistema de vistoria com clientes foi realizado com o uso de software e tablets, para melhor interatividade, controle de informação e geração de relatório de vistoria. A obra utilizou o sistema Lean Construction, com uso de kanbans e heijunka box, o que permitiu redução de desperdícios, aumento de produtividade, melhor logística de canteiro e fluxo de materiais para as frentes de serviços. O sistema utilizado na cobertura da obra foi de impermeabilização com manta asfáltica de 4 mm e lajotas de 50 x 50 cm (camada de argamassa e XPS com espessura de 2,5 cm e densidade de 32 kg/m²), facilitando possíveis manutenções e garantindo eficiência do sistema de impermeabilização (proteção, desempenho térmico e fluxo). Durante a fase executiva da obra foi possível um reaproveitamento de 89% dos resíduos gerados, utilizados em grande parte para aterro. Os demais resíduos gerados foram segregados em bombonas nas frentes de serviço e, depois, separados em baias de coleta seletiva, sendo por fim destinados a locais licenciad

PRINCIPAL PROJETO

Mansão Bahiano

DADOS TÉCNICOS

Localização: Salvador (BA)

Tipo: Residencial

Dimensões: 35.436,70 m²

Investimento: R$ 80.076.994

Entrega: 2020

Certificação: AQUA

Diferencial técnico: Primeiro residencial a obter o Selo HQE no Nordeste

DESCRITIVO DE SOLUÇÕES

  • Inovação: A obra contou com sistema online de acompanhamento de registro de fiscalização de serviços por meio do software AutoDoc FVS (Ficha de Verificação de Serviço). O estoque de materiais da obra foi controlado, a partir de 2019, por meio de código de barras, permitindo maior assertividade de controle de entradas e saídas de materiais. O sistema de vistoria com clientes foi realizado com o uso de software e tablets, para melhor interatividade, controle de informação e geração de relatório de vistoria. A obra utilizou o sistema Lean Construction, com uso de kanbans e heijunka box, o que permitiu redução de desperdícios, aumento de produtividade, melhor logística de canteiro e fluxo de materiais para as frentes de serviços. O sistema utilizado na cobertura da obra foi de impermeabilização com manta asfáltica de 4 mm e lajotas de 50 x 50 cm (camada de argamassa e XPS com espessura de 2,5 cm e densidade de 32 kg/m²), facilitando possíveis manutenções e garantindo eficiência do sistema de impermeabilização (proteção, desempenho térmico e fluxo). Durante a fase executiva da obra foi possível um reaproveitamento de 89% dos resíduos gerados, utilizados em grande parte para aterro. Os demais resíduos gerados foram segregados em bombonas nas frentes de serviço e, depois, separados em baias de coleta seletiva, sendo por fim destinados a locais licenciados para recebimento e beneficiamento.
  • Soluções: O empreendimento teve uma redução de consumo de energia elétrica de 30,3% em relação a outros canteiros, com o uso de equipamentos economizadores de energia, otimização do uso de guinchos cremalheira (por meio do sistema Toyota de construção) e utilização de elevadores de alta eficiência durante a fase de acabamentos. Houve, ainda, uma redução de consumo de água de 22,8% em relação aos outros canteiros, com o uso de lava-rodas de veículos com água de reúso e uso de concreto e argamassa usinados e bombeados (em vez de ensacados), tanto para fins estruturais quanto revestimentos, assim como realização de treinamentos periódicos de conscientização com os funcionários da obra.
  • Durante todo o período em que recebeu caminhões-betoneira, o empreendimento manteve fornecimento de argamassas dosadas em central e/ou concreto usinado, com uso de filtro de lavagem nos caminhões, evitando contaminação do solo e mitigando a possibilidade de ocorrer lavagem em locais inapropriados, fora do canteiro. O manual de uso, operação e manutenção está disponível por meio de um software (Facilitat), funcionando de forma interativa com sinalizadores das manutenções preventivas periódicas, permitindo maior controle de prazos e informações. Para evitar derramamentos (resíduos / efluentes), por exemplo, a obra utilizou telas de contenção em todo o perímetro correspondente. Durante a fase executiva, os telefones e e-mails de contato com a equipe da obra estiveram visíveis na portaria do empreendimento, para facilitar a comunicação.
  • Planejamento: A obra apresentou um grande desafio no planejamento e execução da fundação, pois havia um desnível de 16 m em relação à rua, necessitando de volumes expressivos de contenções e movimentação de terra. Na fundação, um único bloco de fundação recebeu 80 estacas e 400 m³ de volume de concreto, sendo utilizado o método de adição de gelo na concretagem, que consumiu 55 toneladas do material.
  • Qualidade urbana: O terreno se encontra em uma área desenvolvida e urbanizada, com infraestrutura. Apesar de densamente urbanizado, os edifícios da região são razoavelmente espaçados, com o centro da quadra inabitado, o que faz com que as torres do entorno tenham mais acesso à luz. Apesar do trânsito ser intenso, em vias de pequeno porte, o empreendimento é bem-recuado, oferecendo aos moradores, visitantes e funcionários a possibilidade de fazer as manobras sem atrapalhar o trânsito local.
  • Projeto: Acústico – A principal fonte de ruído identificada está na rua em frente ao empreendimento. Para minimizar o impacto, a torre foi implantada na parte de trás do terreno, permitindo distanciamento da principal fonte de ruído. As áreas de lazer influenciam os quartos, principalmente da fachada Noroeste. Como medida arquitetônica, optou-se pelo pé direito triplo no pavimento térreo, aumentando a distância das unidades mais baixas em relação à fonte de ruído. As cozinhas e banheiros internos estão afastados dos quartos das unidades vizinhas. O único quarto que tem contato com a escada de emergência é o de serviço, porém sem uso contínuo. Paredes externas com bloco de concreto de 14 cm e revestimento de argamassa de cimento e areia garantem melhor desempenho acústico.
  • Térmico: O empreendimento tem fachadas principais para Oeste e Leste, com poucos ambientes voltados para Norte e Sul. Como medidas ótimas de proteção quanto ao sol e calor, o empreendimento tem a fachada Oeste sombreada por uma grande varanda. Além disso, a sala possui aberturas para mais de uma fachada, também sombreada, permitindo a ventilação cruzada. A ventilação natural é facilitada pela disposição das unidades, que permite a ventilação cruzada por meio de aberturas em três diferentes fachadas para cada unidade. Ambas as unidades do pavimento têm entrada de vento pela orientação predominante, a Nordeste e a Sudeste. No verão, o conforto é garantido com janelas bem-dimensionadas, de acordo com o Código de Obras, enquanto todas as unidades possuem ventilação cruzada e uso de janelas com persianas integradas, protegendo os ambientes do Sol.
  • Arquitetônico: A orientação da torre foi pensada de modo a beneficiar a vista dos moradores, com as salas e suítes voltadas para a Baia de Todos os Santos, a Oeste. Já as outras suítes estão voltadas para Leste. De acordo com a Análise de Sombreamento do Entorno, a torre não sofre sombreamento significativo pelos edifícios vizinhos, pois só um dos edifícios do entorno é alto, enquanto a torre do empreendimento não está alinhada a ele.
  • Energia: Apesar de não ser um hábito comum na realidade brasileira, o carro elétrico é uma tendência futura e, considerando sua vida útil prevista, é interessante para o empreendimento. O ponto de recarga para carros elétricos está localizado no térreo, junto às vagas de visitantes.
  • Pavimentos: O pavimento térreo também conta com uma vaga para ambulância e 22 vagas para visitantes, facilitando o acesso ao empreendimento e causando menor impacto no trânsito. O empreendimento conta com 2 pavimentos de garagem, cada apartamento possui entre 4 e 5 vagas de estacionamento. Além de vagas privativas, o empreendimento conta com bicicletário e vagas para motos.
  • Eficiência energética: São previstas grandes aberturas para ventilação e sombreamentos das aberturas, principalmente na fachada Oeste. As recomendações para aquisição de aparelhos econômicos estarão nos manuais dos proprietários e do síndico. O ar condicionado das áreas comuns possui alto desempenho, atendendo ao nível B do Procel. Por sua vez, os elevadores possuem o modo ECO (Energy Control Option), que permite colocar a cabine no modo stand-by em momentos de pouco uso. A iluminação é desligada quando o elevador não está em uso.
  • Uso de materiais: Foram tomados alguns cuidados específicos para a seleção de materiais e produtos, que garantem a qualidade e resistência necessária, principalmente em locais externos ou diretamente expostos à maresia. Isso inclui tintas acrílicas mais resistentes à água nas fachadas e coberturas, guarda corpos em vidro laminado, esquadrias (janelas, portas e portões) e puxadores/maçanetas em áreas externas em aço inox ou em alumínio anodizado, evitando uso de metais corrosíveis como ferro. A mesma preocupação foi considerada nas fechaduras, corrimãos e tubulações, reservatórios, escadas-marinheiro, telhados, alçapões, gradis, marquises e pergolados. Outro fator considerado foi a escolha de decks em porcelanatos (linha Ecowood), que apresentam maior resistência a insetos em relação aos decks usuais de madeira. Todos os outros materiais, como argamassas, louças, torneiras, cerâmicas e porcelanato, são certificados pelo Programa Setorial da Qualidade (PSQ) ou contam com laudos de ensaios comprobatórios de qualidades técnicas, de acordo com as normas pertinentes. Os materiais com extração direta da natureza, como gesso, granito, brita e areia, tiveram seu ciclo de vida avaliado, sendo verificadas as licenças de extração e comercialização, de modo que só foram adquiridos materiais em conformidade com as legislações pertinentes. Sempre que possível, a obra deu preferência à aquisição de materiais com fornecedores locais, reduzindo traslados e consequente emissão de CO2.
  • Gestão da água, solo e resíduos: O empreendimento possui sistema de reúso de águas pluviais para irrigação de jardim das áreas comuns, o que traz ao condomínio boa redução de consumo de água e menor custo aos moradores.
  • Água: As bacias sanitárias têm capacidade máxima de 6 l, com descarga de duplo fluxo (3/6 l). As bacias sanitárias estão em conformidade com as Normas da ABNT e os fabricantes participam do PSQ. Foram entregues torneiras com arejadores em todas as unidades e torneiras de pressão nas áreas comuns. Além disso, os chuveiros também possuem arejador. No Manual do Proprietário, são recomendados arejadores para os chuveiros das unidades habitacionais.
  • Resíduos: O empreendimento conta com quatro lixeiras para orgânicos, 12 para resíduos recicláveis e quatro para triagem. Há um corredor na área de resíduos, permitindo o manuseio e a manobra dos contêineres. No total, são cerca de 27 m² para a área de resíduos. No manual do proprietário há um layout da planta dos apartamentos mostrando o local destinado a receber a lixeira na área de serviço, assim como os sites onde se encontram informações de locais licenciados para destinação dos resíduos. A coleta dos resíduos de cada unidade é feita pelos funcionários do condomínio, de porta em porta. Os resíduos são recolhidos em todas as unidades de todos os pavimentos e levados para o depósito central, na parte externa do edifício, a cerca de 60 m do hall de entrada. As portas dos depósitos, assim como o corredor da área de resíduos, foram dimensionados para que seja possível a passagem das lixeiras. O depósito final de resíduos é coberto e bem-protegido de chuva, vento, odores e animais.

FATOS MARCANTES

  • A Moura Dubeux entregou em sua trajetória mais de 3,7 milhões de m², 222 empreendimentos e 23.573 unidades, sendo 2.785 unidades em 2019 e 436 unidades no primeiro semestre de 2020.
  • Em 2020, consagrou-se como a 16ª empresa que mais constrói no país, segundo dados do INTEC. Acumula sete troféus na categoria Máster do prêmio ADEMI – PE, além de ter sido diversas vezes campeã em prêmios de recall de marca no Recife (PE).

Mais matérias sobre esse tema

Av. Francisco Matarazzo, 404 Cj. 701/703 Água Branca - CEP 05001-000 São Paulo/SP

Telefone (11) 3662-4159

© Sobratema. A reprodução do conteúdo total ou parcial é autorizada, desde que citada a fonte. Política de privacidade