FECHAR
12 de setembro de 2019
Voltar

CONSTRUÇÃO / Infraestrutura e concessões reaproximam China e Brasil

Alvos

Os principais focos de interesse dos chineses no Brasil são os setores de logística, varejo, energia, financeiro e agronegócio, com destaque para grãos e carnes.
O embaixador chinês no Brasil, Yang Wanming, afirma que a China deverá dobrar o seu consumo de carne bovina até 2026, o que favorece o Brasil, grande exportador do produto.

No evento, Wanming garantiu que o governo de Pequim quer reduzir ainda mais as tarifas alfandegárias e diminuir os custos institucionais das exportações na relação bilateral com o país.

Para o Brasil, a expectativa é que as relações comerciais entre os dois países sejam mantidas, com indicativos de possíveis fortalecimentos.

Apenas em 2018 o Brasil exportou para China o equivalente a US$ 64 bilhões, enquanto importou US$ 34 bilhões, o que representa um importante superávit para a indústria e comércio brasileiro.

“Damos grande importância ao desenvolvimento de infraestrutura, alta tecnologia, transformação industrial tradicional, serviços sociais e novas regiões de crescimento. Queremos estar mais próximos do Brasil”, afirmou o vice-premiê Liu He, da Comissão de Estabilidade e Desenvolvimento Financeiro, em comunicado endereçado aos empresários brasileiros.