FECHAR
FECHAR
26 de fevereiro de 2014
Voltar
Mercado Imobiliário

Superando as expectativas mais otimistas

Financiamentos imobiliários com recursos das cadernetas de poupança alcançaram um novo recorde histórico em 2013, com um montante de R$ 109,2 bilhões em desembolsos

O ano de 2013 deixou excelentes resultados, nas áreas de poupança, crédito e mercado imobiliário, que só agora começam a ser conhecidos. De acordo com a Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), no ano passado os financiamentos imobiliários com recursos das cadernetas de poupança alcançaram um novo recorde histórico em recursos desembolsados, com um montante de R$ 109,2 bilhões. Isso representou um crescimento da ordem de 32% sobre 2012, quando os desembolsos somaram R$ 82,8 bilhões. Os dados da Abecip não incluem empréstimos com recursos do FGTS, como os empréstimos no programa “Minha Casa Minha Vida”. Somente em dezembro de 2013, foram desembolsados R$ 10,4 bilhões, aumento de 17% em relação a igual mês de 2012.

Só no mês de dezembro de 2013, o volume de empréstimos para compra e construção de imóveis foi de R$ 10,4 bilhões, sinalizando para um aumento de 2,3% sobre os resultados de novembro. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, o crescimento foi de 17%.

Os números surpreenderam até mesmo a Abecip, que tinha uma expectativa de crescimento de 15% nos desembolsos em 2013. Para Octavio de Lazari Junior, presidente da Abecip, esse resultado se deve em parte (40%) ao aumento dos preços dos imóveis. O aumento real do número de financiamentos respondeu pelos restantes 60% do incremento no volume desembolsado.

Ao todo, ao longo de 2013, foram financiadas 529,8 mil imóveis com recursos da poupança, avanço de 17% ante o ano anterior, já que em 2012 o número de unidades financiadas foi de 492,9 mil. E, mais uma vez, tomando apenas o mês de dezembro como referência, tem-se 50,9 mil imóveis adquiridos e construídos – uma alta de 7% sobre novembro do mesmo ano, e de 19% sobre o mesmo mês de 2012.

Segundo o presidente da Abecip, vários fatores, ligados ao cenário macroeconômico contribuíram para este excelente desempenho, como baixo nível de desemprego, elevação da renda dos brasileiros, e, sobretudo, o aumento significativo da oferta de recursos disponíveis na caderneta de poupança. De janeiro a dezembro de 2013, o saldo dos depósitos de poupança no Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo alcançou R$ 466 bilhões, valor 20% superior ao acumulado de janeiro a dezembro de 2012. A captação líquida das contas de poupança superou R$ 54 bilhões, um aumento de 46% em relação ao acumulado em 2012.

Somente em dezembro de 2013, os depósitos em cadernetas de poupança superaram os saques em R$ 8,3 bilhões, o melhor resultado em um único mês, desde julho de 1994.  Em dezembro de 2012, a captação líquida da poupança foi de R$ 6.9 bilhões.