FECHAR
FECHAR
16 de janeiro de 2020
Voltar

ENERGIA

Sices Solar encerra 2019 com faturamento acima de R$ 1,5 bilhão

Empresa tem mais de 50% do market share de geração distribuída no país, e é a maior provedora de soluções em energia solar fotovoltaica da América Latina e inicia atuação internacional no México, Europa e China
Fonte: Assessoria de Imprensa

A Sices Solar encerra 2019 com um faturamento acima de R$ 1,5 bilhão, o que significa que a empresa mais que dobrou seu resultado nesse período, se comparado ao do ano de 2018, que foi de R$ 666 milhões.

Desde janeiro de 2017, o crescimento médio é de 12% ao mês. Além disso, a empresa acaba de superar a marca de 1 Gigawatt em potência fornecida no Brasil, o que representa quase a capacidade instalada da Usina Hidrelétrica de Furnas.

Neste ano de crescimento histórico para a Sices Solar, a companhia ainda deu início à sua internacionalização, abrindo operações no México, na China e na Itália, de onde começará a expansão no mercado Europeu.

A operação de Hong Kong atenderá à demanda dos vários países do Sudeste Asiático, como Tailândia, Laos, Camboja, Vietnã, além da Indonésia e Malásia, todos mercados em franca expansão na geração de energia solar.

“A necessidade de uma nova matriz energética brasileira e a busca por uma energia limpa e mais barata por toda a cadeia, da indústria ao consumidor final, impulsionou o nosso crescimento de forma bastante acelerada”, conta Leonardo Camillo Curioni, fundador e CEO da Sices Solar.

...

A Sices Solar encerra 2019 com um faturamento acima de R$ 1,5 bilhão, o que significa que a empresa mais que dobrou seu resultado nesse período, se comparado ao do ano de 2018, que foi de R$ 666 milhões.

Desde janeiro de 2017, o crescimento médio é de 12% ao mês. Além disso, a empresa acaba de superar a marca de 1 Gigawatt em potência fornecida no Brasil, o que representa quase a capacidade instalada da Usina Hidrelétrica de Furnas.

Neste ano de crescimento histórico para a Sices Solar, a companhia ainda deu início à sua internacionalização, abrindo operações no México, na China e na Itália, de onde começará a expansão no mercado Europeu.

A operação de Hong Kong atenderá à demanda dos vários países do Sudeste Asiático, como Tailândia, Laos, Camboja, Vietnã, além da Indonésia e Malásia, todos mercados em franca expansão na geração de energia solar.

“A necessidade de uma nova matriz energética brasileira e a busca por uma energia limpa e mais barata por toda a cadeia, da indústria ao consumidor final, impulsionou o nosso crescimento de forma bastante acelerada”, conta Leonardo Camillo Curioni, fundador e CEO da Sices Solar.