FECHAR
FECHAR
25 de junho de 2020
Voltar

CENÁRIO

Seconci-SP e setor da construção estabelecem protocolos sanitários para combate à Covid-19

Documento traz diretrizes para canteiros, escritórios e estandes de vendas
Fonte: Assessoria de Imprensa

O Seconci-SP – Serviço Social da Construção Civil), junto com Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), Secovi-SP – Sindicato da Habitação, Sindicato da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) e Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de São Paulo (Sintracon-SP), desenvolveu o documento Diretrizes para o Combate e Resposta à Covid-19 para a continuidade das atividades do setor da construção em escritórios, canteiros de obras e estandes de vendas de forma responsável, segura e saudável, durante a pandemia.

Na elaboração dos protocolos, o Seconci-SP, que é a única instituição de saúde envolvida no projeto, foi representado pela dra. Norma Suely de Almeida Araujo, superintendente do Instituto de Ensino e Pesquisa Armênio Crestana (Iepac).

O diretor de Saúde e Segurança do Trabalho do Secovi-SP e conselheiro do Seconci-SP, Yves Mifano, também participou da produção do documento.

"Vale esclarecer que as diretrizes estabelecidas no documento já vinham sendo aplicadas na construção civil para conter e, preferencialmente, evitar a contaminação de trabalhadores da construção civil e do setor imob...


O Seconci-SP – Serviço Social da Construção Civil), junto com Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), Secovi-SP – Sindicato da Habitação, Sindicato da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) e Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de São Paulo (Sintracon-SP), desenvolveu o documento Diretrizes para o Combate e Resposta à Covid-19 para a continuidade das atividades do setor da construção em escritórios, canteiros de obras e estandes de vendas de forma responsável, segura e saudável, durante a pandemia.

Na elaboração dos protocolos, o Seconci-SP, que é a única instituição de saúde envolvida no projeto, foi representado pela dra. Norma Suely de Almeida Araujo, superintendente do Instituto de Ensino e Pesquisa Armênio Crestana (Iepac).

O diretor de Saúde e Segurança do Trabalho do Secovi-SP e conselheiro do Seconci-SP, Yves Mifano, também participou da produção do documento.

"Vale esclarecer que as diretrizes estabelecidas no documento já vinham sendo aplicadas na construção civil para conter e, preferencialmente, evitar a contaminação de trabalhadores da construção civil e do setor imobiliário. São protocolos básicos e recomendações para continuidade das atividades. O principal objetivo é proteger a saúde e segurança dos trabalhadores durante a pandemia", explica dra. Norma.

O documento detalha os cuidados a serem tomados antes, durante e após o trabalho, acompanhados de um protocolo para o gerenciamento das recomendações.

A publicação também aborda as medidas de contingenciamento a serem adotadas em caso de funcionários suspeitos ou confirmados de contaminação.

E traz respostas às dúvidas mais frequentes sobre o que fazer em determinadas situações e sobre os testes de detecção de anticorpos à doença. Ao final, contém: um Guia de Limpeza; Protocolos de Higiene e Distanciamento Físico, Uso de Máscaras, Transporte, Retorno ao Lar e Triagem de Acesso; Esclarecimentos sobre Testes Diagnósticos; um Fluxograma de Resposta à Covid-19; e um Checklist de Gerenciamento.

A médica alerta que os protocolos e as recomendações demandam mudanças de comportamentos da sociedade em geral. Por isso, é essencial que os trabalhadores sigam à risca as recomendações e fiquem vigilantes com esses cuidados no canteiro de obras e em todos os momentos de deslocamento para reduzir o risco de contágio.

"Trata-se de uma doença altamente transmissível, portanto, a exposição ao vírus não ocorre unicamente no ambiente de trabalho, mas também no transporte público, nas residências dos trabalhadores e no relacionamento comunitário. O cuidado precisa ser permanente."