19 de março de 2020
Voltar

RESULTADOS

Estado de SP se destaca no saneamento básico

Para Benedito Braga, presidente da Sabesp, o Marco Regulatório de Saneamento Básico (PL 4.162/2019), que está em discussão no Congresso, é um avanço que irá atrair investimento para o setor e pode auxiliar na situação
Fonte: Jovem Pan

O presidente da Sabesp, Benedito Braga, garantiu que o estado de São Paulo pode ser considerado um exemplo no saneamento básico brasileiro. De acordo com ele, 300 dos 373 municípios em que a companhia atua possuem 100% de água potável.

A afirmação acontece após ser divulgado o ranking de saneamento básico do país pelo Instituto Trata Brasil. Segundo Braga, o estado de São Paulo está focado, no momento, no tratamento de esgotos, já que os problemas no abastecimento de água foram resolvidos.

“Hoje operamos 373 municípios do Estado de São Paulo, equivalente a 60% da população. Desses, 300 deles contam 100% de água potável, coleta e tratamento de esgoto.”

Para ele, é possível avaliar que São Paulo é um estado que se destaca no setor. O desafio agora é conseguir tratar os esgotos nas regiões metropolitanas da capital paulista.

“O Estado de São Paulo está focado no tratamento dos esgotos. Já resolvemos o abastecimento de água. Lembro que na fase de crise hídrica em 2014, desenvolvemos em tempo recorde a estrutura para ter água segura para beber. Estamos 100% tranquilos”, afirmou.

Embora o presidente da Sabesp afirme que o estado de São Paulo está avançado quanto ao ...


O presidente da Sabesp, Benedito Braga, garantiu que o estado de São Paulo pode ser considerado um exemplo no saneamento básico brasileiro. De acordo com ele, 300 dos 373 municípios em que a companhia atua possuem 100% de água potável.

A afirmação acontece após ser divulgado o ranking de saneamento básico do país pelo Instituto Trata Brasil. Segundo Braga, o estado de São Paulo está focado, no momento, no tratamento de esgotos, já que os problemas no abastecimento de água foram resolvidos.

“Hoje operamos 373 municípios do Estado de São Paulo, equivalente a 60% da população. Desses, 300 deles contam 100% de água potável, coleta e tratamento de esgoto.”

Para ele, é possível avaliar que São Paulo é um estado que se destaca no setor. O desafio agora é conseguir tratar os esgotos nas regiões metropolitanas da capital paulista.

“O Estado de São Paulo está focado no tratamento dos esgotos. Já resolvemos o abastecimento de água. Lembro que na fase de crise hídrica em 2014, desenvolvemos em tempo recorde a estrutura para ter água segura para beber. Estamos 100% tranquilos”, afirmou.

Embora o presidente da Sabesp afirme que o estado de São Paulo está avançado quanto ao saneamento, o presidente do Trata Brasil, Édison Carlos afirmou que os resultados mostram a estagnação do setor.

Para Braga, o Marco Regulatório de Saneamento Básico (PL 4.162/2019), que está em discussão no Congresso, é um avanço que irá atrair investimento para o setor e pode auxiliar na situação.

“Quando governos municipais e estaduais se encontram em dificuldades para investir em saneamento, a vinda do setor privado para se associar ao setor público é um avanço. Nós estamos esperando a aprovação do marco que está no Senado.”

Coronavírus
Ainda segundo Braga, a Sabesp está trabalhando para que, com o avanço do coronavírus no Brasil e as indicações para aumento da higienização, não falte água em “nenhum setor das cidades atendidas”. Para ele, não há problemas com a água utilizada.

“Não há problema nenhum com a qualidade da nossa água, é a mesma qualidade dos países desenvolvidos. É uma água que deve ser utilizada principalmente em uma situação de emergência que vivemos.”