FECHAR
09 de junho de 2011
Voltar
Copa 2014

Maracanã terá cobertura hi-tech

Cerca de 90% da parte interna, incluindo arquibancadas, vestiários, banheiros, salas de rádio e camarotes, já foram demolidos. Iphan aprova nova cobertura em aço e membrana tensionada

Um novo Maracanã começa a nascer dentro daquele que já foi o maior estádio de futebol do mundo. Pra isso, avançam as atividades de demolição da velha estrutura. Cerca de 90% da parte interna, incluindo arquibancadas, vestiários, banheiros, salas de rádio e camarotes, já foram demolidos. O estádio, que deve ser palco da final da Copa do Mundo de 2014, se tornará mais moderno, confortável e seguro, atendendo a todos os requisitos da FIFA e do Comitê Olímpico Internacional (COI).

Os detalhes sobre a reforma do “Templo do Futebol” e o orçamento final foram apresentados no dia 17 de maio, em Brasília, pelo vice-governador e secretário de Obras, Luiz Fernando Pezão, pelo presidente da Empresa de Obras Públicas do Estado do Rio de Janeiro (Emop), Ícaro Moreno, e pela secretária de Esporte e Lazer, Márcia Lins, aos técnicos e ministros do Tribunal de Contas da União (TCU) e da Controladoria Geral da União (CGU). Eles apresentaram aos técnicos das duas entidades 2.178 plantas da reforma. O orçamento para as obras é de R$ 956.787.720,00. Com isso, o Rio de Janeiro passa a ser a primeira das cidades-sede a apresentar o projeto executivo da reforma de um estádio que será palco das disputas do campeonato mundial.

Como argumento para justificar os custos, os representantes do governo do Rio de Janeiro compararam os custos do empreendimento com o das obras de reforma do estádio de Wembley, na Inglaterra. Segundo eles, o Maracanã, que recebe cerca de cem eventos por ano, custará menos de R$ 1 bilhão para se adequar aos padrões dos grandes eventos internacionais. Já a reforma de Wembley, que promove 16 eventos anuais, custou nada menos que R$ 3 bilhões. O Maracanã reformado deverá ser entregue ao público em dezembro de 2012.

De acordo com representantes do governo do Rio de Janeiro, as obras estão dentro do cronograma. Na primeira semana de maio, as fundações para as novas arquibancadas e as rampas de acesso externas começaram a ser construídas. Cerca de 800 profissionais responsáveis pelas melhorias do estádio estão trabalhando em dois turnos: das 7h às 17h e das 19h às 5h.

A atual marquise foi condenada por laudos de órgãos nacionais e internacionais. Para substituí-la será instalada uma estrutura de aço e membrana tensionada, confeccionada a partir do uso de fibra de vidro translúcida, que já foi aprovada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). O órgão do Ministério da Cultura tem a missão de preservar o patrimônio cultural brasileiro, por não descaracterizar o projeto original e a aprovação foi necessária porque o Maracanã foi tombado como patrimônio da cidade desde 2001.