FECHAR
FECHAR
20 de fevereiro de 2013
Voltar
Especial Ceará - Desenvolvimento Industrial

Indústrias apostam no Ceará para crescer no mercado nordestino

Investimentos em novas fábricas ou na ampliação de plantas existentes chegam a R$ 13 bilhões, levando muitos novos empregos a 33 municípios em sete macrorregiões

Cerca de  20 empresas estão em negociação com o Governo do Estado para poderem se instalar no Ceará, somando um investimento total da ordem de R$ 13 bilhões, quando estiverem completamente construídas. Os empreendimentos estão sob análise do Conselho Estadual de Desenvolvimento Industrial (Cedin). De acordo com a Agência de Desenvolvimento Econômico do Estado (Adece), o Cedin poderá, ou não, aprovar o Protocolo de Intenção dos empreendedores. Caso aprovado, o documento garante às empresas os incentivos fiscais determinados no Fundo de Desenvolvimento Industrial (FDI), que, entre suas regras, garante maior desoneração de impostos a indústrias que se localizarem mais distante da Região Metropolitana de Fortaleza.

Os nomes das empresas não podem ser revelados, pelo fato de elas pertencerem a companhias de capital aberto ou por questões estratégicas. Mas já se sabe que as áreas de atuação dos investidores são bem variadas, envolvendo a indústria da construção, a instalação e operação de usinas eólicas e termelétrica, montadoras de veículos, mineração, indústria química, saneamento, bens de consumo, alimentos, confecções, calçados e tecnologia da informação.

Neste último segmento, inclusive, já chegou a ser divulgado pelo presidente da Adece, Roberto Smith, o interesse de um grupo estrangeiro na instalação de um centro de processamento de dados na região da Praia do Futuro. O empreendimento estaria orçado em R$ 1 bilhão, e integraria a comunicação da América, África e Europa partindo de Fortaleza.

R$ 102,4 milhões em 2011

Em 2011, o Ceará recebeu um volume de investimentos da iniciativa privada de R$ 102,4 milhões, contando somente os valores relativos às empresas que já se instalaram no Estado naquele período. Esses novos empreendimentos geraram 9.629 postos de trabalho. Apesar de o FDI garantir maiores incentivos fiscais para empresas que se instalarem em regiões mais distante da Capital, a maior parte dos investidores que se instalaram, que estão em processo de instalação ou que ainda vão implantar o investimento, pleiteiam localizações na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF): Fortaleza, Itaitinga, Maracanaú, Pacatuba, Pacajus, Horizonte, Aquiraz, e Eusébio.

Além desses, os municípios de Sobral, Iguatu, Itapajé e Jaguaribe também estão sendo visados. Os protocolos de intenção de empreendimentos, quando aprovados, têm prazo de vigência de até dois anos, segundo informou a Adece.