FECHAR
FECHAR
20 de fevereiro de 2013
Voltar
Especial Ceará - Logística

Transnordestina deve ficar pronta em dezembro de 2015

O ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, promete dar agilidade às obras da ferrovia Nova Transnordestina, que nos últimos meses têm sido tocadas muito lentamente

A cargo da Construtora Odebrecht, a ferrovia que terá uma extensão de 1.728 quilômetros deve demandar recursos da ordem de R$ 5,3 bilhões e, segundo o ministro deverá ser completamente concluída em dezembro de 2015. A previsão anterior era para o final de 2014.

Passos diz que a Transnordestina é uma ferrovia de grande importância para a integração do Nordeste do país, com uma função extremamente relevante de escoar a produção agrícola e mineral do sul do Piauí. A Transnordestina deve ligar o Porto de Pecém, no Ceará, ao Porto de Suape, em Pernambuco.

Atualmente, 874 quilômetros da ferrovia estão em obras de infraestrutura, obras de arte e superestrutura dos trechos Missão Velha (CE) - Salgueiro (PE); Salgueiro - Trindade (PE); Eliseu Martins (PI) - Trindade; Salgueiro - Suape (PE); Pecém (CE) - Missão Velha.

Segundo ele, o ritmo das obras está lento, porém garantiu que o governo está agindo no sentido de agilizá-las. “É um assunto do mais alto interesse do governo. Nosso desejo e vontade é retomar logo os investimentos dessa ferrovia. Acreditamos que nos primeiros meses de 2013 o serviço esteja sendo executado em ritmo acelerado”, disse o ministro.

Trata-se do maior projeto de infraestrutura de transporte em execução no País. A sua implantação permitirá que a matriz de transporte do Nordeste, sobretudo na área de influência do projeto (Ceará, Pernambuco, Piauí, Tocantins e Bahia), mude drasticamente, possibilitando que empresas se instalem, que a produção do cerrado alcance níveis extremamente positivos e que a integração entre ferrovia e os portos de Suape (PE) e do Pecém (CE) se torne uma realidade no curto prazo.

Em um futuro próximo a economia do Nordeste vai colher os frutos dos benefícios da Transnordestina. O projeto tem grande capacidade de geração de postos de trabalho, de forma constante. Atualmente, cerca de 11 mil novas vagas de trabalho estão sendo geradas por conta da implantação da nova ferrovia. Também colherão bons resultados do projeto o agronegócio e a indústria de extração mineral.