ABRIR
FECHAR
ABRIR
FECHAR
12 de julho de 2010
Voltar
M&T Expo 2011

M&T Expo Peças e Serviços

Nova feira da Sobratema tem mais de 50% da área prevista para a exposição comercializada já na cerimônia de lançamento

A Associação Brasileira de Tecnologia para Equipamentos e Manutenção (Sobratema) deu uma importante demonstração do seu prestígio e de confiança da força econômica dos setores da Construção e Mineração ao lançar oficialmente, no Brasil, a primeira edição da M&T Expo Peças e Serviços. O evento acontecerá de 10 a 13 de agosto de 2011, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo, reunindo toda a cadeia de suprimentos, peças e serviços – com ênfase na atividade de rental – para Construção e Mineração na América Latina. No exterior, a M&T Expo Peças e Serviços foi lançada durante a Bauma 2010, feira internacional de equipamentos para Construção e Mineração, realizada de 19 a 25 de abril, em Munique, na Alemanha.

Somente no Brasil, nada menos que 110 mil indústrias atuam como provedores de peças e equipamentos nesses mercados, com foco em reposição e manutenção, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 2009 as vendas de peças para reposição movimentaram no País R$ 3,5 bilhões. O mercado de rental, por sua vez, gerou cerca de R$ 4 bilhões. A expectativa de Mário Humberto Marques, presidente da Sobratema, é de que até 2011 esses mercados movimentem em torno de R$ 11 bilhões.

Essa expectativa se apoia principalmente na previsão de aumento do volume de investimentos em infraestrutura, previstos para o período 2010-2014. Estudos realizados pela Sobratema estimam que as vendas internas de máquinas e equipamentos para a construção cresçam mais de 60% entre 2010 e 2013, estimuladas principalmente pelo Programa de Aceleração do Crescimento II (PAC II), cujo montante deve ultrapassar R$ 1,5 trilhão; e pela realização da Copa do Mundo, que deverá movimentar até R$ 110 bilhões. “Há ainda os investimentos para as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro, cujas obras deverão impulsionar as vendas, novamente, em cerca de 26%”, afirma Mário Humberto.

A feira que faltava
A M&T Expo Peças e Serviços já nasceu vitoriosa. Dos 20 mil m² da área prevista para a exposição, mais de 50% foram reservados antes mesmo do final da cerimônia de lançamento, ocorrida no dia 9 de junho, nos salões da Casa das Caldeiras, na Água Branca, em São Paulo. “A nova dinâmica que o mercado apresenta exigiu a criação de um evento específico, cujo mercado é absolutamente vital e estratégico. A feira terá fabricantes de peças das marcas


A Associação Brasileira de Tecnologia para Equipamentos e Manutenção (Sobratema) deu uma importante demonstração do seu prestígio e de confiança da força econômica dos setores da Construção e Mineração ao lançar oficialmente, no Brasil, a primeira edição da M&T Expo Peças e Serviços. O evento acontecerá de 10 a 13 de agosto de 2011, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo, reunindo toda a cadeia de suprimentos, peças e serviços – com ênfase na atividade de rental – para Construção e Mineração na América Latina. No exterior, a M&T Expo Peças e Serviços foi lançada durante a Bauma 2010, feira internacional de equipamentos para Construção e Mineração, realizada de 19 a 25 de abril, em Munique, na Alemanha.

Somente no Brasil, nada menos que 110 mil indústrias atuam como provedores de peças e equipamentos nesses mercados, com foco em reposição e manutenção, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 2009 as vendas de peças para reposição movimentaram no País R$ 3,5 bilhões. O mercado de rental, por sua vez, gerou cerca de R$ 4 bilhões. A expectativa de Mário Humberto Marques, presidente da Sobratema, é de que até 2011 esses mercados movimentem em torno de R$ 11 bilhões.

Essa expectativa se apoia principalmente na previsão de aumento do volume de investimentos em infraestrutura, previstos para o período 2010-2014. Estudos realizados pela Sobratema estimam que as vendas internas de máquinas e equipamentos para a construção cresçam mais de 60% entre 2010 e 2013, estimuladas principalmente pelo Programa de Aceleração do Crescimento II (PAC II), cujo montante deve ultrapassar R$ 1,5 trilhão; e pela realização da Copa do Mundo, que deverá movimentar até R$ 110 bilhões. “Há ainda os investimentos para as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro, cujas obras deverão impulsionar as vendas, novamente, em cerca de 26%”, afirma Mário Humberto.

A feira que faltava
A M&T Expo Peças e Serviços já nasceu vitoriosa. Dos 20 mil m² da área prevista para a exposição, mais de 50% foram reservados antes mesmo do final da cerimônia de lançamento, ocorrida no dia 9 de junho, nos salões da Casa das Caldeiras, na Água Branca, em São Paulo. “A nova dinâmica que o mercado apresenta exigiu a criação de um evento específico, cujo mercado é absolutamente vital e estratégico. A feira terá fabricantes de peças das marcas mundiais instaladas no Brasil. Trará componentes de trens de força, de vedações, transmissões, suspensões e molas, sistemas hidráulicos, eletrônicos, material rodante, lubrificação, ferramentas de penetração de solo, materiais de desgaste, acessórios, peças e componentes em geral”, explica o presidente da Sobratema.

Já na área de serviços, espera-se a presença das empresas de rental de equipamentos para construção e mineração, recuperadoras e reformadoras de máquinas, retíficas, reformadoras de pneus, gerenciamento e monitoramento de frotas, transportadoras, fornecimento e treinamento de mão de obra, empresas de usinagem e caldeiraria, entre outras.

Afonso Celso Mamede, vice-presidente da Sobratema e diretor de Suprimentos da Construtora Norberto Odebrecht, define a nova feira como um “shopping center de soluções” para o dia a dia dos canteiros de obras, uma vitrine onde o usuário terá a oportunidade de conhecer o estado da arte em peças de reposição, componentes, serviços e soluções em geral para a manutenção e otimização dos recursos dos seus equipamentos. Ele informa que, por ter seu foco no dia a dia dos canteiros de obras, a M&T Expo Peças e Serviços terá periodicidade anual, excetuando apenas os anos em que ocorrerá a tradicional M&T Expo (equipamentos), cuja realização se dá a cada três anos. “Nosso objetivo é apresentar as inovações tecnológicas desenvolvidas para a demanda dos usuários, mas acreditamos que, como preço e qualidade têm relação direta nos resultados das empresas de construção e mineração, a busca pelo melhor preço também deverá ser observada durante a feira”, complementa Mamede.

Paulo Lancerotti, diretor Executivo da Sobratema, acrescenta que a M&T Expo Peças e Serviços tem tudo para se tornar o principal ponto de encontro de negócios e de acessos aos mercados do Brasil, e um marco para o setor, por ser a única feira, na América Latina, que envolve toda a cadeia produtiva. “Nosso objetivo é aproximar quem produz as soluções de quem as consome, de forma a estimular a cooperação no desenvolvimento de novas soluções ou aprimoramento das existentes.”

Ele aposta na amplitude de possibilidade de serviços a serem apresentados no evento. “Queremos realizar uma feira de peças e serviços de acordo com o que o usuário precisa e como não existe no Brasil”, garante Lancerotti.

Hugo José Ribas Branco, diretor Executivo da M&T Expo Peças e Serviços, informa que o público-alvo da feira será formado prioritariamente por executivos e funcionários da área de suprimento das grandes construtoras, ou mesmo por diretores de empresas de menor porte, atentos ao que o mercado oferece em termos de diversificação de componentes para a reparação e manutenção de equipamentos.

Para o êxito da nova empreitada, o diretor da Sobratema aposta na experiência consolidada de 15 anos de sucesso técnico, comercial e de público da M&T EXPO. Na edição de 2009, a feira atingiu seu limite físico, o que resultou em uma lista de espera e mais de 100 empresas, sem espaço para expor.

Um mercado aquecido
Além do PAC II e dos grandes eventos desportivos, os recursos disponibilizados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) são outro fator de estímulo para o setor, a ser considerado por quem deseja participar desta nova vitrine da Construção no Brasil. Mário Humberto Marques observa que a prorrogação da linha de financiamento Finame-PSI (Programa de Sustentação do Investimento), por exemplo, contribui de forma significativa para a recuperação do mercado de máquinas e equipamentos industriais. Até 2012, o BNDES deve liberar uma quantia maior de recursos, calculada em R$ 83 bilhões, o que significa mais investimentos em máquinas, peças e suprimentos.

Outro fator que mostra que o Brasil é “a bola da vez” em investimentos em infraestrutura do mundo, segundo Marques, é a posição do País em relação ao mercado internacional, em especial, à União Europeia, Estados Unidos e Japão. “Nosso setor sofreu uma retração de 28% nas vendas, ano passado, em comparação com o ano anterior, devido à forte crise internacional. No entanto, as quedas na União Europeia, Estados Unidos e Japão foram superiores a 50%”, lembra Marques. Para este ano, a expectativa de crescimento nas vendas de equipamentos da linha amarela no Brasil gira em torno de 18% enquanto Europa e América do Norte não devem passar de 10%. O executivo crê que a realização da M&T Expo Peças e Serviços será, portanto, importante instrumento de consolidação do Brasil como forte participante do mercado internacional.

Mercado tem expectativas positivas
Para saber o que o mercado pensa sobre a nova iniciativa da Sobratema, Grandes Construções ouviu a opinião de alguns dos principais players desse cenário. Um dos entusiastas do empreendimento é Cleivson Moura Vieira, diretor de Vendas e Marketing de Peças da CNH para a América Latina. “Um evento com essa vocação, com foco no pós-venda, permitirá aos clientes conhecerem melhor o que o mercado oferece em termos de soluções para as suas necessidades, tanto no que diz respeito a peças e serviços quanto ao rental. A M&T Expo Peças e Serviços permitirá também aos fornecedores deste mercado mostrar sua cara, principalmente nesse novo contexto de concorrência acirrada.”

O executivo acredita ainda que a feira fortalecerá o combate à pirataria. “Um evento como esse ajuda a difundir o conceito do uso de peças originais. O enfoque nos serviços ao cliente e no suporte de peças é importante não apenas para a fidelização do cliente, mas também para a própria marca. Por esse motivo, vamos trabalhar o evento em conjunto com nossos distribuidores, que são a linha de frente desse negócio, mostrando a estrutura que oferecemos, os investimentos que realizamos etc.”

Otto Breitschwerdt, diretor Comercial da Caterpillar, concorda com Cleivson Moura Vieira. Ele afirma que uma feira com esse perfil permite aos clientes observar todas as ofertas disponíveis no mercado, analisando tendências e estudando soluções, de forma a otimizar recursos e reduzir custos. “O intercâmbio de negócios na América Latina também tende a se fortalecer com essa feira. A região tornou-se um bloco bastante forte. Portanto, a feira abrange um território importante, progressivo em relação ao resto do mundo. A Caterpillar participou das duas últimas edições da M&T com um tremendo sucesso. E eu não espero nada diferente desta nova feira de peças e serviços”, afirma.

Paulo Oscar Auler Neto, superintendente de Aquisição de Equipamentos da Construtora Norberto Odebrecht, adianta o que espera da M&T Expo Peças e Serviços: “Meu foco será encontrar serviços. Quero conhecer um bom fornecedor de reparos, de solda, de componentes, de locação de máquinas pesadas ou de pequeno porte”. A grande vantagem da feira, em sua opinião, será reunir, num mesmo local, fornecedores de pequeno, médio e grande porte, com vocações para atender clientes de todo tamanho e perfil. “Eu aposto em um ambiente de competição sadia, envolvendo inclusive fornecedores do exterior.”

Felipe Cavalieri, diretor Geral da Brasil Máquinas de Construção, dealer master da Hyundai no Brasil, considera a feira uma iniciativa brilhante. “É mais uma oportunidade – além da própria M&T – de os fabricantes estarem em contato direto com os clientes e usuários.” Jhonnathan Ferrazza, diretor Comercial da Flecha de Prata Logística, conta que normalmente, para esse tipo de contato direto, seria necessário visitar inúmeras empresas, em viagens longas, cansativas e custosas. Só o que se economiza com essas viagens dá para pagar os custos de participação na feira”, calcula.

A hora e a vez do rental
Paulo Esteves, diretor da Solaris, uma das maiores empresas do País no setor de locação de equipamentos para obras de infraestrutura e serviços, acredita que a nova feira dará forte estímulo ao setor de rental no Brasil. Em média, os gastos de uma construtora com locação não passam de 3% do custo total com os equipamentos. “Com o rental, a empresa elimina custos de manutenção e gerenciamento em todo o ciclo de vida das máquinas, da sua aquisição ao descarte”, calcula Esteves, que vê no rental a solução para o que considera um dos maiores problemas do setor da construção no Brasil: o pós-venda. “Essa é uma área que demanda uma atenção especial por parte dos fabricantes. Sentíamos falta de uma feira voltada especialmente para o pós-venda, e para o rental, que vive hoje uma tendência de crescimento, principalmente no mercado de grandes projetos”, avalia o diretor da Solaris.

Eurimilson João Daniel, diretor da Escad Locações e Terraplenagem, também está entusiasmado com a M&T Expo Peças e Serviços. “O grande ganho proporcionado pela feira será a interatividade entre as pessoas, a possibilidade de sentar com seus fornecedores e clientes e falar de negócios. Hoje o rental está capilarizado em todas as áreas. Daí a necessidade de uma feira com esse perfil.”

Para ele, o momento é mais do que oportuno. “Existe uma ansiedade muito grande, por parte de cada fornecedor, em buscar seu espaço de crescimento. Não tenho dúvida de que se algum cliente, necessitando de equipamento, for visitar a feira e conversar comigo, ele será bem atendido e sairá da feira com a melhor imagem da nossa empresa, que vai durar pelos próximos ciclos de obras que acontecerão no Brasil.”

Exército brasileiro apoia iniciativa
Para planejar, orientar, coordenar e executar obras de infraestrutura essenciais para o País, em regime de cooperação com o governo federal, o Departamento de Engenharia e Construção (DEC) do Exército Brasileiro conta com uma estrutura comparável à das maiores construtoras privadas brasileiras. Faz parte dessa estrutura um parque composto por mais de 2 mil equipamentos pesados, que demandam constante manutenção e reposição de peças.

Sob o comando do DEC, a Diretoria de Obras de Cooperação (DOC) do Exército responde atualmente pela execução de importantes obras, como a reconstrução e a pavimentação das rodovias Manaus/Porto Velho (BR-319) e Cuiabá/Santarém (BR-163), a construção do aeroporto internacional de São Gonçalo do Amarante (RN), a transposição do rio São Francisco e a duplicação da BR-101, entre outras.

Para o general Ítalo Fortes Avena, chefe do DEC, a M&T Expo Peças e Serviços será uma excelente oportunidade para se conhecer, em um só evento, grande número de fornecedores de peças e serviços, ter acesso a informações que permitam otimizar os esforços de manutenção das viaturas e equipamentos, melhorar a qualidade desses serviços, com redução de custos e de tempo. “A feira vai concentrar as informações, permitindo selecionar melhor nossos parceiros e diminuir os tamanhos dos nossos estoques”, acredita o militar.

O general de Divisão Jorge Ernesto Pinto Fraxe, diretor da Divisão de Obras de Cooperação do Exército, também presente ao evento, lembrou que a DOC, além contribuir com a sociedade civil na execução de obras de construção importantes, permite, com suas ações, a permanente atualização da tecnologia de construção no País.

Ricardo Lessa, diretor Comercial e de Marketing para a América do Sul da Schwing Stetter – fabricante de centrais e bombas de concreto, recicladores para concreto, betoneiras e responsável pelo desenvolvimento de sistemas de concretagem –, gostou tanto da ideia da feira que fechou uma reserva de espaço para exposição já no evento de lançamento. “Para os clientes, ter um esquema eficiente de assistência técnica, pós-venda e peças de reposição faz toda a diferença. Isso se torna ainda mais importante com o acirramento da competição, a chegada de novos concorrentes ao mercado. Queremos focar o diferencial da nossa marca justamente nesse tipo de suporte”, revela.

Quem também está decidido a participar da feira é a Comingersoll do Brasil, dealer de marcas como a Doosan/Bobcat e Ingersoll-Rand. Jorge Glória, diretor da empresa, destacou que a feira é uma forma de suprir uma lacuna do mercado, e está fadada ao sucesso, assim como ocorre com a M&T Expo.

Nivaldo Alves de Oliveira, gestor de Máquinas e Equipamentos da Galvão Engenharia, destaca a importância do rental e deseja travar contato com fornecedores que possam se tornar parceiros permanentes. “Espero encontrar a disponibilização de serviços em áreas em que nós não temos expertise, ou que preferimos repassar as atividades para terceiros”. Ele revela que somente 30% da demanda total da empresa é atendida por frota própria. Os 70% restantes são atendidos com frotas de empresas parceiras. “Hoje você tem que fazer uma busca detalhada e desenvolver as parcerias.”

Oliveira sintetizou a expectativa do setor em relação ao evento: “Uma feira estruturada dessa forma como pretende a Sobratema vai facilitar muito nossa vida. Acredito que estaremos muito próximos de empresas pioneiras em novas tecnologias, alinhados com as inovações do mercado, travando conhecimento com uma ampla gama de soluções propostas por empresas altamente especializadas e por dealers muito à frente da média em termos de atendimento ao cliente. A feira representará, portanto, a busca constante da evolução nos setores de Construção e Mineração”, acredita.

Mais matérias sobre esse tema

Av. Francisco Matarazzo, 404 Cj. 701/703 Água Branca - CEP 05001-000 São Paulo/SP

Telefone (11) 3662-4159

© Sobratema. A reprodução do conteúdo total ou parcial é autorizada, desde que citada a fonte. Política de privacidade