FECHAR
23 de maio de 2019
Voltar

EMPRESAS / Grupo Rio Verde vence concorrência para construção de fábrica em Goiás

O Grupo Rio Verde venceu concorrência para executar as obras civis da fábrica de embalagens de alumínio da Crown Embalagens, em Goiás, com mais de 30 mil m².

A fábrica deve gerar em torno de 600 empregos diretos e indiretos, contribuindo para o desenvolvimento industrial da região. A construtora foi escolhida pelo know how em obras industriais.

“Tínhamos o desafio de realizar as fundações profundas e blocos de fundação para suportar a instalação das estruturas metálicas, já contratadas pelo cliente e com prazo de execução apertado”, diz João Ridinaldo de Morais, diretor de contratos da Rio Verde e responsável pela obra.

“Atingimos o objetivo com qualidade e segurança porque iniciamos o planejamento ainda na fase orçamentária”, salienta.

Planejamento estratégico

O Grupo Rio Verde iniciou a fase orçamentária antes mesmo de saber se ganharia o contrato.

Segundo Morais, essa é uma prática adotada em projetos complexos e nos quais a construtora avalia ter reais condições de vencer a concorrência. Foi o caso da fábrica da Crown Embalagens, na qual foi envolvido um profissional que seria designado como gerente da obra desde a fase orçamentária.

Junto com o diretor de contrato e líderes de áreas-chave como suprimentos, RH e segurança do trabalho, eles traçaram um plano estratégico que considerou desde a prospecção da mão de obra até a oferta de equipamentos, estrutura físi...


O Grupo Rio Verde venceu concorrência para executar as obras civis da fábrica de embalagens de alumínio da Crown Embalagens, em Goiás, com mais de 30 mil m².

A fábrica deve gerar em torno de 600 empregos diretos e indiretos, contribuindo para o desenvolvimento industrial da região. A construtora foi escolhida pelo know how em obras industriais.

“Tínhamos o desafio de realizar as fundações profundas e blocos de fundação para suportar a instalação das estruturas metálicas, já contratadas pelo cliente e com prazo de execução apertado”, diz João Ridinaldo de Morais, diretor de contratos da Rio Verde e responsável pela obra.

“Atingimos o objetivo com qualidade e segurança porque iniciamos o planejamento ainda na fase orçamentária”, salienta.

Planejamento estratégico

O Grupo Rio Verde iniciou a fase orçamentária antes mesmo de saber se ganharia o contrato.

Segundo Morais, essa é uma prática adotada em projetos complexos e nos quais a construtora avalia ter reais condições de vencer a concorrência. Foi o caso da fábrica da Crown Embalagens, na qual foi envolvido um profissional que seria designado como gerente da obra desde a fase orçamentária.

Junto com o diretor de contrato e líderes de áreas-chave como suprimentos, RH e segurança do trabalho, eles traçaram um plano estratégico que considerou desde a prospecção da mão de obra até a oferta de equipamentos, estrutura física administrativa e outras necessidades.

“Iniciamos antecipadamente as negociações e estabelecemos pré-contratos com os parceiros, inclusive o de fundação. Isso foi essencial para cumprirmos o primeiro marco contratual, pois pudemos contar com as perfuratrizes de hélice contínua para executar imediatamente as fundações profundas de 6 a 13 metros”, detalha Morais.

O escritório para a integração de equipe, assim como a mão de obra técnica e operacional para atender as primeiras demandas da obra, também já tinham sido estipulados.

A identificação do primeiro escritório administrativo da obra, um coworking, otimizou os processos de integração da equipe, composta inicialmente por 110 trabalhadores. A maior parte foi contratada localmente, com o auxílio de entidade governamental (Sine).

Outros vieram de diferentes obras da Rio Verde espalhadas pelo país. “No pico da obra da Crown teremos cerca de 300 profissionais. Os novos contratados já contam com canteiro de obras estabelecido, inclusive com espaços de escritório e treinamento”, adianta o diretor de contrato.

A fábrica de embalagens de alumínio da Crown deve produzir mais de um bilhão de latas anualmente. O Grupo Rio Verde, através da sua divisão de Engenharia, é o responsável pelas obras civis.