FECHAR
FECHAR
18 de junho de 2020
Voltar

EMPRESAS

SSAB foca em soluções antidesgaste para o segmento de cana de açúcar

Siderúrgica sueca, produtora e distribuidora do aço para desgaste Hardox estabelece parceria com a empresa alagoana Cimeg para desenvolver soluções para o mercado de reposição das usinas de cana de açúcar da região Nordeste
Fonte: Assessoria de Imprensa

Presente no Brasil há quase 17 anos, a SSAB, multinacional sueca especializada na fabricação de aços de alta resistência, tem focado seus esforços em compartilhar os resultados do desempenho do aço Hardox em aplicações direcionadas ao segmento de cana de açúcar.

Para promover esse desenvolvimento, conta com a parceria da alagoana Cimeg, que tem mais de 46 anos de história e experiência no segmento de soluções para o desgaste e faz parte da rede de parceiros do programa “Hardox Wearparts”, um grupo seleto de empresas com capacidade técnica para processar os aços de alta resistência da SSAB.

De acordó com a SSAB, nesse contexto, uniu-se a excelência no aspecto siderúrgico e técnico, assim como sua expertise em cases de sucesso na aplicação do aço Hardox na indústria de cana de açúcar. O Brasil continua tendo uma enorme fatia da produção mundial.

Por deter toda essa bagagem, a indústria de cana, assim como toda grande indústria, sofre com gargalos atrelados a manutenção de equipamento e perda de produtividade.

“E é justamente nesse ponto que o aço Hardox se tornou extremamente interessante, pois em sua essência, busca sempre trazer um aumento de vida útil aos equ...


Presente no Brasil há quase 17 anos, a SSAB, multinacional sueca especializada na fabricação de aços de alta resistência, tem focado seus esforços em compartilhar os resultados do desempenho do aço Hardox em aplicações direcionadas ao segmento de cana de açúcar.

Para promover esse desenvolvimento, conta com a parceria da alagoana Cimeg, que tem mais de 46 anos de história e experiência no segmento de soluções para o desgaste e faz parte da rede de parceiros do programa “Hardox Wearparts”, um grupo seleto de empresas com capacidade técnica para processar os aços de alta resistência da SSAB.

De acordó com a SSAB, nesse contexto, uniu-se a excelência no aspecto siderúrgico e técnico, assim como sua expertise em cases de sucesso na aplicação do aço Hardox na indústria de cana de açúcar. O Brasil continua tendo uma enorme fatia da produção mundial.

Por deter toda essa bagagem, a indústria de cana, assim como toda grande indústria, sofre com gargalos atrelados a manutenção de equipamento e perda de produtividade.

“E é justamente nesse ponto que o aço Hardox se tornou extremamente interessante, pois em sua essência, busca sempre trazer um aumento de vida útil aos equipamentos e por consequência uma melhora na produtividade, não podendo deixar de lado a questão sustentável e a mitigação de riscos atrelados a manutenções em geral”, avalia Helvio Alexandre Menezes, sócio-proprietário da Cimeg.

As aplicações do aço Hardox para o segmento de cana de açúcar se espalham desde o campo até a indústria.

Na colheita por exemplo, é utilzado em peças de desgaste para a preparação do solo, nas colheitadeiras e canavieiros; na industria é utilizado, em barras chatas de mesa transportadora, desfribador e martelos; na geração de energia, em triturador de palha, aletas de exaustor e mesa de transporte de bagaço.

Há aplicação ainda para exaustores, onde são utilizados os aços Hardox 500/550 ou 600, dependendo das condições de operação e design da peça; e nos revestimentos laterais da moenda de cana, os aços Hardox 500/550 são os mais indicados, dependendo também das condições de operação.

“As chapas Hardox são essencialmente materiais de alta resistência ao desgaste e com equilíbrio entre dureza e tenacidade, o que lhe permite trafegar entre muitas aplicações. São produzidas em diversos graus de dureza (350 – 700 Brinell) e uma larga faixa de espessura (0,7 – 160mm). O aço Hardox expõe propriedades singulares, e além disso, é temperado em toda sua extensão, o que lhe permite garantir que a dureza mínima do núcleo é de 90 % da dureza mínima indicada na superficie”, afirma Lucas De Noronha, gerente de vendas regional da SSAB.