FECHAR
FECHAR
04 de junho de 2020
Voltar

RESULTADOS

Sondagem projeta dificuldades no setor de materiais para construção

Dados da sondagem entre as indústrias de materiais de construção indicam que 13% das empresas estão otimistas em relação às ações do governo para o setor da construção nos próximos 12 meses, mostrando queda no índice
Fonte: Assessoria de Imprensa

Realizada em maio, a Sondagem do Termômetro da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) projeta uma crescente preocupação das empresas sobre o desempenho das vendas de materiais de construção.

Ao todo, a sondagem ouviu 23 empresas do setor, incluindo base (14 empresas) e acabamento (9 empresas). Sobre o desempenho de vendas, para 52% das empresas ouvidas o mês de maio foi ruim, enquanto 22% disseram que foi regular, 13% bom, 9% muito ruim e 4% muito bom.

Já para o mercado externo, a sondagem mostrou que para 31% das empresas o desempenho foi regular, 54% ruim e 15% muito ruim. De acordo com dados da Sondagem, 13% das empresas permanecem otimistas quanto às ações do governo para o setor da construção civil nos próximos 12 meses. No mês anterior, 27% estavam otimistas.

Em relação às intenções de investimentos no médio prazo, no mês de maio 43% das indústrias de materiais afirmaram que pretendem investir nos próximos 12 meses. Houve crescimento em relação a abril, quando 36% empresas pretendiam investir. Mas o índice ainda está abaixo do mesmo período do ano passado, quando 63% pretendiam realizar investimentos.

Como o setor da construção não paralisou as ativida...


Realizada em maio, a Sondagem do Termômetro da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) projeta uma crescente preocupação das empresas sobre o desempenho das vendas de materiais de construção.

Ao todo, a sondagem ouviu 23 empresas do setor, incluindo base (14 empresas) e acabamento (9 empresas). Sobre o desempenho de vendas, para 52% das empresas ouvidas o mês de maio foi ruim, enquanto 22% disseram que foi regular, 13% bom, 9% muito ruim e 4% muito bom.

Já para o mercado externo, a sondagem mostrou que para 31% das empresas o desempenho foi regular, 54% ruim e 15% muito ruim. De acordo com dados da Sondagem, 13% das empresas permanecem otimistas quanto às ações do governo para o setor da construção civil nos próximos 12 meses. No mês anterior, 27% estavam otimistas.

Em relação às intenções de investimentos no médio prazo, no mês de maio 43% das indústrias de materiais afirmaram que pretendem investir nos próximos 12 meses. Houve crescimento em relação a abril, quando 36% empresas pretendiam investir. Mas o índice ainda está abaixo do mesmo período do ano passado, quando 63% pretendiam realizar investimentos.

Como o setor da construção não paralisou as atividades e a comercialização de materiais de construção se manteve ativa, a utilização da capacidade industrial em maio ficou em 53%, na média das empresas. No mês anterior, o nível de utilização da capacidade instalada foi de 54%.