18 de abril de 2019
Voltar

ENERGIA

Usina hidrelétrica de Jupiá celebra 50 anos

Uma das mais importantes hidrelétricas do país completa meio século de operação envolvida em um projeto de modernização inédito no setor
Fonte: Assessoria de Imprensa

No dia 14 de abril, a Usina Jupiá comemorou 50 anos de operação olhando para o futuro.

A usina, localizada no rio Paraná, na divisa do estado de São Paulo com o Mato Grosso do Sul, entre Castilho, SP e Três Lagoas, MS, está passando por um processo de modernização sem precedentes na história do setor elétrico brasileiro, junto com a Usina Ilha Solteira. As duas hidrelétricas são operadas pela CTG Brasil.

No total, serão R$ 3 bilhões investidos, no prazo de dez anos, para reformar 34 unidades geradoras – 14 de Jupiá e 20 de Ilha Solteira.

O projeto também inclui toda a parte de automação e um novo Centro de Operação da Geração (COG), entre outras melhorias que visam trazer mais confiabilidade para o sistema elétrico do país.

“O projeto de modernização reforça nosso compromisso de longo prazo com o Brasil, pois vamos entregar para a sociedade brasileira dois ativos novos, modernos e com vida útil para operar com disponibilidade e segurança pelos próximos 30 anos”, diz Evandro Vasconcelos, vice-presidente de Geração e Comercialização da CTG Brasil, que também destaca o importante trabalho de cooperação entre profissionais brasileiros e chineses.

Histórico

Com 1.551,2 MW de capacidade instalada, a Usina Jupiá gerou, desde o início da operação pela CTG Brasil, em 1º de julho de 2016, 20.954.183 megawatts hora (MWh), energia suficiente para atender a uma cidade de cerca de 2,6 milhões de habitantes por todo esse período.

O reservatório da usina ocupa uma área de 330 quilômetros quadrados, banhando sete municípios ao longo de 541 quilômetros. O lago vai além da finalidade principal de assegurar água para a geração de energia, e colabora para impulsionar o turismo na região, por meio de atividades náuticas, de pesca e lazer.

A usina Jupiá passou a ser operada e administrada em 2016 pela CTG Brasil, que pagou ao governo brasileiro a outorga de R$ 4,67 bilhões pela concessão de 30 anos.

A usina Ilha Solteira, afirma a empresa, foi arrematada no mesmo leilão, por R$ 9,13 bilhões.

“Juntas, as duas usinas compõem o maior complexo hidrelétrico das regiões Sudeste e Centro-Oeste, com capacidade total instalada de 4.995,2 MW”, afirma Vasconcelos.