ABRIR
FECHAR
ABRIR
FECHAR
19 de fevereiro de 2015
Voltar
Prêmio ABCIC

Construção industrializada garante controle técnico e estética apurada

Shopping Tietê explora os benefícios dos pré-fabricados de concreto e conquista o Prêmio Obra do Ano

Em cerimônia realizada em dezembro, na presença de personalidades notáveis do Engenharia e Construção brasileiras, a Abcic – Associação Brasileira da Construção Industrializada de Concreto entregou o Prêmio Obra do Ano em Pré-Fabricados de Concreto 2014 para o projeto do Tietê Plaza Shopping. Localizado no bairro de Pirituba, zona Oeste de São Paulo, com área total construída de 130.334 m2, o empreendimento foi viabilizado com custos e prazo competitivos, graças ao uso intensivo do sistema pré-fabricado de concreto.

Para sua construção, foram utilizados aproximadamente 25.000 m3 de estrutura pré-fabricadas de concreto, considerando vigas, lajes alveolares, painéis arquitetônicos de fachada estruturais e não estruturais, além de escadas.

A obra, a cargo da Racional Engenharia, contou com o projeto arquitetônico de Maria de Fátima Rodrigues Alves e projeto estrutural de Carlos Eduardo Melo. A Concrebem Pré-Moldados foi responsável por fornecer as estruturas de pré-fabricados.

Para Íria Doniak, presidente executiva da Abcic, a diversificação de projetos inscritos no Prêmio Obra do Ano reforça a aplicabilidade do sistema pré-fabricado em diferentes segmentos. “A premiação destaca os projetos arquitetônicos que aliam beleza estética e inovação, podendo ser executados com estruturas pré-fabricadas de concreto. Mesmo sendo indicado para projetos modulares, com repetitividade de peças, nosso sistema tem vencido desafios e sendo viabilizado em distintos projetos, cumprindo ousados prazos de execução e agregando qualidade a diversos empreendimentos”, ressalta.

Menções honrosas

A Comissão Julgadora ainda conferiu menções honrosas a outros dois empreendimentos que se destacaram no uso de estruturas pré-fabricadas de concreto. O primeiro é o Estaleiro Enseada do Paraguaçu, em Maragogipe (BA), um projeto arquitetônico assinado pelo Consórcio PSG (Planave, Sondotécnica e Genpro), cujo projeto estrutural é de autoria do engenheiro George Maranhão. Trata-se de uma obra cujas estruturas pré-fabricadas foram fornecidas pela T&A Pré-Fabricados, num total de 11.000 m3 de concreto pré-fabricado.

A segunda menção honrosa foi concedida para as obras de ampliação do Aeroporto Internaciona


Em cerimônia realizada em dezembro, na presença de personalidades notáveis do Engenharia e Construção brasileiras, a Abcic – Associação Brasileira da Construção Industrializada de Concreto entregou o Prêmio Obra do Ano em Pré-Fabricados de Concreto 2014 para o projeto do Tietê Plaza Shopping. Localizado no bairro de Pirituba, zona Oeste de São Paulo, com área total construída de 130.334 m2, o empreendimento foi viabilizado com custos e prazo competitivos, graças ao uso intensivo do sistema pré-fabricado de concreto.

Para sua construção, foram utilizados aproximadamente 25.000 m3 de estrutura pré-fabricadas de concreto, considerando vigas, lajes alveolares, painéis arquitetônicos de fachada estruturais e não estruturais, além de escadas.

A obra, a cargo da Racional Engenharia, contou com o projeto arquitetônico de Maria de Fátima Rodrigues Alves e projeto estrutural de Carlos Eduardo Melo. A Concrebem Pré-Moldados foi responsável por fornecer as estruturas de pré-fabricados.

Para Íria Doniak, presidente executiva da Abcic, a diversificação de projetos inscritos no Prêmio Obra do Ano reforça a aplicabilidade do sistema pré-fabricado em diferentes segmentos. “A premiação destaca os projetos arquitetônicos que aliam beleza estética e inovação, podendo ser executados com estruturas pré-fabricadas de concreto. Mesmo sendo indicado para projetos modulares, com repetitividade de peças, nosso sistema tem vencido desafios e sendo viabilizado em distintos projetos, cumprindo ousados prazos de execução e agregando qualidade a diversos empreendimentos”, ressalta.

Menções honrosas

A Comissão Julgadora ainda conferiu menções honrosas a outros dois empreendimentos que se destacaram no uso de estruturas pré-fabricadas de concreto. O primeiro é o Estaleiro Enseada do Paraguaçu, em Maragogipe (BA), um projeto arquitetônico assinado pelo Consórcio PSG (Planave, Sondotécnica e Genpro), cujo projeto estrutural é de autoria do engenheiro George Maranhão. Trata-se de uma obra cujas estruturas pré-fabricadas foram fornecidas pela T&A Pré-Fabricados, num total de 11.000 m3 de concreto pré-fabricado.

A segunda menção honrosa foi concedida para as obras de ampliação do Aeroporto Internacional de Brasília, cujas estruturas pré-fabricadas foram produzidas pela Cassol Pré-fabricados Ltda. O projeto arquitetônico é de autoria de Gerardo Pucciarello e Marcelo Minoliti; e o projeto estrutural foi feito pelo engenheiro Luis Roberto Moritz. A obra, que demandou um volume de 7.318 m3 de concreto, ocupa uma área total de 50.405 m2 e é composta por uma interligação que conecta a obra já existente com o Pier Sul e o Pier Norte.

Nesta edição, a Comissão Julgadora optou por destacar duas obras com grande relevância e importância que utilizaram o sistema pré-fabricado para receber o Prêmio Destaque do Júri: a Arena Corinthians, com projeto arquitetônico de autoria do escritório CDC Arquitetos em parceria com DDG Arquitetura, estrutura de pré-fabricado fornecida pela CPI Engenharia, projeto estrutural da EGT Engenharia e Fhecor do Brasil; e o Monumento a Copa, relógio projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, que realizou a contagem regressiva até a abertura do evento, no dia 12 de junho, com estrutura de pré-fabricado fornecida pela Leonardi.

Noite de gala do setor

O Prêmio Obra do Ano prestigia as empresas pré-fabricadoras e confere destaque aos empreendimentos em diversas áreas que usam a construção industrializada de concreto como principal sistema construtivo em sua execução. Criado em 2011, no ano de comemoração de 10 anos de atividades da Abcic, o Prêmio conta com o apoio de mídia da Revista Concreto e Construções e da Revista Grandes Construções. Além de ter participado do desenvolvimento da premiação, a Revista Grandes Construções participa da composição do júri, representada pelo seu presidente, Afonso Mamede, e pelo seu diretor executivo, Hugo Ribas.

O prêmio conta ainda com o apoio institucional da ABCP – Associação Brasileira de Cimento Portland, ABECE - Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutural, IAB – Instituto de Arquitetos do Brasil e Ibracon – Instituto Brasileiro do Concreto.

"A Abcic e a Sobratema têm grande interface no que diz respeito à utilização de equipamentos para movimentação, transporte e montagem das estruturas pré-fabricadas e também às grandes construtoras clientes dos associados Abcic. Além disso, temos afinidade na forma de condução das ações institucionais e desenvolvimento dos mercados que representamos”, afirma Íria Doniak.

Racionalidade e beleza

Construído pela Racional Engenharia, com projeto arquitetônico assinado por Maria de Fátima Rodrigues Alves, o Tietê Plaza tem 130.334 m² de área total construída. A empresa responsável por fornecer as estruturas de pré-fabricados, projetadas por Carlos Eduardo de Melo, foi a Concrebem Pré-Fabricados. O empreendimento empregou aproximadamente 25 mil m³ de concreto pré-fabricado, considerando vigas, lajes alveolares, painéis de fachada estruturais e escadas.

Um dos diferenciais do Tietê Plaza está na localização, junto à Marginal Tietê, uma das principais artérias viárias da cidade, com proximidade menor que 400 metros da estação de trem Piqueri e em região servida por várias linhas de ônibus urbanos.

O empreendimento, da Cyrela Commercial Properties (CCP), com investimento total de R$ 360 milhões, conta com 36.060 metros quadrados de Área Bruta Locável (ABL). O projeto tem dois pisos que totalizam 230 lojas, sendo oito lojas âncoras e oito megalojas, e estacionamento com capacidade para 2.400 veículos. Segundo a empresa, o shopping está com aproximadamente 92% de sua área comercializada.

Raio X do projeto

A edificação do Tietê Plaza se caracteriza por uma obra alta, com 34 m de altura em seu corte típico, em que os pilares foram emendados. O fechamento da estrutura é em painel pré-fabricado. A edificação apresenta uma planta muito grande, e assim foram adotadas duas juntas de dilatação, formando três grandes blocos. A dimensão de cada bloco ficou em torno de 110 m x 50m.

A praça de alimentação contou com uma cobertura metálica em forma de disco, muito esbelta, que precisou ser travada pela estrutura pré-fabricada. Esta interface foi bastante complexa, pois foram necessários processamentos em conjunto da metálica com a estrutura de concreto. Os pilares metálicos da fachada são inclinados, cabendo à estrutura pré-fabricada receber os esforços horizontais.

Em função da disponibilidade de produção, optou-se pelo uso de pré-fabricadas sem protensão. Foi utilizado o conceito de contra-flecha em forma da viga para combater as deformações. A modulação básica foi de 8x10,5 m, mas foi fixado no centro da edificação dois grandes módulos de 10,5 x 13 m. A estrutura circular da praça de alimentação exigiu um projeto bastante refinado da estrutura pré-fabricada.

A logística desta obra foi o maior desafio a ser enfrentado. Foram realizados pilares com 24 m de comprimentos, que foram montados com guindaste. Depois disto, foram posicionadas duas gruas simultâneas que montaram as demais peças. Foi deixado um corredor para a montagem da cobertura metálica, e neste corredor também foram instaladas as vigas de 13 m, colocadas com guindaste. Várias peças tiveram que ser trabalhadas para atingir o peso máximo da grua, utilizando-se concreto leve e até caixão perdido com EPS.

Itens sustentáveis

O Shopping Tietê integrou diversos sistemas e ações de sustentabilidade, buscando se destacar também como empreendimento verde. Para isso, foram adotadas  ações que reduziram o consumo de água e energia, assim como se adotou procedimentos que modificam a cultura não só de construção como de funcionalidade e manutenção de um empreendimento.

O empreendimento atingiu uma economia de água potável de 66% através da aplicação de equipamentos mais eficientes e tratamento de 95% do esgoto do empreendimento. Somente 5% do volume dos efluentes gerados serão despejados no sistema de coleta municipal. Durante a fase de construção foi implantado um Plano de Qualidade do Ar Interior para garantir que os procedimentos em obra não afetassem a qualidade do ar interior do edifício. O volume de 49% dos materiais aplicados foram extraídos e processados/produzidos dentro de um raio de 800 km de distância, reduzindo os custos e os impactos do transporte. Durante sua execução, foram ainda definidas medidas de controle da erosão, sedimentação e poluição do solo, tais como: sistema de lava-rodas, controle de materiais contaminantes, proteção de boca de lobo, etc.

Além disso, foram adotada rotinas de inspeção e manutenção das medidas de controle. O empreendimento contratou um Agente de Comissionamento, cujo objetivo principal é garantir que os projetos atendessem às necessidades do proprietário e que os sistemas instalados e calibrados funcionassem de acordo com o projetado.

O empreendimento disponibilizou 13 mil m² de área livre com paisagismo, totalizando 57% da área livre do terreno. O projeto executivo de arquitetura previu ainda vagas para bicicletas (202 vagas). Foram utilizados apenas adesivos, selantes, tintas e vernizes com baixa concentração de compostos orgânicos voláteis, contribuindo para uma melhor qualidade do ambiente interior. Há ainda uma área dedicada ao armazenamento e prensagem de resíduos recicláveis.

O sistema de climatização do empreendimento foi instalado tendo em conta a qualidade mínima necessária de fluído frigorigéneo, reduzindo assim o seu potencial de contribuição para o aquecimento global e de redução da camada de ozônio. O sistema de ventilação apresenta taxas de ar externo superiores aos mínimos exigidos de modo a promover a qualidade do ar interior (Renovação de ar interno do ambiente).

O empreendimento foi concebido ainda com o intuito de reduzir o consumo de energia durante sua operação, contando com sistemas mais eficientes e estratégias que reduzam direta ou indiretamente o consumo de energia.  Estas ações contribuíram com um desempenho energético 15% superior ao de um edifício convencional. De modo complementar, o shopping possui uma rede de medidores de energia para as áreas dos futuros locatários, contribuindo assim para uma melhor gestão da energia consumida. Para a redução da “Ilha De Calor”, a cobertura destinada às garagens emprega telhas de alta refletância, de forma a reduzir a sua contribuição para o efeito de ilha de calor urbano.

Shopping Tietê: projeto sustentável

Transporte Alternativo: Acesso ao Transporte Público

O empreendimento está localizado na Marginal Tietê, uma das principais artérias viárias da cidade, com proximidade menor que 400 metros da estação de trem Piqueri e de um ponto de ônibus, que serve 5 linhas e totaliza em 233 viagens diárias.

Escolha do Terreno

O projeto situa-se em um terreno previamente desenvolvido.

A área do empreendimento cumpre com os requisitos do critério.

- Não possui potencial para desenvolvimento agrícola;

- Não possui vegetação ou áreas com potencial para ser habitat de espécies ameaçadas;

- A área não é um parque público.

- Não está próximo de corpos de água (menos de 30m).

Gerenciamento Dos Resíduos Da Construção

Durante a fase de obra foi possível verificar que 68% dos resíduos de obra foram desviados de aterros.

Redução do Uso da Água

O empreendimento atingiu uma economia de água potável de 66% através da aplicação de equipamentos mais eficientes e tratamento de 95% do esgoto do empreendimento.

Somente 5% do volume dos efluentes gerados serão despejados no sistema de coleta municipal.

Plano De Gerenciamento da Qualidade do Ar Interno na Obra: Durante a Construção

Durante a fase de construção foi implementado um Plano de Qualidade do Ar Interior durante a obra com o objetivo de garantir a saúde e segurança dos operários e garantir que os procedimentos em obra não irão afetar a qualidade do ar interior do edifício durante a fase de utilização.

Materiais Regionais – 10% A 20%

Durante a fase de construção verificou-se que 49% dos materiais aplicados foram extraídos e processados/produzidos dentro de um raio de 800 km de distância.

Prevenção de Poluição na Construção

Durante a fase de construção foram:

− Definidas medidas de controle da erosão, sedimentação e poluição do solo, tais como: sistema de lava-rodas, controle de materiais contaminantes, proteção de boca de lobo, etc.;

− Implementadas rotinas de inspeção e manutenção das medidas de controle.

Comissionamento Básico e Avançado

O empreendimento contratou um Agente de Comissionamento cujo objetivo principal é garantir que os projetos são desenvolvidos para dar resposta às necessidades do proprietário e que os sistemas são instalados e calibrados para funcionar de acordo com o projetado.

Maximizar Espaços Abertos

O empreendimento disponibilizou 13 mil m² de área livre com paisagismo, totalizando 57% da área livre do terreno.

Transporte Alternativo: Bicicletários

Com base no projeto executivo de arquitetura disponibilizamos 202 vagas para bicicletas.

Materiais com Baixa Emissão

O empreendimento utilizou apenas adesivos, selantes, tintas e vernizes com baixa concentração de compostos orgânicos voláteis, contribuindo para uma melhor qualidade do ambiente interior.

Armazenamento e Coleta de Recicláveis

O empreendimento conta com uma área dedicada ao armazenamento e prensagem de resíduos recicláveis.

Gerenciamento de Fluído Refrigerante energético 15% superior ao de um edifício convencional.

O sistema de climatização do empreendimento foi instalado tendo em conta a aplicação da qualidade mínima necessária de fluído frigorigéneo, reduzindo assim o seu potencial de contribuição para o aquecimento global e de redução da camada de ozônio.

Melhor Desempenho da Qualidade do Ar Interior

O sistema de ventilação apresenta taxas de ar externo superiores aos mínimos exigidos de modo a promover a qualidade do ar interior (Renovação de ar interno do ambiente).

Desempenho no Consumo Mínimo de Energia

O empreendimento foi concebido com o intuito de reduzir o consumo de energia durante sua operação, contando com sistemas mais eficiêntes e estratégias que reduzam, direta ou indiretamente o consumo de energia estas ações contribuiram com um desempenho energético 15% superior ao de um edifício convencional.

Medição e Verificação

O empreendimento conta com uma rede de medidores de energia para as áreas dos futuros locatários, contribuindo assim para uma melhor gestão da energia consumida.

Redução Da “Ilha De Calor”

O empreendimento disponibilizou ao menos 90% das vagas de estacionamento sob cobertura, adicionalmente, em áreas cobertas, utilizou-se telhas de alta refletância, de forma a reduzir a sua contribuição para o efeito de ilha de calor urbano.

Menção Honrosa:

AEROPORTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA

Empresa: CASSOL PRÉ-FABRICADOS

Arquiteto: GERARDO PUCCIARELLO / MARCELO MINOLITI

Projetista: LUIS ROBERTO MORITZ

Menção Honrosa:

ESTALEIRO ENSEADA DO PARAGUAÇU

Empresa: T&A PRÉ-FABRICADOS

Arquiteto: CONSÓRCIO PSG

Projetista: GEORGE MARANHÃO ENGENHARIA E CONSULTORIA ESTRUTURAL

Obra do Ano em Pré-Fabricados de Concreto: TIETÊ PLAZA SHOPPING

Empresa: CONCREBEM CONSTRUÇÃO

Arquiteto: COLASSO E MONTEIRO ARQUITETOS ASSOCIADOS

Projetista: CARLOS MELO & ASSOCIADOS

 

 

Av. Francisco Matarazzo, 404 Cj. 701/703 Água Branca - CEP 05001-000 São Paulo/SP

Telefone (11) 3662-4159

© Sobratema. A reprodução do conteúdo total ou parcial é autorizada, desde que citada a fonte. Política de privacidade