FECHAR
27 de setembro de 2018
Voltar

Investimentos

Embraer: dificuldade para concluir negociações com Boeing

Acordo prevê a criação de uma joint venture que assumirá o controle de aviação comercial da empresa brasileira
Fonte: Reuters

Combinação de fotos com as marcas da Boeing e da Embraer. As marcas anunciaram em julho a criação de uma associação avaliada em US$ 4,75 bilhões.

A Embraer disse nesta terça-feira (25) que não pode estimar um prazo para conclusão das negociações envolvendo a parceria com a norte-americana Boeing e disse ser "incabível" relacionar o processo eleitoral à combinação pretendida.

"O objetivo das partes é fechar a operação com a maior brevidade possível. Entretanto, trata-se de processo complexo no qual as partes vêm negociando os contratos que podem concretizar a operação", disse a Embraer em comunicado ao mercado, ao esclarecer notícia veiculada na imprensa.

O memorando de entendimento entra e Boeing e a Embraer prevê a criação de uma joint venture que assumirá o controle de aviação comercial da empresa brasileira.

A Embraer tem dito que a expectativa era que o negócio seja concluído até 2019.

Reportagem do jornal Valor Econômico da véspera informou que as empresas tentam fechar o negócio antes de 2019, e que os executivos entendem que todo o processo seria retardado se a finalização ficar para o ano que vem.

O acordo de união dos negócios da Boeing e Embraer para a criação de uma nova empresa na área de aviação comercial, avaliada em US$ 4,75 bilhões, foi anunciado em julho. Pelo memorando, a companhia americana terá 80% de participação e a brasileira, 20% na joint venture. A transação, entretanto, ainda depende do aval dos acionistas – entre os quais está o governo brasileiro – e dos órgãos reguladores do mercado brasileiro e americano.

Produção editorial: Revista Grandes Construções – Desenvolvido e atualizado por Diagrama Marketing Editoral