FECHAR
FECHAR
29 de outubro de 2012
Voltar
Matéria de Capa - Logística - Aeroportos

Nas asas do crescimento

Infraero faz um balanço das obras de ampliação e modernização de aeroportos em todo o País, e antecipa próxima etapa do programa de concessões do setor

Os aeroportos, por onde passam milhões de pessoas, deixaram de ser apenas um local de passagem e transformaram-se em oportunidades de grandes negócios. O governo brasileiro sabe disso e está colocando em prática o que há muito projetava fazer para tornar realidade o plano de construção e ampliação nos terminais aeroportuários em todo País, mas por falta de recursos está transferindo à iniciativa privada a responsabilidade pela ampliação e modernização dos aeroportos brasileiros.

Os primeiros passos foram dados com a concessão dos aeroportos de Brasília (DF), Guarulhos (SP), Viracopos, em Campinas (SP) e São Gonçalo do Amarante (RN). “Ao final de setembro, a Infraero entregou à concessionária vencedora do leilão do aeroporto de Guarulhos formado pela Invepar ACSA, que reúne as companhias Investimentos e Participações em Infraestrutura S/A e a Airports Company South Africa, que ofereceu lance de R$ 16,213 bilhões, as obras de terraplenagem para a construção do Terminal de Passageiros 3, que envolveram recursos da ordem de R$ 300 milhões. De acordo com o diretor de Obras de Engenharia da Infraero, Jaime Henrique Parreira, o aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro deve entrar no próximo lote de concessões do setor a ser anunciado pelo governo.

Parreira disse que está previsto um programa de reformas bastante amplo para o Galeão, orçado em R$ 254 milhões. “Cerca de 70% dessa obra se refere aos sistemas hidráulicos e elétricos, como elevadores e escadas rolantes. A previsão é que ela esteja concluída até dezembro de 2012”, pontua o diretor da Infraero. Ainda este ano, será entregue a parte nova do terminal de passageiros 2, que agregará uma capacidade de 15,9 milhões de passageiros/ano ao aeroporto.

O diretor da Infraero informa ainda que estão em andamento, no Galeão, as obras para alargamento dos pátios e pistas, que devem ser finalizadas até outubro de 2013, as quais adaptarão o aeroporto para o recebimento do A380, da Airbus, o maior avião comercial em operação atualmente no mundo (o aeroporto de Guarulhos também está passando por essas adaptações).

Em São Gonçalo do Amarante (RN) está prevista a construção da 2ª etapa do sistema de pista e pátio de manobras (todo o lado A do aeroporto). As obras estão orçadas em R$ 98,32 milhões e devem terminar em dezembro de 2013.

Com relação ao aeroporto de Confins (MG), também cotado para entrar no próximo lote de pr


Os aeroportos, por onde passam milhões de pessoas, deixaram de ser apenas um local de passagem e transformaram-se em oportunidades de grandes negócios. O governo brasileiro sabe disso e está colocando em prática o que há muito projetava fazer para tornar realidade o plano de construção e ampliação nos terminais aeroportuários em todo País, mas por falta de recursos está transferindo à iniciativa privada a responsabilidade pela ampliação e modernização dos aeroportos brasileiros.

Os primeiros passos foram dados com a concessão dos aeroportos de Brasília (DF), Guarulhos (SP), Viracopos, em Campinas (SP) e São Gonçalo do Amarante (RN). “Ao final de setembro, a Infraero entregou à concessionária vencedora do leilão do aeroporto de Guarulhos formado pela Invepar ACSA, que reúne as companhias Investimentos e Participações em Infraestrutura S/A e a Airports Company South Africa, que ofereceu lance de R$ 16,213 bilhões, as obras de terraplenagem para a construção do Terminal de Passageiros 3, que envolveram recursos da ordem de R$ 300 milhões. De acordo com o diretor de Obras de Engenharia da Infraero, Jaime Henrique Parreira, o aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro deve entrar no próximo lote de concessões do setor a ser anunciado pelo governo.

Parreira disse que está previsto um programa de reformas bastante amplo para o Galeão, orçado em R$ 254 milhões. “Cerca de 70% dessa obra se refere aos sistemas hidráulicos e elétricos, como elevadores e escadas rolantes. A previsão é que ela esteja concluída até dezembro de 2012”, pontua o diretor da Infraero. Ainda este ano, será entregue a parte nova do terminal de passageiros 2, que agregará uma capacidade de 15,9 milhões de passageiros/ano ao aeroporto.

O diretor da Infraero informa ainda que estão em andamento, no Galeão, as obras para alargamento dos pátios e pistas, que devem ser finalizadas até outubro de 2013, as quais adaptarão o aeroporto para o recebimento do A380, da Airbus, o maior avião comercial em operação atualmente no mundo (o aeroporto de Guarulhos também está passando por essas adaptações).

Em São Gonçalo do Amarante (RN) está prevista a construção da 2ª etapa do sistema de pista e pátio de manobras (todo o lado A do aeroporto). As obras estão orçadas em R$ 98,32 milhões e devem terminar em dezembro de 2013.

Com relação ao aeroporto de Confins (MG), também cotado para entrar no próximo lote de privatizações, o diretor da Infraero disse que está em desenvolvimento um processo licitatório para obras nas pistas e pátios, orçadas em R$ 170 milhões, e outro para a construção de um terceiro terminal com capacidade de 5,8 milhões de passageiros ao ano, obra estimada em R$ 100 milhões.

No caso do aeroporto de Curitiba (PR), as obras envolvem a ampliação do pátio (R$ 25 milhões), restauração da pista de pouso (R$ 17,7 milhões), ampliação do terminal de passageiros (R$ 41 milhões) e expansão do terminal de cargas. Ainda em Curitiba existe o estudo do projeto de construção da 3ª pista de pouso (R$ 12 a R$ 14 milhões), entrega prevista para depois da Copa de 2014.

Para o aeroporto de Salvador (BA), com obras de R$ 65 milhões, a Infraero está finalizando a documentação para reforma e adequação do terminal de passageiros (projeto executivo em andamento) e construção da torre de controle (em execução) com término previsto para dezembro de 2013 e ampliação do pátio de aeronaves com entrega para setembro do próximo ano.

O aeroporto responde por mais de 30% da movimentação de passageiros do Nordeste. Com capacidade para 12,9 milhões de passageiros/ano, recebe diariamente, cerca de 40 mil pessoas que circulam pelo terminal. Em 2011 o terminal recebeu 8,3 milhões de passageiros e estão previstos 10,2 milhões em 2014 em função da Copa.

No caso do aeroporto de Fortaleza (CE), está prevista reforma e ampliação do terminal de passageiros e adequação do sistema viário (1ª fase), hoje com 38.500 m² para 90.394 em 2014. As obras no valor de R$ 347 milhões estão em execução com cerca 35% a 40% dos trabalhos executados e previsão de conclusão para 2016. Até dezembro de 2013, a demanda de passageiros/ano desse aeroporto passará de 5,6 milhões para 7 milhões.

As obras do aeroporto de Cuiabá (MT) realizadas em parceria com o Governo do Estado de Mato Grosso preveem investimentos de R$ 91,3 milhões para reforma e ampliação do terminal de passageiros, que passará de 5.460 m² para 13.200 m²; adequação do sistema viário e construção de estacionamento e implantação do módulo operacional.  As obras em execução deverão ser concluídas em 2013, quando o atendimento de passageiros aumentará de 2,6 milhões/ano para 3 milhões/ano.

O aeroporto de Manaus foi considerado pelo diretor da Infraero como o que exibe um conjunto de obras mais ousado. Os R$ 390 milhões destinados ao empreendimento deverão ser utilizados na reforma, modernização e ampliação do terminal de passageiros, que passará de 43 mil m² para 97.258 m² e na criação do segundo piso. A entrega será em dezembro de 2013. Atualmente, o terminal tem capacidade para 6,4 milhões de passageiros/ano, devendo chegar a 13,5 milhões de passageiros/ano.

O aeroporto de Porto Alegre (RS) terá 30% das obras entregues até dezembro de 2013. O projeto envolve a expansão do pátio e terminal de passageiros (R$ 345,8 milhões), pista de pouso e decolagem de 157.930 m² para 197.130 m² (R$ 223 milhões), terminal de carga (R$ 137 milhões) e módulo operacional (R$ 520 milhões). A demanda atual de passageiros/ano é de 7,8 milhões, com previsão para aumentar até 8,8 milhões em 2014.

As obras do aeroporto de Recife (PE) em licitação prevê a construção da nova torre de Controle, com valor previsto de R$ 18 a R$ 20 milhões e instalação de conectores, no valor de R$ 6,13 milhões. Parreira diz que o término está previsto para dezembro de 2013. O terminal tem capacidade para 16,7 milhões de passageiros/ano e demanda de 6,3 milhões, passando para 7,7 milhões em 2014.

Parreira diz que as obras do aeroporto de Florianópolis (SC), em execução, têm menor grau de complexidade. Orçadas em R$ 120 milhões, elas envolvem a infraestrutura para construção do novo terminal, pátio de aeronaves, pista de táxi, estacionamento e acesso viário. Essa etapa deve estar concluída em maio de 2014. A construção do novo terminal de passageiros, edificações complementares e estação de produção de água e reúso encontra-se em fase de licitação e têm previsão de ser entregue em novembro de 2014. O terminal de passageiros, hoje com 8.840 m² de área passará para 33.800 m² e a capacidade aumentará de 4,1 milhões de passageiros/ano para 10,8 milhões/ano.

As obras de reforma e ampliação do terminal de passageiros do aeroporto de Foz do Iguaçu (PR) estão orçadas em R$ 70 milhões e devem ser entregues, segundo Parreira, em setembro de 2013.

Ele afirma que a Infraero deve realizar entre 85% e 90% dos investimentos programados para este ano. Segundo ele, em 2012 os investimentos devem somar R$ 1,750 bilhão e no próximo ano, esse volume deve crescer e ficar entre R$ 2,5 bilhões e R$ 2,7 bilhões. “Cerca de 70% a 75% desses recursos são do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento)”.

Ipea vê ritmo preocupante nas obras para a Copa

Carlos da Silva Campos Neto, diretor do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), acredita que o ritmo das obras de ampliação dos terminais de passageiros nos aeroportos das cidades brasileiras que vão sediar a Copa de 2014 é preocupante. “Em termos de investimento em terminais de passageiros, o que a gente percebe é uma situação preocupante, porque a grande maioria ainda está em fase de projeto”, disse. Segundo levantamento por ele apresentado, obras nos aeroportos de Porto Alegre, Curitiba, Salvador e Confins (MG), por exemplo, ainda estão em fase de projeto básico.

Campos Neto está preocupado também com o ritmo da execução dos investimentos pela Infraero. “Nos seis primeiros meses de 2012, a Infraero só executou 18,4% dos investimentos previstos”. Ele destacou, porém, que no ano passado a maior parte dos investimentos da estatal foi feita nos últimos quatro meses do ano, especialmente no último bimestre. Ainda assim, em 2011 a Infraero só executou 51,2% dos investimentos aprovados.

Segundo ele, 17 dos 20 maiores aeroportos brasileiros apresentam problemas, ou operam acima da capacidade, como é o caso de Congonhas e Guarulhos, ou acima do seu limite de eficiência, caso do Galeão.

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) teme que os altos valores pagos nos leilões de aeroportos de Guarulhos, Campinas e Brasília, que tiveram um ágio médio de cerca de 350%, acabem causando um forte aumento nas tarifas aeroportuárias, a exemplo do que ocorreu em outros países. “Na África do Sul, as tarifas subiram 70% em 2011. No aeroporto de Nova Délhi, na Índia, devido à construção de um novo terminal em tempo recorde, 36 meses, o reajuste das tarifas foi de 600%. Hoje, o aeroporto de Nova Délhi é o mais caro da Ásia”, disse Carlos Ebner, diretor da Iata no Brasil.