FECHAR
FECHAR
05 de março de 2020
Voltar

RESULTADOS

Emprego na construção brasileira cresceu 3,53% em 2019

Ao final do ano, o setor empregava 2.352.747 trabalhadores em todo o país
Fonte: Assessoria de Imprensa

O nível de emprego na construção civil brasileira registrou variação positiva de 3,53% em 2019. No período foram abertos 80.270 postos.

Em dezembro, a variação ficou negativa em -2,18%, resultando a eliminação de 52.406 postos de trabalho.

Na comparação da média de 2019 com a média do ano anterior, a variação foi positiva em 1,88%, o que totalizou 43.351 postos de trabalhos. .

Ao final do ano, o setor empregava 2.352.747 trabalhadores em todo o país.

Ao se dessazonalizar (tratamento estatístico que tem como objetivo retirar efeitos que acontecem tipicamente em um mesmo período do ano) as informações, o emprego na construção civil brasileira teria registrado crescimento de 0,49% em dezembro (+11.640 postos de trabalho).

Os dados são da pesquisa mensal do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon São Paulo) realizada em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV), com base em informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do governo federal.

De acordo com o presidente do Sinduscon São Paulo, Odair Senra, a queda do emprego no setor em dezembro era esperada, por ser um episódio sazonal, que se repete a cada ano neste per...


O nível de emprego na construção civil brasileira registrou variação positiva de 3,53% em 2019. No período foram abertos 80.270 postos.

Em dezembro, a variação ficou negativa em -2,18%, resultando a eliminação de 52.406 postos de trabalho.

Na comparação da média de 2019 com a média do ano anterior, a variação foi positiva em 1,88%, o que totalizou 43.351 postos de trabalhos. .

Ao final do ano, o setor empregava 2.352.747 trabalhadores em todo o país.

Ao se dessazonalizar (tratamento estatístico que tem como objetivo retirar efeitos que acontecem tipicamente em um mesmo período do ano) as informações, o emprego na construção civil brasileira teria registrado crescimento de 0,49% em dezembro (+11.640 postos de trabalho).

Os dados são da pesquisa mensal do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon São Paulo) realizada em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV), com base em informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do governo federal.

De acordo com o presidente do Sinduscon São Paulo, Odair Senra, a queda do emprego no setor em dezembro era esperada, por ser um episódio sazonal, que se repete a cada ano neste período.

“A boa notícia é que em 2019 o volume de contratações na construção aumentou, tanto no acumulado do ano, como na comparação da média do emprego em 2019 com a de 2018 – o que comprova o aquecimento consistente da atividade e o fim do ciclo de queda do PIB do setor”.

Segmentação
Em 2019, todos os segmentos apresentaram variação positiva no nível de emprego, sendo as mais relevantes: Obras de Instalação (+7,88%), Engenharia e Arquitetura (+7,77%), Preparação de Terreno (+5,31%) e Outros Serviços (+4,50%).

No mês de dezembro, comparado com o mês anterior, todos os segmentos apresentaram variação negativa, sendo as mais relevantes: Infraestrutura (-3,24%), Imobiliário (-2,77%), Preparação de terreno (-2,42%) e Outros serviços (-2,15%).

Regiões do Brasil
Em relação às cinco regiões do país, em dezembro as variações na comparação com o mês anterior foram: Norte (-2,46%), Nordeste (-2,56%), Sudeste (-1,60%), Centro-Oeste (-3,98%), e Sul (-2,55%).

Em 2019, somente a região Norte apresentou variação negativa -1,05% (reduzindo-se para 127.778 empregados). As variações positivas no ano passado foram: Sudeste (4,71%, elevando-se para 1.206.038 empregados), Nordeste (3,06%, elevando-se para 448.343 postos de trabalho), Sul (2,74%, elevando-se para 384.870 empregados) e Centro-Oeste (2,08%, elevando-se para 185.718 postos de trabalho).

Estado de São Paulo
O emprego na construção paulista em 2019 registrou variação de +3,46%, resultando em 21.581 novos postos de trabalho.

Ao final daquele mês, a construção paulista empregava 646.027 trabalhadores. Em dezembro, na comparação com o mês anterior, a variação foi negativa em -1,30%, o que resultou em -8.485 postos de trabalho no período.

Desconsiderando efeitos sazonais, teria havido um crescimento de 0,57% (+3.756 empregados) no período.

Em dezembro, na comparação com o mesmo mês anterior somente o segmento Obras de Instalação apresentou variação positiva de 0,22%. Os demais segmentos apresentaram variação negativa, sendo as mais relevantes: Infraestrutura (-2,20%), Outros Serviços (-2,11%), Imobiliário (-2,05%) e Preparação de Terreno (-1,90%).

Município de São Paulo
A capital paulista, que respondeu por 42,73% do total de empregos no setor no estado, registou variação negativa de -1,11% (-3.101 vagas) no mês de dezembro na comparação com o mês anterior.

Em 2019, a variação foi positiva em 2,86% (7.672 vagas) A cidade empregava 276.058 trabalhadores da construção.