FECHAR
FECHAR
20 de fevereiro de 2013
Voltar
Especial Ceará - Turismo

Alta estação com quase um milhão de turistas

Indústria do turismo se consolida como um dos principais indutores de desenvolvimento econômico do estado do Ceará

O ano de 2012 consolidou o turismo como um dos principais indutores do desenvolvimento do estado do Ceará, gerando um impacto no PIB acima de R$ 8 bilhões. Esses números tiveram altas constantes nos últimos cinco anos, ou seja, no período entre 2006 e 2011. No período analisado, a renda gerada a partir das atividades econômicas relacionadas ao turismo cresceu 83,9% (com média anual de 13%), passando de R$ 4,37 bilhões em 2006, para R$ 8,037 bilhões em 2011. A receita direta também evoluiu nos mesmos patamares percentuais, passando de R$ 2,5 bilhões para R$ 4,6 bilhões, aproximadamente. Quanto à participação no Produto Interno Bruto (PIB) cearense, a variação foi de 17,1%, passando de 9,4% para 11%.

O setor hoteleiro também comemora a ampliação da demanda que, na capital, saltou de 1.082.274 para 1.560.327 no período uma alta de 44,2%. Já a taxa média de ocupação dos meios de hospedagem passou de 57,4% para 67,6%. A oferta hoteleira (UHs) também foi ampliada, passando de 24.294 para 27.836, uma elevação de 14,6%. Com mais dinheiro movimentado pelo setor, os empregos gerados também dispararam. Em 2006, eram 117.997 pessoas trabalhando formalmente no setor, ante 129.990 em 2011. Esses 11.993 profissionais a mais registrados representam alta de 10,2%.

Um dos principais responsáveis pelo incremento foi o número de turistas no Ceará, que teve um incremento de quase 800 mil pessoas. Foram 2.062.493 em 2006 e 2.848.459 em 2011. No acumulado do período, o fluxo turístico cresceu 38,1%, com uma média anual de 6,7%.

O ano de 2012 representou a consolidação do projeto implementado desde 2007, que identificou e priorizou o turismo como fator de desenvolvimento econômico e social. Os projetos em curso e as capacitações de profissionais e empresários vão impulsionar ainda mais os resultados da atividade.

Esse processo será arrematado com as Copas das Confederações, em 2013, e do Mundo, em 2014. Os dois eventos irão proporcionar grande visibilidade, repercussão extremamente positiva, dependendo do êxito da organização das duas competições internacionais.

Aeroportos

Uma das bases da estratégia de fortalecimento do turismo adotada pelo Governo do Estado é incentivar a malha aérea regional. Entre os diversos aeroportos regionais, destacam-se


O ano de 2012 consolidou o turismo como um dos principais indutores do desenvolvimento do estado do Ceará, gerando um impacto no PIB acima de R$ 8 bilhões. Esses números tiveram altas constantes nos últimos cinco anos, ou seja, no período entre 2006 e 2011. No período analisado, a renda gerada a partir das atividades econômicas relacionadas ao turismo cresceu 83,9% (com média anual de 13%), passando de R$ 4,37 bilhões em 2006, para R$ 8,037 bilhões em 2011. A receita direta também evoluiu nos mesmos patamares percentuais, passando de R$ 2,5 bilhões para R$ 4,6 bilhões, aproximadamente. Quanto à participação no Produto Interno Bruto (PIB) cearense, a variação foi de 17,1%, passando de 9,4% para 11%.

O setor hoteleiro também comemora a ampliação da demanda que, na capital, saltou de 1.082.274 para 1.560.327 no período uma alta de 44,2%. Já a taxa média de ocupação dos meios de hospedagem passou de 57,4% para 67,6%. A oferta hoteleira (UHs) também foi ampliada, passando de 24.294 para 27.836, uma elevação de 14,6%. Com mais dinheiro movimentado pelo setor, os empregos gerados também dispararam. Em 2006, eram 117.997 pessoas trabalhando formalmente no setor, ante 129.990 em 2011. Esses 11.993 profissionais a mais registrados representam alta de 10,2%.

Um dos principais responsáveis pelo incremento foi o número de turistas no Ceará, que teve um incremento de quase 800 mil pessoas. Foram 2.062.493 em 2006 e 2.848.459 em 2011. No acumulado do período, o fluxo turístico cresceu 38,1%, com uma média anual de 6,7%.

O ano de 2012 representou a consolidação do projeto implementado desde 2007, que identificou e priorizou o turismo como fator de desenvolvimento econômico e social. Os projetos em curso e as capacitações de profissionais e empresários vão impulsionar ainda mais os resultados da atividade.

Esse processo será arrematado com as Copas das Confederações, em 2013, e do Mundo, em 2014. Os dois eventos irão proporcionar grande visibilidade, repercussão extremamente positiva, dependendo do êxito da organização das duas competições internacionais.

Aeroportos

Uma das bases da estratégia de fortalecimento do turismo adotada pelo Governo do Estado é incentivar a malha aérea regional. Entre os diversos aeroportos regionais, destacam-se dois turísticos tocados pela Secretaria de Turismo: Aracati, inaugurado em agosto de 2012, e Jericoacoara, cuja previsão de inauguração é o segundo semestre de 2013.

Batizado de Aeroporto Dragão do Mar, o terminal de Aracati foi projetado para receber aviões de grande porte, que normalmente operam em voos internacionais como, por exemplo, a família Boeing737 e recebeu em investimentos do Ministério do Turismo e Tesouro do Estado R$ 23.746.467,94, na pista de pouso, área de taxiamento e hangares.

Lá também vai funcionar o Centro de Tecnologia, Manutenção e Comercialização de Aeronaves e Prestação de Serviços Aeronáuticos da TAM Aviação Executiva. Esse centro vai receber investimentos de R$ 26 milhões - sendo R$ 13 milhões em incentivos fiscais estatais - e empregar diretamente 150 pessoas na assistência técnica de aeronaves, helicópteros e jatos executivos, e deve ficar pronto em junho de 2013. Está prevista em contrato a priorização dos trabalhadores locais na contratação da mão de obra, introdução de tecnologia e formação de trabalhadores para o setor aéreo.

Já o aeroporto de Jericoacoara, reconhecido como maior aeroporto fora das capitais do Brasil, deve ter sua pista concluída ainda este ano. Com investimentos de aproximadamente

R$ 56 milhões oriundos de empréstimo com o Banco Andino de Desenvolvimento (CAF), vai encurtar a viagem entre Fortaleza e a praia mais famosa do Ceará em cinco horas, passando das atuais seis horas necessárias por via terrestre para apenas uma hora. Mesmo recebendo esse nome, o aeroporto vai ficar a cerca de 25 quilômetros da localidade, no município de Cruz, pois a praia é cercada pelo Parque Nacional das Dunas de Jericoacoara.

Pinto Martins

Em articulação com a Empresa de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e o Governo Federal, foi captada a maior obra dessa estatal: a ampliação do Aeroporto Internacional Pinto Martins, um investimento de R$ 337 milhões que fará a capacidade de atendimento chegar a 11 milhões de passageiros por ano, enquanto, atualmente, é de 5,6 milhões.

Em reforma desde junho de 2012, o principal portão de entrada do Ceará vai ter a sua capacidade duplicada até 2017, passando a atender 11 milhões de passageiros anualmente. O terminal atual, entregue em 1998, recebeu 5,6 milhões de passageiros em 2011, enquanto foi projetado para atender a apenas 2,5 milhões.

Ao longo dos próximos cinco anos e dividida em duas etapas (a primeira a ser entregue em dezembro e a segunda em fevereiro de 2017), a Infraero vai investir R$ 337 milhões na ampliação e modernização do Terminal de Passageiros (TPS), do Pátio Remoto de Aeronaves e do sistema de acesso viário. Também serão ampliadas as áreas de serviços e construído um edifício garagem.

Além dos aeroportos, o Governo do Estado tem investido de forma continuada na recuperação das rodovias, principalmente no sistema viário que liga a região metropolitana aos principais polos turísticos no litoral cearense.