FECHAR
FECHAR
08 de maio de 2014
Voltar
Entrevista

Quando o meio-ambiente dá as cartas

Entrevista com Fernando Kertzman, diretor geral da Geotec Consultoria Ambiental
Por Mariuza Rodrigues

Dentre as inúmeras variáveis que impactam a realização de uma obra, o licenciamento ambiental é um dos principais fatores que podem desencadear atrasos, multas, ou mesmo impedir a conclusão da obra. Por isso, o tema é crítico na gestão de riscos que devem ser considerados pelo construtor.  De acordo com Fernando Kertzman, diretor geral da Geotec Consultoria Ambiental, apesar do grande espectro de impactos envolvido no assunto, é possível aos construtores prever os riscos ambientais e tomar providenciais gerenciais e operacionais para mitigar estes riscos. Para isso, é preciso se valer do know how que o País construiu nesta área, e dos especialistas que se formaram no assunto.

Mas, principalmente, cabe aos empreendedores enxergar a questão ambiental como uma parte integrante do negócio, estudando a questão do licenciamento prévio ao empreendimento como um processo contínuo, que inclui a gestão ambiental durante e posterior a sua execução. Para o consultor, uma boa matriz de risco, um plano de contingência, equipes qualificadas e verbas previstas são as receitas para minimizar ou mesmo eliminar a maior parte dos riscos. Ele reconhece que consciência ambiental é maior no Brasil que em muitos países até mais desenvolvidos. “É um assunto de interesse da sociedade e dos jovens em especial”. Mas ainda há o que evoluir, em especial na redução de resíduos e passivos.

Nesta entrevista, Kertzman aborda este e outros aspectos envolvidos na questão e monta uns quebra-cabeças, que pode facilitar a compreensão do tema por parte do setor.

Revista Grandes Construções - Como as construtoras brasileiras lidam com a questão do Risco ambiental em um empreendimento. É um fator que é considerado desde os primeiros estudos do empreendimento, ou acaba chegando posteriormente às decisões já consideradas?

Fernando Kertzman - Os riscos ambientais incluem uma grande variedade de aspectos, em especial o licenciamento ambiental, preliminar às obras, e o gerenciamento ambiental, durante as construções. As construtoras brasileiras e, mesmo as construtoras estrangeiras cada vez mais presentes no Brasil de um modo geral, estão começando a se preparar para a gestão de riscos ambientais. Com a lei de crimes ambientais, o setor jurídico das construtoras tem pressionado por uma gestão mais eficiente. Perdas com atrasos, multas e embargos ambientais também tem sido “escolas” e alertas para a necessidade desta preocupação com as questões ambientais nas construtoras.