FECHAR
FECHAR
08 de maio de 2014
Voltar
Matéria de Capa - Obra de Arte

Ponte deve diminuir evasão populacional no recôncavo

A Secretaria do Planejamento (Seplan) Bahia realizou visitas à Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Prefeitura de Maragogipe e Estaleiro Enseada do Paraguaçu. O objetivo foi aprofundar o diagnóstico das principais potencialidades da região e entender os impactos que a Ponte Salvador-Itaparica trará para setores econômicos e sociais como educação e o setor da construção naval, que voltou a crescer na região.

Na visita à UFRB, que fica no município de Cruz das Almas, ficou claro que o plano de desenvolvimento pode ajudar em duas das principais dificuldades apresentadas pela Universidade: a baixa atração dos docentes para morarem na região e uma alta taxa de evasão escolar, que gira em torno de 40%. O encurtamento da distância para Salvador e a melhoria da infraestrutura básica da cidade podem atrair mais docentes para a universidade, assim como outras iniciativas governamentais como a facilitação de crédito para compra de imóveis residenciais na região. Além disso, para diminuir a evasão dos alunos, uma ação que pode ser aplicada é a atração dos estudantes do curso Medicina a partir da criação de um polo de saúde na região, proporcionando aos alunos fazerem a residência médica na própria cidade.

A área de educação será analisada de duas maneiras, como um indicador social que precisa ser melhorado e como um vetor de desenvolvimento, gerando emprego e renda.

Durante a visita ao município de Maragogipe o projeto foi apresentado e discutido com o secretário do Governo, Gilberto de Almeida. Como já foi feito com outras cidades, será analisado o perfil econômico de Maragogipe, levando em consideração as oportunidades e desafios que a Ponte poderá oferecer. Uma segunda apresentação para um público maior do município, incluindo a prefeita, vereadores, principais associações e entidades de classe será agendada, contando também com a presença do Secretário José Sérgio Gabrielli.

Indústria naval

O setor naval também é prioritário para o desenvolvimento socioeconômico das regiões do Baixo Sul, e Recôncavo Sul. Por isso, a visita ao Estaleiro, que fica na cidade de Maragogipe, permitiu identificar diversas potencialidades como a redução do custo de transporte de passageiros e de cargas, aumento da produtividade para a região e geração de emprego e renda. O desafio é trazer novos investimentos desse setor para se instalar na região, estimulando toda a cadeia do setor naval, como a siderurgia para a


A Secretaria do Planejamento (Seplan) Bahia realizou visitas à Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Prefeitura de Maragogipe e Estaleiro Enseada do Paraguaçu. O objetivo foi aprofundar o diagnóstico das principais potencialidades da região e entender os impactos que a Ponte Salvador-Itaparica trará para setores econômicos e sociais como educação e o setor da construção naval, que voltou a crescer na região.

Na visita à UFRB, que fica no município de Cruz das Almas, ficou claro que o plano de desenvolvimento pode ajudar em duas das principais dificuldades apresentadas pela Universidade: a baixa atração dos docentes para morarem na região e uma alta taxa de evasão escolar, que gira em torno de 40%. O encurtamento da distância para Salvador e a melhoria da infraestrutura básica da cidade podem atrair mais docentes para a universidade, assim como outras iniciativas governamentais como a facilitação de crédito para compra de imóveis residenciais na região. Além disso, para diminuir a evasão dos alunos, uma ação que pode ser aplicada é a atração dos estudantes do curso Medicina a partir da criação de um polo de saúde na região, proporcionando aos alunos fazerem a residência médica na própria cidade.

A área de educação será analisada de duas maneiras, como um indicador social que precisa ser melhorado e como um vetor de desenvolvimento, gerando emprego e renda.

Durante a visita ao município de Maragogipe o projeto foi apresentado e discutido com o secretário do Governo, Gilberto de Almeida. Como já foi feito com outras cidades, será analisado o perfil econômico de Maragogipe, levando em consideração as oportunidades e desafios que a Ponte poderá oferecer. Uma segunda apresentação para um público maior do município, incluindo a prefeita, vereadores, principais associações e entidades de classe será agendada, contando também com a presença do Secretário José Sérgio Gabrielli.

Indústria naval

O setor naval também é prioritário para o desenvolvimento socioeconômico das regiões do Baixo Sul, e Recôncavo Sul. Por isso, a visita ao Estaleiro, que fica na cidade de Maragogipe, permitiu identificar diversas potencialidades como a redução do custo de transporte de passageiros e de cargas, aumento da produtividade para a região e geração de emprego e renda. O desafio é trazer novos investimentos desse setor para se instalar na região, estimulando toda a cadeia do setor naval, como a siderurgia para aços planos, a indústria galvanizadora e de fundição.

O coordenador do projeto e diretor da Secretaria de Planejamento (Seplan), Paulo Henrique de Almeida, acompanhou as visitas e acredita que o plano de desenvolvimento vai potencializar e otimizar todo o investimento que será feito. “Nos últimos anos, os investimentos foram canalizados para os municípios da Região Metropolitana e Salvador, mais próximos da capital baiana e para o Recôncavo Norte. É necessário fazer essa conexão, que além de diminuir a distância entre as cidades, vai integrar toda a RMS e as regiões do Baixo Sul e Recôncavo Sul.

Eixos do Plano de Desenvolvimento

O Plano de Desenvolvimento da Macroárea (formada pela Ilha, Baixo Sul e Recôncavo Sul) é formado por três eixos. O primeiro, de infraestrutura viária, engloba a Ponte, a requalificação/deslocamento da rodovia BA-001 na Ilha e a requalificação de trechos rodoviários que ligam a Ponte do Funil à cidade de Castro Alves.

O segundo eixo, chamado de infraestrutura urbana, engloba o planejamento da expansão urbana na Ilha de Itaparica e as necessidades de infraestrutura urbana e social (água, saneamento, saúde básica, educação e segurança). Por fim, o eixo de desenvolvimento socioeconômico na macrorregião inclui regulação e incentivos ao investimento privado em setores tais como indústria naval, logística e distribuição, comércio e agricultura.

Além disso, esse eixo contempla investimentos públicos e privados na Educação técnica e superior e na área de Saúde.