FECHAR
17 de janeiro de 2019
Voltar

Mercado

Aplicativo permite monitoramento do concreto em tempo real

Além de visualizar o trajeto dos caminhões, app Engemix Online emite relatórios para gerenciamento dos resultados
Fonte: Assessoria de Imprensa

Dois grandes desafios da indústria concreteira são a pontualidade da entrega do produto na obra e o tempo da concretagem. O tráfego nas cidades é imprevisível, interferindo no horário de chegada do concreto ao seu destino. Quando um caminhão betoneira atrasa, toda a obra é impactada: geração de horas extras com os funcionários que ficam mais tempo, aumento da ocorrência de acidentes provocados pelo cansaço e pela redução de iluminação com a chegada no período noturno e incômodo à vizinhança com os barulhos feitos em horário fora do permitido. Além disso, outro agravante é que o concreto tem características que exigem aplicação na obra no máximo três horas após ter saído da central de dosagem de concreto.

Para driblar esses obstáculos, a Engemix, unidade de concreto da Votorantim Cimentos, desenvolveu um software de logística que realiza toda a gestão da operação em tempo real. Pelo aplicativo Engemix Online, o cliente consegue acompanhar pelo celular e a localização exata do caminhão betoneira que está indo entregar o concreto em sua obra.

Enquanto grande parte das concreteiras sequer possuem GPS em seus caminhões, a Engemix investiu R$ 5 milhões no software que está conectado em tempo real com 100% da sua frota, todas equipadas com GPS e que permite registrar todas as interações entre empresa e seus clientes.

Desenvolvido especificamente pa...


Dois grandes desafios da indústria concreteira são a pontualidade da entrega do produto na obra e o tempo da concretagem. O tráfego nas cidades é imprevisível, interferindo no horário de chegada do concreto ao seu destino. Quando um caminhão betoneira atrasa, toda a obra é impactada: geração de horas extras com os funcionários que ficam mais tempo, aumento da ocorrência de acidentes provocados pelo cansaço e pela redução de iluminação com a chegada no período noturno e incômodo à vizinhança com os barulhos feitos em horário fora do permitido. Além disso, outro agravante é que o concreto tem características que exigem aplicação na obra no máximo três horas após ter saído da central de dosagem de concreto.

Para driblar esses obstáculos, a Engemix, unidade de concreto da Votorantim Cimentos, desenvolveu um software de logística que realiza toda a gestão da operação em tempo real. Pelo aplicativo Engemix Online, o cliente consegue acompanhar pelo celular e a localização exata do caminhão betoneira que está indo entregar o concreto em sua obra.

Enquanto grande parte das concreteiras sequer possuem GPS em seus caminhões, a Engemix investiu R$ 5 milhões no software que está conectado em tempo real com 100% da sua frota, todas equipadas com GPS e que permite registrar todas as interações entre empresa e seus clientes.

Desenvolvido especificamente para a indústria do concreto, o software contribui para que as 22 mil entregas mensais da empresa sejam feitas com mais de 80% de pontualidade (mesmo patamar das melhores concreteiras dos Estados Unidos). Pelos sensores no interior dos balões, permite saber se os caminhões estão aguardando ou descarregando, e o gerenciamento dos resultados apresentados pela inteligência, com indicadores precisos e simples.

A concreteira Engemix foi comprada pela Votorantim Cimentos em 2002. No ano em que o grupo Votorantim completou 100 anos, a Engemix comemorou 50 anos de atuação no mercado de concreto. Líder no mercado, a Engemix está presente em 10 estados brasileiros, conta com 41 unidades de concreto, sendo seis na Grande São Paulo, possui uma frota de 555 caminhões betoneira e 950 funcionários. Entre as obras emblemáticas que têm a marca registrada da Engemix estão Cidade Matarazzo (SP), Linha Amarela do metrô (SP), Ponte Estaiada (SP), Estádios do Grêmio (RS) e do Corinthians (SP), Shoppings Morumbi (SP), Market Place (SP), Cidade Jardim (SP) e Vila Olímpia (SP), Hotel Unique (SP), Museu da Imagem e do Som (RJ), Parque Eólico Aracati (CE) e Ponte de Laguna (SC).