FECHAR
11 de fevereiro de 2016
Voltar
Especial Região Sul

O equilíbrio das forças

PIB do Paraná supera o do Rio Grande do Sul, em 2013, e ruma para liderança, com projeção de investimentos industriais e na infraestrutura

Em meio a um processo de grandes transformações econômicas no País, a Região Sul desponta como uma crescente fronteira de negócios e um novo polo de desenvolvimento econômico, impulsionado principalmente pelo desempenho da agropecuária e do agronegócio. A perspectiva de continuidade desse crescimento pode representar, em médio prazo, um novo desenho de forças econômicas do Brasil.

Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), dão conta de que o Produto Interno Bruto (PIB) paranaense cresceu 5,6% em 2013, acima da média nacional de 3%. Com isso, sua participação na geração nacional de riquezas passou de 5,9% em 2012 para 6,3% no ano seguinte e colocou o estado a frente de seu principal rival, o Rio Grande do Sul, que sempre foi o principal líder da região.

Desde a década de 1940, o Paraná detinha a posição de quinta economia do País. A mudança de posição em 2013 resulta de uma combinação de fatores positivos que foram bem aproveitados pelo estado. Uma delas foi a safra agrícola generosa, que se reflete no desempenho da agropecuária, e na produção de energia elétrica, concentrada sobretudo em chuvas abundantes, que alavancaram novamente a Hidrelétrica de Itaipu no Sistema Interligado Nacional. A fatia do Rio Grande do Sul cresceu, mas em ritmo menor, passando de 6%, em 2012, para 6,2% em 2013.

Segundo o IBGE, o Rio Grande do Sul foi o estado com melhor desempenho do país em 2013, com crescimento de 8,2% na comparação com 2012. Muito acima, portanto, da expansão do PIB nacional, de 3% naquele ano. Acima, também, do avanço da economia paranaense, de 5,6%. Da mesma forma, no acumulado de 2010 a 2013 o Rio Grande do Sul cresceu 10,6%, acima do Paraná (10,2%) e do País todo (9,1%).

No entanto, um fator foi fundamental para que o estado cedesse lugar ao Paraná: embora o volume produzido pelo Rio Grande do Sul tenha avançado mais, a produção do Paraná se valorizou mais do que a produção gaúcha.  Em valores, o PIB paranaense somou R$ 332,8 bilhões em 2013, acima dos R$ 331,1 bilhões da economia gaúcha. Três anos antes, o PIB do Rio Grande do Sul somava R$ 241,3 bilhões, acima dos R$ 225,1 bilhões do Paraná.

Em 2013, o Paraná ficou na liderança na participação da produção agrícola, respondendo por 12,5% do total nacional (uma alta de 1,4 ponto porcentual desde 2010). O estado ficou ainda na quarta colocação no ranking da produção industrial, com participação de 6,6% (alta de 0,6 p.p.), e em quinto no do setor de serviços, com uma fatia de 5,7% (alta de 0,3 p.p.).