FECHAR
FECHAR
10 de abril de 2014
Voltar
Aeroportos

Aeroportos brasileiros perdendo a última chamada

Pelo menos metade dos aeroportos localizados nas cidades-sede dos jogos da Copa 2014 está com obras atrasadas e não ficará inteiramente pronta a tempo para o campeonato mundial de futebol

Horizonte sombrio: Pesquisa do Ipea revela que 12 dos 20 maiores aeroportos brasileiros já operam acima de sua capacidade instalada e outros cinco encontram-se perto do limite.

A menos de três meses da cerimônia de abertura da Copa da Fifa de Futebol 2014, o país vive a incerteza se o sistema aeroportuário brasileiro, que já opera normalmente no limite da sua capacidade,  será capaz de atender ao grande crescimento de demanda gerada pela movimentação de torcedores, atletas e jornalistas do mundo inteiro, entre as cidades-sede dos jogos. Um hotsite (http://obras.infraero.gov.br) recém-criado pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária – Infraero, contendo o acompanhamento atualizado das obras nos aeroportos, permite concluir que pelo menos metade dos aeroportos das sedes da Copa não ficará pronta para o campeonato mundial.

Galeão: obras no Terminal 1 só ficarão prontas em janeiro de 2015

Um deles é o Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, onde as intervenções no Terminal 1 só ficarão prontas em janeiro de 2015. No aeroporto de Confins, em Belo Horizonte, o prazo para a conclusão das obras é para novembro deste ano. Em Curitiba, a situação é ainda pior: a conclusão será em março de 2016. No aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, parte das obras só será finalizada em novembro deste ano. Outra parte será entregue apenas em 2016. No aeroporto de Recife, a conclusão da modernização da torre de controle sequer tem prazo para ser iniciado. E no Aeroporto Pinto Martins, em Fortaleza, as obras só serão totalmente entregues em setembro de 2017, ou seja, nove meses antes da próxima Copa do Mundo, na Rússia, em junho de 2018.

Obras da a última etapa do conector do Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes foram finalizadas em 2011

Entre os terminais que estão com obras dentro do prazo previsto estão os de Manaus, de Salvador e Cuiabá, com conclusão assegurada em abril deste ano; e o aeroporto Augusto Severo, em Natal, com finalização em maio.

Já a conclusão das obras nos aeroportos de Viracopos (em Campinas), Guarulhos (em São Paulo) e Brasília, que foram privatizados em 2012, serão entre


Horizonte sombrio: Pesquisa do Ipea revela que 12 dos 20 maiores aeroportos brasileiros já operam acima de sua capacidade instalada e outros cinco encontram-se perto do limite.

A menos de três meses da cerimônia de abertura da Copa da Fifa de Futebol 2014, o país vive a incerteza se o sistema aeroportuário brasileiro, que já opera normalmente no limite da sua capacidade,  será capaz de atender ao grande crescimento de demanda gerada pela movimentação de torcedores, atletas e jornalistas do mundo inteiro, entre as cidades-sede dos jogos. Um hotsite (http://obras.infraero.gov.br) recém-criado pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária – Infraero, contendo o acompanhamento atualizado das obras nos aeroportos, permite concluir que pelo menos metade dos aeroportos das sedes da Copa não ficará pronta para o campeonato mundial.

Galeão: obras no Terminal 1 só ficarão prontas em janeiro de 2015

Um deles é o Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, onde as intervenções no Terminal 1 só ficarão prontas em janeiro de 2015. No aeroporto de Confins, em Belo Horizonte, o prazo para a conclusão das obras é para novembro deste ano. Em Curitiba, a situação é ainda pior: a conclusão será em março de 2016. No aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, parte das obras só será finalizada em novembro deste ano. Outra parte será entregue apenas em 2016. No aeroporto de Recife, a conclusão da modernização da torre de controle sequer tem prazo para ser iniciado. E no Aeroporto Pinto Martins, em Fortaleza, as obras só serão totalmente entregues em setembro de 2017, ou seja, nove meses antes da próxima Copa do Mundo, na Rússia, em junho de 2018.

Obras da a última etapa do conector do Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes foram finalizadas em 2011

Entre os terminais que estão com obras dentro do prazo previsto estão os de Manaus, de Salvador e Cuiabá, com conclusão assegurada em abril deste ano; e o aeroporto Augusto Severo, em Natal, com finalização em maio.

Já a conclusão das obras nos aeroportos de Viracopos (em Campinas), Guarulhos (em São Paulo) e Brasília, que foram privatizados em 2012, serão entregues dentro do prazo e estarão prontas para a Copa do Mundo.

Galeão, segundo maior em movimento no Brasil, depois de Guarulhos

Ainda pelo hotside da Infraero, em 2013 também foram concluídas as obras de Reforma e Ampliação do Terminal de Cargas do Aeroporto Internacional Afonso Pena - Curitiba (PR); a Ampliação das Pistas de Táxi e Pátio de Aeronaves do Aeroporto Internacional de Macapá (AP); Ampliação do Pátio de Aeronaves do Aeroporto Internacional de Salvador e o Pátio de Aeronaves do Aeroporto Internacional Pinto Martins - Fortaleza (CE).

Em 2012 foram concluídas as obras do Terminal de Passageiros 4 e de Terraplanagem do Terminal de Passageiros 3 do Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos - Governador André Franco Montoro (SP); a Implantação do Módulo Operacional do Aeroporto Internacional Salgado Filho - Porto Alegre (RS); a Implantação do Módulo Operacional 2 e a Reforma do Corpo Central do Terminal de Passageiros do Aeroporto Internacional de Brasília/Juscelino Kubitschek (DF) e a Restauração da Pista de Pouso do Aeroporto Internacional Afonso Pena - Curitiba (PR).

Reforma do Corpo Central do Terminal de Passageiros do Aeroporto de Brasília/Juscelino ficou pronta em 2012

No ano anterior, segundo a Infraero, foram inaugurados os Módulos Operacionais do Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP), do Aeroporto Internacional de Campinas/Viracopos (SP), do Aeroporto Internacional de Marechal Rondon - Cuiabá (MT), do Aeroporto Santa Genoveva - Goiânia (GO), e do Aeroporto de Vitória (ES). Também foram concluídas as obras da primeira etapa do Sistema de Pista e Pátio do Aeroporto São Gonçalo do Amarante - Natal (RN); a última etapa do Conector do Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes - Gilberto Freyre (PE) e a Ampliação e Revitalização do Sistema de Pistas do Aeroporto Internacional de Guarulhos.

Medo do “apagão”

De acordo com o Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea), entre os 20 maiores aeroportos brasileiros, responsáveis por 90% do movimento de passageiros, 12 já operam acima de sua capacidade instalada e outros cinco encontram-se quase no limite. Para complicar ainda mais a situação, as companhias aéreas ligadas à Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) já avisaram que serão disponibilizados, no período das competições, nada menos que 16 mil voos extras, suficientes para transportar o equivalente a 7,2 milhões de passageiros.

Construção do terceiro terminal de passageiros de Guarulhos

Segundo a Abear, as operações para as cidades-sede terão um aumento superior a 31%, com a oferta registrando um incremento de 9,7%. Isso significará 645 mil novos lugares somados aos 6,6 milhões existentes. São Paulo terá o maior fluxo de pessoas nos terminais aeroportuários, com uma expectativa de 2,8 milhões de assentos previstos nos aeroportos de Congonhas, Guarulhos e Viracopos. Em seguida virá o Rio de Janeiro, com 89 mil assentos extras para os terminais do Galeão e Santos Dumont, totalizando 881 mil lugares. Em Belo Horizonte, os aeroportos de Pampulha e Confins terão 873 mil assentos, com 789 novas operações somente durante os jogos. E o aeroporto de Brasília terá um aumento de 64% no volume de pousos e decolagens no período da Copa, totalizando de 5,5 mil voos e 560 mil assentos. A movimentação também será intensa em Fortaleza, com 826 voos extras, somados à malha de 1.350 deslocamentos regulares.