FECHAR
FECHAR
23 de agosto de 2018
Voltar

Tecnologia

Bom exemplo: empresa consome três vezes menos água em seu processo de produção

Na Ibema, o tratamento utilizado é o Lodo Ativado e vem trazendo bons resultados
Fonte: Assessoria de Imprensa

Ser sustentável. Esse é o desejo da maioria das indústrias e empresas buscam contribuir para um mundo melhor, onde homem e natureza trabalham juntos. Um bom exemplo nesse sentido, vem da Ibema, terceira maior produtora de papelcartão do Brasil e um dos maiores players da América Latina. Em sua sede fabril de Embu das Artes, o processo de gestão da água utiliza três vezes menos o recurso que em uma fábrica habitual.

Com tal cuidado, a Ibema não só mantem a alta qualidade na fabricação de seus produtos, como trabalha para a preservação do meio ambiente em uma região de proteção de mananciais. “A eficiência no consumo de água por produção de papel chega a ser três vezes maior que a média de mercado. Isso representa, aproximadamente, 9 milhões de litros de água a menos para fabricar uma tonelada de papelcartão. Esse volume poupado, poderia abastecer 1.700 famílias todos os meses. Nesta região, a ação faz diferença já que estamos em um local com a maior demanda de água para consumo humano do Brasil”, explica Vinicius Panebianchi dos Santos, Gerente de Sustentabilidade da empresa.

A unidade adota sistema de Lodo Ativado, um tratamento biológico que vem se mostrando ao longo dos anos, uma alternativa viável para o tratamento de águas residuais, por sua maior eficiência e menor custo. “A água numa fábrica de papelcartão é um insumo essencial, sem ela, não seria possível a produção. Por isso, as indústrias papeleiras realizam altos investimentos na gestão sustentável da água. Em nossa unidade de Embu das Artes, conseguimos um dos maiores níveis de reuso de águas do país”, avalia Santos.

O segredo do sucesso? De acordo com Leonardo T. C. Coronel, Supervisor Utilidades da unidade, um sistema bem dimensionado para o tipo de efluente gerado no processo produtivo da empresa, além de dedicação e responsabilidade garante a alta eficiência. “O sistema oferece uma qualidade do efluente tratado excelente, que atende aos parâmetros requeridos pelos órgãos ambientais. Posso afirmar que, na maioria das vezes, se compararmos com a água captada, a água tratada tem maior qualidade”, avalia.

Para complementar esse sistema, a Ibema implantou o monitoramento de água branca (com finos de celulose) que circula no processo de fabricação. Este monitoramento mostra se há a necessidade de trocar a água e identifica os aditivos que prejudicam o reuso. “A área de Pesquisa e Desenvolvimento, ciente deste controle, está incumbido de implementar insumos que interfiram o mínimo possível na qualidade de efluente a ser tratado”, finaliza Coronel.

Produção editorial: Revista Grandes Construções – Desenvolvido e atualizado por Diagrama Marketing Editoral