ABRIR
FECHAR
ABRIR
FECHAR
27 de março de 2014
Voltar
Momento M&T Peças e Serviços

Construção brasileira se prepara para novo estágio tecnológico

Indústrias do setor buscam tecnologias que reduzam custo, aumentem a produtividade nos canteiros de obras e a margem de segurança

“Acredito que partiremos para um próximo nível, onde a intervenção humana na operação dos equipamentos será minimizada com a utilização de sistemas que guiarão os equipamentos, por meio de GPS, com baixíssima interferência dos operadores. Esta realidade já existe, mas a sua utilização ainda é pequena. Se analisarmos o que ocorreu no Agronegócio nas últimas décadas, estamos (o setor da construção) andando a passos lentos. Estes sistemas permitiram aos gestores terem em tempo real informação para a tomada de decisão. Ter a informação de maneira rápida e precisa será a grande evolução, uma vez que para isso acontecer muita coisa irá mudar. Cada vez mais o uso de plataformas móveis para a coleta de dados, a melhoria da mão de obra e a integração entre sistemas e áreas diferentes da empresa se farão necessárias”.

Foi o que disse Elson Rangel, líder da área de Pessoas e Organização (P&O) e Engenharia da área de Equipamentos da Construtora Norberto Odebrecht, durante palestra promovida pela Sobratema, dia 22 de janeiro, no Centro Britânico, em São Paulo. O evento reuniu os executivos das principais fabricantes de máquinas e equipamentos do país antecipando as expectativas e atmosfera de novidades aguardada para a M&T Peças e Serviços, 2ª Feira e Congresso de Tecnologia de Equipamentos e Gestão de Equipamentos para Construção e Mineração, que irá se realizar de 3 a 6 de junho de 2014, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo.

Elson Rangel, representando o interesse das construtoras, destacou que a M&T Peças e Serviços será uma ótima oportunidade para as companhias apresentarem sua evolução não somente tecnológica mas principalmente na oferta dos serviços de pós-venda. E destacou: “Queremos encontrar tecnologias e diferenciais que realmente tragam reduções de custo, de combustível, de tempo de operação e que permitam o aumento da produtividade no canteiro!”, conclui.

A seu ver, as empresas brasileiras ainda precisam aperfeiçoar-se na gestão destes ativos, em um processo que inclui a parceria recíproca entre os usuários e os fornecedores de tecnologia, ou seja, os fabricantes. “A gestão eficiente dos equipamentos utilizados na construção ajuda a aumentar a produtividade do setor na medida em que reduz o número de máquinas no canteiro de obra, permite economia de combustível e também possibilita diminuição do estoque de peças, em função do melhor planejamento


“Acredito que partiremos para um próximo nível, onde a intervenção humana na operação dos equipamentos será minimizada com a utilização de sistemas que guiarão os equipamentos, por meio de GPS, com baixíssima interferência dos operadores. Esta realidade já existe, mas a sua utilização ainda é pequena. Se analisarmos o que ocorreu no Agronegócio nas últimas décadas, estamos (o setor da construção) andando a passos lentos. Estes sistemas permitiram aos gestores terem em tempo real informação para a tomada de decisão. Ter a informação de maneira rápida e precisa será a grande evolução, uma vez que para isso acontecer muita coisa irá mudar. Cada vez mais o uso de plataformas móveis para a coleta de dados, a melhoria da mão de obra e a integração entre sistemas e áreas diferentes da empresa se farão necessárias”.

Foi o que disse Elson Rangel, líder da área de Pessoas e Organização (P&O) e Engenharia da área de Equipamentos da Construtora Norberto Odebrecht, durante palestra promovida pela Sobratema, dia 22 de janeiro, no Centro Britânico, em São Paulo. O evento reuniu os executivos das principais fabricantes de máquinas e equipamentos do país antecipando as expectativas e atmosfera de novidades aguardada para a M&T Peças e Serviços, 2ª Feira e Congresso de Tecnologia de Equipamentos e Gestão de Equipamentos para Construção e Mineração, que irá se realizar de 3 a 6 de junho de 2014, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo.

Elson Rangel, representando o interesse das construtoras, destacou que a M&T Peças e Serviços será uma ótima oportunidade para as companhias apresentarem sua evolução não somente tecnológica mas principalmente na oferta dos serviços de pós-venda. E destacou: “Queremos encontrar tecnologias e diferenciais que realmente tragam reduções de custo, de combustível, de tempo de operação e que permitam o aumento da produtividade no canteiro!”, conclui.

A seu ver, as empresas brasileiras ainda precisam aperfeiçoar-se na gestão destes ativos, em um processo que inclui a parceria recíproca entre os usuários e os fornecedores de tecnologia, ou seja, os fabricantes. “A gestão eficiente dos equipamentos utilizados na construção ajuda a aumentar a produtividade do setor na medida em que reduz o número de máquinas no canteiro de obra, permite economia de combustível e também possibilita diminuição do estoque de peças, em função do melhor planejamento operacional”, enfatizou. A construtora Odebrecht, segundo ele, já aplica diversas tecnologias em seu sistema de gestão, destacando-se os sistemas de monitoramento; as ferramentas eletrônicas de diagnósticos; os sistemas de segurança operacional e de meio ambiente; além do uso de tecnologia móvel para a coleta de dados.

No canteiro do futuro, atendimento pós-venda passa a ser o novo diferencial competitivo

“A capacidade de oferecer tranquilidade aos usuários é um diferencial importante para a área de bens de capital”. É o que destaca Yoshio Kawakami, sócio-diretor da consultoria Raiz e ex-presidente da Volvo Construction, um dos palestrantes do evento promovido pela Sobratema sobre tecnologia e pós-venda. A seu ver, o atendimento pós-venda por parte do fabricante hoje tem um novo papel fundamental no planejamento das empresas usuárias, sejam as construtoras ou locadoras de equipamentos, transformando-se em importante moeda de troca com forte poder na hora da negociação, uma vez que a disponibilidade de tecnologia está mais equalizada entre os fabricantes.  “Não há equipamento que não necessite de manutenção e de reparos, pois um canteiro de obras de infraestrutura, por exemplo, impõe o uso de equipamentos de grande porte, de alta capacidade, submetido a esforços elevados e regimes de trabalho muito intenso e normalmente, em locais de difícil acesso para a manutenção adequada. Com isso, o suporte ao cliente e tecnologia passa a ser valorizado, sendo um diferencial competitivo importante para o fabricante”, destacou.  O topo da sofisticação técnica nesse segmento, segundo o especialista, são as alternativas de monitoramento remoto e gestão da frota, os quais proporcionam a maior disponibilidade do equipamento para a produção e máxima produtividade, além de mecanismos automáticos  que capturam dados  de operação da máquina ao mesmo tempo em que "aprendem" com o operador.

Gestão eficiente melhora a produtividade da construção

A gestão eficiente dos equipamentos usados na construção contribui para o aumento da produtividade nas obras, na medida em que reduz o número de máquinas em operação, permite uma economia de combustível e reduz o estoque de peças, em função do melhor planejamento. “Poderia enumerar outras vantagens. E todas elas levariam à redução de custos e aumento da produtividade, tornando a construtora mais competitiva”, explica Elson Rangel, da Odebrecht. Segundo ele, a construtora possui linhas de pesquisas com foco em pessoas, em processos e em equipamentos. “Buscamos sempre estar à frente quando o assunto é inovação, disponibilizando tecnologia de ponta para atender a demanda de nossas obras”. A construtora mantém sistemas de controle e de monitoramento, que verificam, em tempo real, todas as funções vitais da máquina. “Essas soluções apresentam como benefícios a redução de custos, o aumento da disponibilidade e utilização das máquinas e a correta configuração de acordo com a obra”, acrescenta.

Para Roque Reis, diretor comercial da Case Construction para América Latina, a adoção desses tendem a crescer e se tornar mais barato e mais disponível. “As soluções permitem identificar os principais sinais vitais da máquina, e até se está sendo operada adequadamente. Assim, ao perceber alguma alteração ou disfunção, há a possibilidade de intervenção. Por isso, o monitoramento é o caminho porque cada dia mais a produtividade é importante, a disponibilidade é importante e a hora parada é caríssima”, explica.

Evento terá Salão da Tecnologia, Segurança e Sustentabilidade

Durante o evento, o presidente da Sobratema, Afonso Mamede anunciou a realização do Salão da Tecnologia, Segurança e Sustentabilidade dentro da M&T Peças e Serviços. O Salão será uma boa oportunidade para o visitante conhecer o que o segmento vem fazendo em termos de inovação para melhorar em diversos aspectos a experiência e o custo-benefício para o usuário do equipamento. Para isso, o espaço reunirá os conceitos inovadores dos fabricantes de máquinas, de componentes e peças que estão participando da feira. Uma ótima oportunidade para apresentar tendências e ressaltar os diferenciais competitivos de cada marca.

 

 

Av. Francisco Matarazzo, 404 Cj. 701/703 Água Branca - CEP 05001-000 São Paulo/SP

Telefone (11) 3662-4159

© Sobratema. A reprodução do conteúdo total ou parcial é autorizada, desde que citada a fonte. Política de privacidade