FECHAR
FECHAR
01 de julho de 2014
Voltar
Mobilidade Urbana

Rio conhece o protótipo do VLT do Porto Maravilha

As obras do sistema tiveram início em março deste e as primeiras linhas começam a operar no segundo semestre de 2015

A Alstom, fabricante francesa de tecnologia para transporte, entregou à prefeitura do Rio de Janeiro, no final de março, o protótipo do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que circulará na região portuária da cidade, como parte do projeto de modernização da área, conhecido como Porto Maravilha. O sistema terá 28 km de extensão e 46 estações, distribuídos em seis linhas. Uma de suas funções principais será promover a integração entre os diversos tipos de modais, como trens, barcas e metrô.

Com capacidade para transportar 285 mil pessoas diariamente, o VLT começa a operar suas primeiras linhas já a partir do segundo semestre de 2015, a tempo para os Jogos Olímpicos de 2016. Cada carro poderá transportar até 415 passageiros e o intervalo entre os VLTs poderá variar entre três e 15 minutos, conforme a linha e horário.

Além dos veículos, a Alstom fornecerá para o VLT carioca os sistemas de abastecimento de energia, sinalização e telecomunicações.

Citadis, o estado da arte no setor

O veículo oferecido pela Alstom para o sistema de VLT carioca é do modelo Citadis, considerado o estado da arte em transporte neste segmento, já implantado em mais de 40 cidades do mundo e com mais de 1500 composições em operação.

Ele tem capacidade para transportar um volume de passageiros equivalente a 50 carros ou três ônibus, com um gasto de energia, por passageiro, 75% menor do que um ônibus elétrico e emite um quarto do ruído do tráfego de veículos, segundo a fabricante.

Totalmente sustentável, sua energia é fornecida pelo sistema APS, desenvolvido pela Alstom, que elimina a necessidade de uso de catenárias, retirando os fios elétricos aéreos. O veículo será movido pela combinação de um supercapacitor e o sistema que o alimenta de energia elétrica através dos trilhos, já implantado em diversas cidades da Europa.

O modelo também possui plataforma modular que permite um design diferenciado do interior e exterior do veículo, respeitando a arquitetura de cada cidade.

A fabricante francesa anunciou que a partir de dezembro de 2014 colocará em operação uma nova linha de produção dedicada a Citadis em Taubaté (SP), baseada na atual unidade de geração de energia hidrelétrica do grupo naquela cidade. Segundo a empresa, o principal objetivo da nova linha de fabricação é atender aos


A Alstom, fabricante francesa de tecnologia para transporte, entregou à prefeitura do Rio de Janeiro, no final de março, o protótipo do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que circulará na região portuária da cidade, como parte do projeto de modernização da área, conhecido como Porto Maravilha. O sistema terá 28 km de extensão e 46 estações, distribuídos em seis linhas. Uma de suas funções principais será promover a integração entre os diversos tipos de modais, como trens, barcas e metrô.

Com capacidade para transportar 285 mil pessoas diariamente, o VLT começa a operar suas primeiras linhas já a partir do segundo semestre de 2015, a tempo para os Jogos Olímpicos de 2016. Cada carro poderá transportar até 415 passageiros e o intervalo entre os VLTs poderá variar entre três e 15 minutos, conforme a linha e horário.

Além dos veículos, a Alstom fornecerá para o VLT carioca os sistemas de abastecimento de energia, sinalização e telecomunicações.

Citadis, o estado da arte no setor

O veículo oferecido pela Alstom para o sistema de VLT carioca é do modelo Citadis, considerado o estado da arte em transporte neste segmento, já implantado em mais de 40 cidades do mundo e com mais de 1500 composições em operação.

Ele tem capacidade para transportar um volume de passageiros equivalente a 50 carros ou três ônibus, com um gasto de energia, por passageiro, 75% menor do que um ônibus elétrico e emite um quarto do ruído do tráfego de veículos, segundo a fabricante.

Totalmente sustentável, sua energia é fornecida pelo sistema APS, desenvolvido pela Alstom, que elimina a necessidade de uso de catenárias, retirando os fios elétricos aéreos. O veículo será movido pela combinação de um supercapacitor e o sistema que o alimenta de energia elétrica através dos trilhos, já implantado em diversas cidades da Europa.

O modelo também possui plataforma modular que permite um design diferenciado do interior e exterior do veículo, respeitando a arquitetura de cada cidade.

A fabricante francesa anunciou que a partir de dezembro de 2014 colocará em operação uma nova linha de produção dedicada a Citadis em Taubaté (SP), baseada na atual unidade de geração de energia hidrelétrica do grupo naquela cidade. Segundo a empresa, o principal objetivo da nova linha de fabricação é atender aos mercados brasileiro e latino-americano. O investimento na nova linha é de cerca de 15 milhões de euros, em uma área de 16 mil metros quadrados. Para atender ao prazo contratual, a Alstom produzirá os cinco primeiros Citadis na Europa e os demais em Taubaté.

Obras iniciadas

As obras do VLT tiveram início em março deste ano, no Túnel Ferroviário sob o Morro da Providência, no Centro do Rio. A próxima etapa é a implantação do Centro Integrado de Operação e Manutenção (CIOM), que será construído onde atualmente funcionam as quadras poliesportivas da Vila Olímpica da Gamboa.

Para que os frequentadores da Vila não percam seu espaço de lazer, as quadras serão levadas temporariamente para o espaço entre os galpões ferroviários. Ao fim da obra, serão movidos, permanentemente, para o andar de cima do CIOM.