FECHAR
04 de outubro de 2018
Voltar

Eventos

Refugiados recebem curso de formação profissional

Fonte: Assessoria de Imprensa

Um grupo de 16 refugiados de diferentes nacionalidades, abrigados na cidade de São Paulo, concluíram, o curso gratuito de formação em pintura, na Universidade Futura do Pintor. O projeto criado pela indústria Futura Tintas, nesta inciativa especial, contou com a parceria do Comitê Inserção de Refugiados do Grupo Mulheres do Brasil.

Iniciado em 17 de setembro, o processo de educação da Escola do Pintor teve como principal objetivo, oferecer uma nova perspectiva para pessoas que desejam iniciar na profissão. Durante dez dias, educadores técnicos ministraram aulas práticas e teóricas de especialização na profissão, em espaço de 1.800m2, no bairro do Belenzinho, em São Paulo.

Selecionados pelas instituições e Ongs Cáritas Brasileira, Instituto Venezuela e Estou Refugiado, os alunos foram apresentados ao projeto que já formou, em quatro anos, 1.500 profissionais na área, em diversas regiões do Brasil. A seleção dos alunos foi baseada no desejo de reinserção no mercado de trabalho com a atividade de pintor.

Os alunos têm entre 28 e 50 anos e vieram da Venezuela, Congo e Nigéria. Grande parte desenvolvia trabalhos informais de elétrica e mecânica em seus países de origem, com grande dificuldade financeira. Aqui, amparados pelas entidades brasileiras, buscam a tão sonhada autonomia financeira. Segundo dados do Conare (Comitê Nacional para Refugiados), o Brasil recebeu até o final de 2017, 10.145 refugiados reconhecidos alocados em diversas regiões do Brasil. Em andamento, mais 33.866 solicitações de refúgio.

Para viabilizar o curso, a Universidade Futura do Pintor criou uma turma exclusiva no período da tarde, com o mesmo conteúdo pedagógico aplicado aos alunos brasileiros. Ao todo, o curso contemplou 50 horas/aula em salas de aula e em ambientes que reproduzem cenários reais de pintura. As instituições parceiras financiaram o transporte para dar-lhes condições de deslocamento até o local do curso.

"Colorir Vidas. É com esse propósito que a Futura Tintas, ajuda a imprimir novas cores na história das pessoas com a Universidade Futura do Pintor. Em sintonia com nosso propósito, o Comitê de Refugiados do Grupo Mulheres do Brasil nos trouxe mais uma oportunidade de transformar realidades e, ao mesmo tempo, trazer ao mercado, profissionais qualificados", diz Ricardo Stiepcich, líder da Futura Tintas.

Um dos pilares de atuação do Comitê de Inserção de Refugiados do Grupo Mulheres do Brasil é a capacitação para o trabalho. Nesse sentido, poder ajudar Venezuelanos e refugiados de outras nacionalidades a se capacitarem como pintores na Universidade Futura do Pintor foi muito importante, pois é alinhada com nosso propósito, oferecendo uma formação de alta qualidade, que fará a diferença para aqueles que foram parte do processo. Esperamos que essa seja a primeira de muitas turmas de refugiados que se formam. Ficamos muito felizes com a parceria, destaca Juliana Algodoal, líder Comitê Inserção de Refugiados do Grupo Mulheres do Brasil.

Produção editorial: Revista Grandes Construções – Desenvolvido e atualizado por Diagrama Marketing Editoral