FECHAR
20 de março de 2019
Voltar

LOGÍSTICA

Tópico leva realidade virtual à Intermodal South America

A empresa levará à feira óculos de realidade virtual para que clientes possam vivenciar diferenciais das infraestruturas flexíveis que oferece
Fonte: Assessoria de Imprensa

Voltada para o segmento de infraestruturas flexíveis para armazenagem e cobertura, a Tópico apresentou, durante a 25ª Intermodal South America que acontece entre os dias 19 e 21 de março, o novo posicionamento da empresa no mercado, aproveitando o aniversário de 40 anos no Brasil – completados neste ano.

A companhia, que detém mais de 65% do mercado nacional, tem por objetivo consolidar a imagem da infraestrutura flexível como alternativas às construções de alvenaria, ofertando projetos de engenharia seguros, duráveis, com agilidade e melhor custo-benefício.

"A dinâmica dos mercados globais, as incertezas e os altos custos do nosso país desafiam os gestores a buscar soluções cautelosas para o crescimento. Assim, as empresas passam a preferir um supply chain mais flexível. A Tópico oferece layouts modulares para atender aos desafios impostos aos clientes de forma a fazê-los prosperar", afirma Sérgio Gallucci Parisi, diretor Comercial e de Marketing (CCO).

Dentro do novo posicionamento, que pretende melhorar o awareness da marca – e, consequentemente, a percepção de solidez e durabilidade dos produtos ofertados – a Tópico renomeou a linha de produtos, buscando a denominação no alfabeto grego, possibilitando um entendimento mais direto objetivo e de reconhecimento mundial.

As soluções passam a se chamar Beta (estrutura tubular de aço e lona, de montagem mais ágil, indicada para demandas de períodos mais curtos), Gama (mais robusta, com vãos maiores e para períodos mais longos), Zeta (armazenagem de urgência para clientes que possuem menos espaço) e Delta (soluções customizadas de acordo com a necessidade do cliente).

As linhas Beta, Gama e Delta contam com a Plataforma Plus (com fechamento em zinco, esteticamente mais sólida, mais segura, com maior conforto térmico e menos manutenção).

"As estruturas flexíveis e modulares – que tanto podem ser para utilização permanente quanto temporária – são indicadas para atender às demandas de armazenagem e coberturas dos mais variados tipos, de forma a atender rapidamente à demanda e aos desafios do aumento de produção", acrescenta Parisi.

No comparativo às construções de alvenaria, por conta do processo de elaboração de projeto de engenharia, aprovação, emissão de laudos técnicos, início da obras, entre outras etapas, levam, no mínimo, 18 meses para serem concluídas.