18 de maio de 2017
Voltar
Agenda 2017

Ferrovias: quilômetros de oportunidades de negócios

O modal ferroviário deverá receber uma injeção maciça de recursos nos próximos seis anos. A renovação antecipada dos contratos de concessão, anunciada recentemente pelo governo federal, vai destravar até R$ 25 bilhões em investimentos. Apenas em material rodante, as operadoras ferroviárias associadas à Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF) planejam investir R$ 2,216 bilhões no período.

As oportunidades que chegarão com esses aportes serão discutidas na sétima edição do Brasil nos Trilhos, que acontece em 28 de junho, no Centro Internacional de Convenções do Brasil, em Brasília. Integrantes do setor, indústria e autoridades do governo se reunirão para definir o futuro das ferrovias e desses investimentos. Além da compra e reforma de material rodante, os recursos também serão utilizados na melhoria e recuperação da malha, expansão de capacidade, aquisição de novas tecnologias, capacitação profissional e qualificação das operações.

Todo esse investimento se traduzirá em aumento da capacidade de transporte. A partir da renovação das concessões, a capacidade será possível atingir mais de 431,1 bilhões de TKU no período de dez anos, uma alta de 32%.

O impacto desse montante de recursos na economia também será expressivo. Segundo a indústria Ferroviária, a cada R$ 500 milhões, dois mil novos empregos diretos e seis mil indiretos são gerados no setor. Em dez anos, concluídos os aportes, terão sidos gerados mais de 40 mil empregos diretos e indiretos.

Os dados mostram que a expansão do sistema de trilhos é fundamental para resolver gargalos no transporte e outros problemas de infraestrutura, que elevam o Custo Brasil. E o histórico do setor mostra que as concessões foram uma decisão acertada.

Considerando apenas material rodante, os números de investimentos já realizados desde o início das concessões, em 1997, é expressivo. A frota de locomotivas teve um incremento de 176%, somando 3.182 unidades em 2015. Já o número de vagões cresceu 135% no período, chegando a 103.098 unidades no mesmo período.

Felizmente, os recentes avanços nos trâmites regulatórios evidenciam que o modal torna-se cada vez mais prioritário para o País.

Mais informações podem ser obtidas com a ANTF, que é promotora do evento, pelo telefone (61) 3212.8900, pelo e-mail con


O modal ferroviário deverá receber uma injeção maciça de recursos nos próximos seis anos. A renovação antecipada dos contratos de concessão, anunciada recentemente pelo governo federal, vai destravar até R$ 25 bilhões em investimentos. Apenas em material rodante, as operadoras ferroviárias associadas à Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF) planejam investir R$ 2,216 bilhões no período.

As oportunidades que chegarão com esses aportes serão discutidas na sétima edição do Brasil nos Trilhos, que acontece em 28 de junho, no Centro Internacional de Convenções do Brasil, em Brasília. Integrantes do setor, indústria e autoridades do governo se reunirão para definir o futuro das ferrovias e desses investimentos. Além da compra e reforma de material rodante, os recursos também serão utilizados na melhoria e recuperação da malha, expansão de capacidade, aquisição de novas tecnologias, capacitação profissional e qualificação das operações.

Todo esse investimento se traduzirá em aumento da capacidade de transporte. A partir da renovação das concessões, a capacidade será possível atingir mais de 431,1 bilhões de TKU no período de dez anos, uma alta de 32%.

O impacto desse montante de recursos na economia também será expressivo. Segundo a indústria Ferroviária, a cada R$ 500 milhões, dois mil novos empregos diretos e seis mil indiretos são gerados no setor. Em dez anos, concluídos os aportes, terão sidos gerados mais de 40 mil empregos diretos e indiretos.

Os dados mostram que a expansão do sistema de trilhos é fundamental para resolver gargalos no transporte e outros problemas de infraestrutura, que elevam o Custo Brasil. E o histórico do setor mostra que as concessões foram uma decisão acertada.

Considerando apenas material rodante, os números de investimentos já realizados desde o início das concessões, em 1997, é expressivo. A frota de locomotivas teve um incremento de 176%, somando 3.182 unidades em 2015. Já o número de vagões cresceu 135% no período, chegando a 103.098 unidades no mesmo período.

Felizmente, os recentes avanços nos trâmites regulatórios evidenciam que o modal torna-se cada vez mais prioritário para o País.

Mais informações podem ser obtidas com a ANTF, que é promotora do evento, pelo telefone (61) 3212.8900, pelo e-mail contato@antf.org.br ou pelo site www.antf.org.br