FECHAR
14 de novembro de 2019
Voltar

RESULTADOS

Segmento de pequenas reformas e autoconstrução está em plena recuperação

De acordo com dados da Pesquisa Tracking da Anamaco, o crescimento das vendas de material de construção civil no varejo em setembro na comparação com agosto é de 2%
Fonte: Assessoria de Imprensa

Entre os dados que ratificam esta informação estão os do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) e da Fundação Getúlio Vargas (FGV), que apontam que o crescimento do PIB do setor para 2019 será de 2%.

Segundo levantamento da Pesquisa Tracking da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), os mesmos 2% se repetem quando o assunto é o crescimento das vendas de material de construção civil no varejo em setembro na comparação com agosto.

Além disso, em relação ao mesmo período de 2018, a alta é ainda maior: 9%. Já no acumulado do ano, o incremento está em 3,5% e, nos últimos 12 meses, em 4,5%.

Estes números representam, sobretudo o segmento de pequenas reformas e autoconstrução, o que se convencionou chamar de “mercado de formiguinha”.

“Setembro é um mês de baixo apelo promocional, mas é um termômetro importante para os últimos meses do ano, porque tradicionalmente as pessoas iniciam pequenas reformas e reparos para deixar a casa pronta para as festas de fim de ano”, explica Cláudio Conz, presidente da Anamaco.

O executivo ainda completa explicando os motivos deste crescimento. &ldq...


Entre os dados que ratificam esta informação estão os do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) e da Fundação Getúlio Vargas (FGV), que apontam que o crescimento do PIB do setor para 2019 será de 2%.

Segundo levantamento da Pesquisa Tracking da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), os mesmos 2% se repetem quando o assunto é o crescimento das vendas de material de construção civil no varejo em setembro na comparação com agosto.

Além disso, em relação ao mesmo período de 2018, a alta é ainda maior: 9%. Já no acumulado do ano, o incremento está em 3,5% e, nos últimos 12 meses, em 4,5%.

Estes números representam, sobretudo o segmento de pequenas reformas e autoconstrução, o que se convencionou chamar de “mercado de formiguinha”.

“Setembro é um mês de baixo apelo promocional, mas é um termômetro importante para os últimos meses do ano, porque tradicionalmente as pessoas iniciam pequenas reformas e reparos para deixar a casa pronta para as festas de fim de ano”, explica Cláudio Conz, presidente da Anamaco.

O executivo ainda completa explicando os motivos deste crescimento. “No início do mês, o governo aumentou ligeiramente a previsão de crescimento da economia de 0,81% para 0,85%, e nós já sentimos em setembro os efeitos iniciais dos cortes de juros e o início das liberações de recursos do saque imediato do FGTS. Isso mostra que os consumidores estão recuperando a confiança na economia e voltando a investir em suas casas”.

Dessa forma, a Casa do Construtor, maior rede de franquias brasileira no segmento de locação de equipamentos para construção civil e soluções para o dia a dia, vem angariando bons resultados.

“Até 2017, havia uma queda no ticket médio, mas um aumento no número de contratos. Depois disso, o ticket médio voltou a crescer”, revela o gerente de Operações da Casa do Construtor, Fábio Spina.

Além disso, o faturamento da rede cresceu 25% no primeiro semestre de 2019 em comparação com o mesmo período de 2018, e a expectativa é de que o montante chegue a R$ 270 milhões no ano.

Atualmente, a rede conta com 270 unidades distribuídas pelo Brasil – com estimativa de fechar o ano com 300. Em 2018, o negócio faturou R$ 223 milhões.

Feicon Batimat
Atenta a este crescimento e no aquecimento para a Feicon Batimat, principal evento de construção civil e arquitetura da América Latina, que será realizado entre os dias 31 de março e 3 de abril de 2020, em SP, a organização conversou com a Suvinil, uma das empresas confirmadas para a próxima edição, sobre o momento do mercado.

De acordo com Eduardo Castro, gerente sênior de marketing da companhia, a Suvinil registra um crescimento consistente tanto em volume como em força de marca.

“Esperamos um aumento do volume de vendas maior nesta época do ano, tanto pelo crescimento do mercado, quanto pela mudança do hábito de vida dos consumidores que estão decorando suas casas para receber amigos e parentes com a segurança e conforto do lar”, analisa Castro.

Cláudio Conz, presidente da Anamaco, explica que, embora outubro seja um mês de baixo apelo promocional, é um termômetro importante para os últimos meses.

“O governo aumentou ligeiramente a previsão de crescimento da economia de 0,81% para 0,85%. Já sentimos os efeitos iniciais dos cortes de juros e início das liberações de recursos do saque imediato do FGTS. Isso mostra que os consumidores estão recuperando a confiança na economia”, explica.

Ainda de acordo com o estudo, quatro regiões tiveram melhoras: Sudeste, onde as vendas cresceram 8%; Norte e Sul, 6%; e Centro-Oeste com aumento de 2%. O Nordeste foi o único que mostrou um patamar igual ao do mês de setembro (1%).